Momento Saúde

Estado de SP planeja comprar 10 milhões de seringas para vacina da Covid-19

Publicados

em


source
Mão preparando seringa para aplicação
Governo do Estado de São Paulo

Vacina contra a Covid-19 deve ser aprovada entre o final de 2020 e início de 2021


O estado de São Paulo está preparando a compra de 10 milhões de unidades de seringas que serão utilizadas para a aplicação da vacina da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). O planejamento ocorre em meio à rumores da  suposta falta desse tipo de item e à corrida mundial para a aprovação de um imunizante.

De acoredo com o governo estadual, a expectativa é a de que as seringas sejam entregues entre outubro e novembro deste ano. O governador João Doria (PSDB) tem prometido para janeiro o início da vacinação, caso os testes em andamento com a Coronavac, produzida em parceria entre o Instituto Butantan a a Sinovac Biotech, sejam bem-sucedidos.

Leia Também:  Cobertura vacinal na pandemia está abaixo de 60%

Nesta terça-feira (11), o governo do Paraná confirmou que fará um convênio com a Rússia para viabilizar a produção da vacina russa . Segundo o governo paranaense, a parceria vinha sendo costurada com os russos desde julho.

Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo , o superintende da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo), Paulo Henrique Fraccaro, disse que há risco de falta de seringas e agulhas no mundo por causa de um aumento de demanda no caso de uma vacinação ao mesmo tempo.

Mesmo após esses anúncio, a aquisição das 10 milhões de seringas não será suficiente para a imunização da população de todo o estado. Por conta disso, uma segunda compra está sendo programada para até o fim do ano.

Em situações normais com as campanhas regulares de vacinação, o estado de São Paulo consome cerca de 11 milhões de seringas por ano.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Momento Saúde

Brasil terá maior fábrica de vacinas da América Latina

Publicados

em


.

A Fundação Oswaldo Cruz e a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) assinaram hoje (17) acordo para instalação da maior fábrica de vacinas da América Latina. O Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde vai ocupar uma área de 580 mil metros quadrados e terá capacidade de produção de 120 milhões de frascos de vacinas e biofármacos por ano e será instalada em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro.

As vacinas contra meningite, hepatite e tríplice bacteriana, que atualmente são importadas, vão passar a sair do polo. O acordo prevê a construção de nove prédios e a inauguração está prevista para 2023 e deverá gerar cinco mil empregos diretos. O complexo será responsável por toda produção de vacinas da Fiocruz, inclusive a de covid-19, quando esta for aprovada.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo zera imposto de importação de vacinas contra Covid-19
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA