Momento Saúde

Governo do Rio notifica Duque de Caxias sobre vacinação de covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) enviou nesta quarta-feira (21) ofício para o município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, solicitando esclarecimento sobre a vacinação contra a covid-19 na cidade.

“Imagens exibidas, nesta quarta-feira, por emissoras de TV, demonstraram que a Secretaria municipal de Saúde vem descumprindo constantemente as recomendações de vacinação do grupo prioritário preconizado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), além da total falta de organização na logística da vacinação”, informou a SES.

Na página da prefeitura de Duque de Caxias, a informação é de que o município está vacinando hoje (22) pessoas a partir dos 57 anos e apenas um dos grupos de risco para a vacinação contra a covid-19, os que têm obesidade mórbida.

No documento, a secretaria estadual pede ao município urgência na reorganização da sua estratégia de vacinação local para que possa se alinhar à campanha de vacinação que vem ocorrendo em todo o estado, cumprindo as recomendações do Ministério da Saúde.

A SES informou que, desde o início da campanha de vacinação, vem enviando rotineiramente ofícios aos 92 municípios fluminenses, orientando que sejam seguidos os grupos prioritários elencados pelo PNI, tendo em vista a irregularidade no fornecimento de vacinas pelos laboratórios produtores.

Leia Também:  Pesquisadores criam algoritmo para analisar ressonância magnética

“O documento ressalta ainda que a ampliação da vacinação para novos grupos, sem a previsão de recebimento de maior volume de doses de vacina pelo Ministério da Saúde, demonstra a total falta de sincronismo e alinhamento do município com as recomendações da SES. A tomada de decisão sem avaliação do impacto na estratégia de vacinação em andamento pode gerar problemas não só no desenvolvimento das ações, causando transtornos à população, como estimulando a desconfiança e a perda de credibilidade no programa de imunização”, disse a secretaria estadual.

Duque de Caxias

A prefeitura de Duque de Caxias, comandada por Washington Reis, disse que o município adota um protocolo de vacinação que vem alcançando resultados positivos na cidade sem deixar de seguir as recomendações do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.

“Um exemplo disso é que, do total de 128.669 pessoas com 60 anos ou mais, 104.750 já receberam a primeira dose. Sendo assim, Duque de Caxias já vacinou 81,4% da população acima de 60 anos de idade. O que justifica o município ampliar o alcance da imunização contra a covid-19 para a faixa etária de 57 anos ou mais”, informou, em nota, a prefeitura.

Leia Também:  Projeto da Uerj quer medir carga de coronavírus no ar em tempo real

Além de manter o cronograma da vacinação da primeira dose por faixa etária, a prefeitura disse que está priorizando a vacinação de pacientes com comorbidades: obesos mórbidos, diabéticos, cardiopatas, renais crônicos, pessoas com síndrome de down, pneumopatias, deficientes físicos, e aguarda a chegada de novas doses para ampliar a vacinação também para catadores de lixo, professores, motoristas e cobradores de transporte público.

A gestão municipal informou ainda que o ponto de vacinação da primeira dose da vacina de Oxford/Astrazeneca, montado nesta quinta-feira, na Praça da Prefeitura, no Jardim Primavera, contemplou não só pessoas com obesidade mórbida, mas também pessoas com outras comorbidades.

“Com a chegada de novas doses de vacinas, a prefeitura pretende ampliar esses pontos de vacinação, alcançando o maior número de pessoas com comorbidades residentes no município”, completou.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

Propaganda

Momento Saúde

Pfizer e BioNTech dizem que vacina contra covid-19 protege crianças

Publicados

em


A Pfizer e a BioNTech disseram, nesta segunda-feira (20), que a vacina contra covid-19 que desenvolveram em parceria induz uma resposta imune robusta em crianças de entre 5 e 11 anos de idade. Os laboratórios planejam pedir autorização para que a vacina seja aplicada nessa faixa etária às autoridades dos Estados Unidos (EUA), da Europa e de outros locais o mais rápido possível.

As empresas dizem que a vacina gerou resposta imune nas crianças de 5 a 11 anos em seu ensaio clínico de fases 2 e 3, e os resultados se equivalem ao que observaram anteriormente entre pessoas de 16 a 25 anos. O perfil de segurança também foi, em geral, comparável ao da faixa etária mais elevada, afirmaram.

“Desde julho, casos pediátricos de covid-19 aumentaram em cerca de 240% nos Estados Unidos, enfatizando a necessidade de saúde pública de vacinação”, disse o presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla, em comunicado à imprensa.

“Os resultados desse teste fornecem uma fundação sólida para buscar autorização de nossa vacina para crianças entre 5 e 11 anos, e planejamos entregar o pedido à FDA (agência reguladora dos EUA) e outros reguladores com urgência.”

Leia Também:  Duas cidades mineiras passam a fazer parte de ensaios com a ButanVac

Autoridades norte-americanas de saúde de alto escalão acreditam que os órgãos reguladores podem tomar uma decisão sobre a vacina, se é segura e eficaz em crianças mais novas, três semanas após a entrega pelos laboratórios dos pedidos de autorização, disseram à Reuters neste mês.

As internações e mortes por covid-19 aumentaram nos Estados Unidos, nos últimos meses, devido à variante Delta do novo coronavírus, altamente contagiosa. Casos pediátricos da doença também estão em alta, particularmente porque crianças com menos de 12 anos não estão sendo vacinada. Não há, no entanto, nenhuma indicação de que, além de ser mais transmissível, a Delta seja mais perigosa para crianças.

Uma autorização rápida ajudaria a mitigar um potencial aumento de casos no outono do Hemisfério Norte, especialmente com as escolas já abertas em todo os EUA.

A vacina Pfizer/BioNTech já está autorizada para aplicação em crianças a partir de 12 anos em vários países, incluindo os Estados Unidos.

No ensaio clínico, as crianças entre 5 e 11 anos receberam uma dose de 10 microgramas da vacina, um terço da dose dada a pessoas com mais de 12 anos. As empresas disseram esperar, até o quarto trimestre deste ano, os dados sobre como a vacina atua em crianças entre 2 e 5 anos e em bebês de 6 meses a 2 anos. 

Leia Também:  Segunda dose da CoronaVac voltará a ser aplicada no Rio na segunda-feira
Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA