Momento Saúde

Hemorio faz campanha em busca de jovens doadores de sangue

Publicados

em


O estoque de sangue do Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio) caiu “drasticamente” em outubro e está de 20% a 25% abaixo do necessário, afirmou hoje (15) o diretor do órgão, Luiz Amorim.

Ele disse à Agência Brasil que o ideal seria ter 300 doadores por dia. Em outubro, a média diária tem sido de 150 doadores.

“A resposta não tem sido boa”, afirmou o médico. “Estamos vivendo um momento de muita dificuldade no Rio, como no Brasil inteiro, desde a pandemia. Mas neste mês de outubro, a situação está particularmente crítica, não só no Hemorio, como em todos os demais serviços públicos de doação de sangue. São 12 na capital, mais 13 no interior”, informou Amorim.

Daí, o instituto decidiu desenvolver uma série de ações, entre as quais a campanha Sangue Novo, que visa incentivar jovens de 16 anos de idade a fazer doações. “É uma ação voltada para os jovens, porque são as pessoas mais saudáveis, estatisticamente, as que mais saem de casa e se deslocam no momento de pandemia, e podem vir doar.”

Leia Também:  Mais de 60% das crianças ainda não foram vacinadas contra a pólio

No Hemorio, o percentual de doadores de sangue na faixa etária de 16 a 18 anos não chega a 0,1% do total. Na faixa de 18 a 25 anos, o número sobe para cerca de 10%, destacou Amorim.

Segundo o médico, o objetivo da campanha é mostrar aos jovens que eles são bem-vindos ao Hemorio, que, neste momento, precisa da doação de sangue deles para atender as pessoas que estão internadas.

Os voluntários com idade a partir de 16 anos podem doar sangue com o consentimento dos pais ou responsáveis legais. Para isso, devem imprimir formulário próprio encontrado no site do Hemorio e, após a assinatura dos pais ou responsáveis, podem se dirigir à sede do instituto, na Rua Frei Caneca, 8, centro da cidade, durante todos os dias da semana, incluindo feriados, no horário das 7h às 18h.

Vinculado à Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, o Hemorio só fecha no dia 1º de janeiro.

Pandemia

Luiz Amorim ressaltou que as doações caíram, em média, 10% no período de 16 de março, quando foi decretada a quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, até o dia 20 de setembro, na comparação com igual período de 2019.

Leia Também:  Média móvel de mortes se mantém estável no Brasil e permanece em 460

“Outubro, porém, foi uma surpresa”. Muitos serviços médicos que estavam suspensos foram retomados, o que implica em maior necessidade de sangue, afirmou o diretor do Hemorio.

A doação de sangue pode ser feita por pessoas que tenham de 16 a 69 anos de idade, que pesem, no mínimo, 50 quilos e estejam bem de saúde.

Todos os doadores devem apresentar documento de identidade oficial com foto. Não é necessário estar em jejum, bastando apenas evitar comer alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Propaganda

Momento Saúde

Covid-19: Brasil tem 157,9 mil mortes e 5,43 milhões de casos

Publicados

em


O número de mortes em decorrência da pandemia do novo coronavírus chegou a . Entre ontem e hoje, as secretarias de saúde notificaram 549 óbitos causados pela doença. Ontem, o sistema de dados sobre a pandemia marcava 157.397 óbitos gerados pela doença. Ainda há 2.379 falecimentos em investigação.

O número de casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 5.439.641. Nas últimas 24 horas, foram registrados 29.787 novos casos. Ontem, o total estava em 5.409.854.

Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta terça-feira (27). O balanço é feito a partir de registros reunidos pelas secretarias estaduais de saúde e enviados à pasta para consolidação.

Ainda há 377.649 casos em acompanhamento. De acordo com o Ministério da Saúde, outras 4.904.046 pessoas já se recuperaram da doença.

Os casos e mortes são menores nos domingos e segundas-feiras em função da limitação de sistematização dos dados e alimentação do painel do ministério pelas secretarias estaduais aos fins de semana. Já às terças-feiras os números diários tendem a subir pelo acúmulo de casos do fim de semana reportado neste dia.

Leia Também:  Tratamento dentário em crianças diminui até 89% na pandemia

Covid-19 nos estados

Os estados com mais mortes são São Paulo (38.885), Rio de Janeiro (20.292), Ceará (9.305), Minas Gerais (8.789) e Pernambuco (8.5575). As Unidades da Federação com menos casos são Acre (690), Roraima (691), Amapá (743), Tocantins (1.089) e Rondônia (1.448).

Boletim epidemiológico covid-19Boletim epidemiológico covid-19

Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA