Momento Saúde

Imunidade ao novo coronavírus dura ao menos 4 meses, diz estudo

Publicados

em


source
 grupo faz parte de 39 diferentes famílias, em que, no mínimo, um integrante tenha dado positivo para o patógeno que provoca a Covid-19, em teste PCR
Foto: ELIZABETH FISCHER, MICROSCOPY UNIT NIH/NIAID

grupo faz parte de 39 diferentes famílias, em que, no mínimo, um integrante tenha dado positivo para o patógeno que provoca a Covid-19, em teste PCR

Os anticorpos dos pacientes infectados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) podem permanecer no organismo, pelo menos, por quatro meses após o contágio. Segundo estudo publicado, na terça-feira (13), por pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar da Finlândia (THL).

Os pesquisadores analisaram 129 pessoas desde março. O grupo faz parte de 39 diferentes famílias, em que, no mínimo, um integrante tenha dado positivo para o patógeno que provoca a Covid-19.

De acordo com o estudo, 63 das 64 pessoas que deram positivo em exame de diagnóstico desenvolveram anticorpos durante o primeiro mês de infecção. A pesquisa diz ainda que foram encontrados anticorpos em outros 17 indivíduos que deram negativo no teste PCR.

Leia Também:  Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia

Os pesquisadores indicaram que a quantidade de anticorpos entrou em queda com o passar do tempo, até que, quatro meses depois da infecção. “Os resultados deste estudo confirmam a evidência de que os anticorpos produzidos após uma infecção natural e sua imunidade potencial durariam pelo menos quatro meses”, disse Merit Melin, diretora de pesquisa do THL.

Uma das pesquisadoras admitiu que não há certeza sobre que tipo de imunidade é a que protege o organismo humano contra um novo contágio do novo coronavírus.

Além disso, ainda não é claro o tempo que persistem no organismo os anticorpos específicos do Sars-CoV-2, causador da Covid-19, já que pesquisas realizadas até hoje indicaram resultados divergentes. 

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes

Publicados

em


As mortes decorrentes da pandemia do novo coronavírus chegaram a 158.969, de acordo com o balanço do Ministério da Saúde divulgado na noite desta quinta-feira (29), a partir de dados das secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, foram registrados 513 óbitos. Ontem, o sistema de dados sobre a pandemia marcava 158.456 mortes geradas pela doença. Ainda há 2.333 falecimentos em investigação.

Ainda de acordo com o balanço do Ministério da Saúde, o número de pessoas infectadas com o novo coronavírus desde o início da pandemia atingiu 5.494.376. Entre ontem e hoje, foram notificados 26.106 novos diagnósticos positivos. Ontem, o sistema do ministério trazia 5.468.270 pessoas com covid-19 desde o início da pandemia.

Hoje o Ministério da Saúde também divulgou boletim epidemiológico mostrando que os casos por semana voltaram a crescer no país. Já as mortes seguem a trajetória de queda após quase dois meses de platô.

Conforme a atualização do ministério, ainda há 381.248 pacientes em acompanhamento. Outras 4.954.159 pessoas já se recuperaram da doença.

Covid-19 nos estados

Os estados com mais mortes são São Paulo (39.119), Rio de Janeiro (20.462), Ceará (9.326), Minas Gerais (8.916) e Pernambuco (8.599). As Unidades da Federação com menos óbitos são Acre e Roraima (692), Amapá (746), Tocantins (1.095) e Rondônia (1.454).

Boletim epidemiológico covid-19Boletim epidemiológico covid-19

Leia Também:  Cirurgia bariátrica é procedimento pouco acessível, diz associação
Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA