Momento Saúde

Laboratório suíço cria novo teste para detecção da varíola dos macacos

Publicados

em

source
Vírus da varíola dos macacos
Reprodução/Science Photo Library 25.5.2022

Vírus da varíola dos macacos

A farmacêutica suíça Roche anunciou o desenvolvimento de testes de PCR para diagnóstico da varíola dos macacos (monkeypox), à medida que a doença se espalha para um número cada vez maior de países.

A Roche e sua subsidiária TIB Molbiol desenvolveram três kits de teste para serem usados por pesquisadores. Eles já estão disponíveis na maior parte do mundo, de acordo com a empresa.

O primeiro kit detecta vírus do grupo ortopoxvírus em geral, incluindo as duas cepas causadoras da da varíola dos macacos. O segundo detecta apenas os vírus da varíola dos macacos, enquanto o terceiro detecta simultaneamente os ortopoxvírus e fornece informações sobre a presença ou não de um vírus da varíola dos macacos (cepa da África Ocidental e da África Central).

As ferramentas de diagnóstico são cruciais para responder e controlar os desafios emergentes de saúde pública à medida que avançam nas medidas de resposta, como esforços de rastreamento e estratégias de tratamento”, disse Thomas Schinecker, chefe de diagnóstico da empresa, em comunicado.

Leia Também:  Mortes por covid-19 caem 83% no 1º semestre na comparação com 2021

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS afirmou que um teste de reação em cadeia da polimerase (PCR) é o “teste laboratorial preferido, devido à sua precisão e sensibilidade”. A organização recomenda que as amostras sejam de lesões de pele e crostas secas, pois PCR com amostras de sangue geralmente são inconclusivos.

Ainda de acordo com a entidade, métodos de detecção de antígenos e anticorpos, como aqueles utilizados para o novo coronavírus, não distinguem entre os ortopoxvírus.

Até o último domingo, mais de 250 casos confirmados e suspeitos da doença foram relatados à agência de saúde, em 16 países fora da África Ocidental e Central, onde a doença é endêmica.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia Também:  SP vacina contra covid-19 e gripe em parques e na Avenida Paulista
Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Covid-19: Brasil registra 122 mortes e 45,5 mil casos em 24 horas

Publicados

em

O Brasil registrou, desde o início da pandemia de covid-19, 672.033 mortes pela doença, informa o boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (4) pelo Ministério da Saúde. O número total de casos confirmados da doença está em 32.535.923.

Em 24 horas, foram registrados 45.501 casos. No mesmo período, foram confirmadas 122 mortes de vítimas do vírus.

Ainda segundo o boletim, 30.967.114 pessoas se recuperaram da doença e 896.776 casos estão em acompanhamento. No levantamento de hoje, não consta atualização dos dados de Mato Grosso do Sul.

Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras ou nos dias seguintes aos feriados pot causa da redução de equipes que alimentam os dados sobre a doença. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral, há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico – 04/07/2022/Divulgação/ Ministério da Saúde

Estados

De acordo com os dados disponíveis, São Paulo lidera o número de casos, com 5,74 milhões, seguido por Minas Gerais (3,65 milhões) e Paraná (2,63 milhões).

Leia Também:  Conheça os 4 pilares da meditação

O menor número de casos é registrado no Acre (127,1 mil). Em seguida, aparecem Amapá (161,8 mil) e Roraima (161,9 mil).

O estado de São Paulo é o que apresenta o maior número de mortes pela doença (171.072), seguido pelo Rio de Janeiro (74.183) e por Minas Gerais (62.197).

O Acre é o que registra o menor número de mortes (2.005), seguido por Amapá (2.141) e Roraima (2.153).

Vacinação

Até hoje, foram aplicadas 450,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 177,4 milhões com a primeira dose e 157,7 milhões com a segunda dose. A dose única foi aplicada em 4,9 milhões de pessoas e 95 milhões já receberam a dose de reforço.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI