Momento Saúde

Médica é suspensa após postar vídeos dançando com pele e gordura de pacientes

Publicados

em


source
Cirurgiã Caren Trisoglio Garcia postou vídeos de pele de pacientes nas redes sociais
Reprodução/TikTok

Cirurgiã Caren Trisoglio Garcia postou vídeos de pele de pacientes nas redes sociais

A cirurgiã plástica Caren Trisoglio Garcia, que atende em Ribeirão Preto (SP), teve seu registro profissional temporariamente suspenso pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo ( Cremesp ). A suspensão aconteceu depois da médica compartilhar vídeos nas redes sociais que mostram pele e gordura de seus pacientes dentro de sacos plásticos.

De acordo com o G1, a suspensão aconteceu na quinta-feira (8), mas foi registrada no site do Cremesp neste sábado (10). O conselho afirmou que as investigações sobre a conduta da cirurgiã tramitarão em sigilo. Com o CRM inativo, ela não pode atender pacientes até o fim da investigação. Se irregularidades forem constatadas, ela pode perder o registro definitivamente.

Cirurgiã Caren Trisoglio Garcia dançada enquanto segurava pele e gordura de pacientes
Reprodução/TikTok

Cirurgiã Caren Trisoglio Garcia dançada enquanto segurava pele e gordura de pacientes

Nas redes sociais, Caren compartilha sua rotina de trabalho e, dentre os vídeos, já publicou imagens de pele humana e gordura de pacientes dentro de sacos plásticos. Nas imagens, ela aparece dançando enquanto segura os pedaços de pele. No TikTok , ela é acompanhada por mais de 600 mil pessoas.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica já havia suspendido a médica por seis meses por considerar os vídeos antiéticos e sensacionalistas. De acordo com a sociedade, a atitude de Caren infringe vários artigos do regimento interno, como o compartilhamento de imagens de partes do corpo ou de pré ou pós-operatórios, mesmo com autorização expressa do paciente.

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Lei que determina afastamento de gestante na pandemia é sancionada

Publicados

em


O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (12) a lei que que garante à empregada gestante o afastamento do trabalho presencial durante o período da pandemia de covid-19, sem prejuízo do recebimento do salário. 

O projeto de lei sobre o assunto, de autoria da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC), foi aprovado pelo Congresso Nacional no dia 15 de abril.

Conforme o texto, a funcionária gestante deverá permanecer à disposição do empregador em trabalho remoto até o fim do estado de emergência em saúde pública.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

Leia Também:  Marcelo Queiroga defende ciência e pesquisa no combate à Covid-19
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA