Momento Saúde

Médicos dizem que é preciso mais dados para avaliar terapia defendida por Trump

Publicados

em


source
Trump
Reprodução/Facebook

Presidente afirmou que defenderá liberação do medicamento

O presidente Donald Trump, que se recuperada da Covid-19, afirmou ter sido tratado com uma terapia experimental da Regeneron Pharmaceuticals. Na quarta-feira, Trump, que vive agora a campanha presidencial, elogiou os benefícios do tratamento e prometeu fornecê-lo de graça aos norte-americanos.

O uso amplo da terapia ainda não é permitida nos Estados Unidos e, desde a a declaração do presidente, muitos pacientes buscam a participação em testes clínicos de terapias semelhantes. Apesar da avaliação positiva, especialistas de saúde destavam que a eficiência do tratamento ainda não é comprovada.

Em entrevista à Agência Reuters, o méditco Drik Sostman, chefe de pesquisas do Hospital Metodista de Houston, disse que uma quantidade cada vez maior de pacientes tão pedindo para participar dos testes, mas que é preciso cautela a respeito do uso sem os dados necessários.

Leia Também:  Média de mortes por Covid-19 no estado de São Paulo cai 5%

Na quarta-feira, a empresa Regeneron apresentou à agência reguladora dos Estados Unidos um pedido de autorização emergencial. Em um vídeo publicado após sair do hospital, o presidente afirmou que defenderá a liberação do uso do medicamento e de outros da mesma natureza. Agora, a preocupação dos profissionais da área é de que o comportamento do presidentee pressione as agências reguladoras.

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida

Publicados

em


O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, apresentou hoje (24), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) o primeiro resultado positivo do estudo clínico com a nitazoxanida para o tratamento da covid-19. 

Coordenado pela pneumologista e professora da UFRJ Patrícia Rocco, o estudo teve publicação científica prévia apresentada no auditório da universidade, com a presença de Marcos Pontes e do secretário de Pesquisa e Formação Científica, Marcelo Morales.

O ministro afirmou que o medicamento é uma ferramenta no enfrentamento da covid-19. De acordo com Marcos Pontes, o estudo tem uma importância gigantesca, já que conseguiu demonstrar que a nitazoxanida reduz a carga viral. “Depois do final do tratamento de 5 dias, nos próximos sete dias após a medicação, tem pacientes que têm a carga viral negativada.”

O ministro disse ainda que a nitazoxanida “é ferramenta que a ciência oferece para os médicos e isso é importante para o Brasil e para o mundo”. “É uma ferramenta que vai nos ajudar não só para a saída da pandemia, como para no futuro, transformar o coronavírus em algo completamente tratável. Esse é só começo”, avaliou. 

Leia Também:  Como disputa entre Bolsonaro e Doria pode atrasar imunização contra Covid-19

A nitazoxanida é um vermífugo utilizado no Brasil para o tratamento do rotavírus e foi testada para a covid-19 em 475 pacientes sintomáticos do 1º ao 3º dia de sintomas. Durante os testes, 78% deles deixaram de apresentar sintomas após 5 dias seguidos de uso do medicamento.

Segundo o ministro, outros países já demonstraram interesse no estudo, o que, para ele, é um grande passo da ciência brasileira no combate à covid-19.

A professora Patrícia Rocco admitiu que o medicamento não é a “bala de prata” para a cura da doença, mas defendeu que o estudo foi bem desenhado para o redirecionamento do uso da droga para a covid-19.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA