Momento Saúde

O resort nudista que se tornou novo foco de Covid-19 na França

Publicados

em


source

BBC News Brasil

Entrada para a vila naturista

BBC

Para muitos dos naturistas europeus, e as dezenas de milhares de swingers entre eles, Cap d’Agde, na França, se tornou um destino tradicional de verão, mas um surto do novo coronavírus aqui trouxe uma atenção incômoda sobre seu estilo de vida alternativo.

Um dos países mais afetados pelo coronavírus na Europa, a França havia colocado em prática um dos confinamentos mais rigorosos da região, mas voltou a ver o número de infecções subir após o relaxamento da quarentena.

Após a chegada do verão no hemisfério norte, cenas de praias lotadas (comparáveis às imagens do Rio de janeiro com praias cheias) vêm provocando polêmica.

A França chegou a registrar um pico de 7 mil novos casos confirmados em um dia no fim de agosto. Esse foi o maior aumento diário desde março. Até o começo de setembro, a França registrava um total de mais de 320 mil casos e mais de 30 mil mortes.

Apesar do aumento exponencial de casos, os números de hospitalizações e mortes diárias permaneceram relativamente estáveis, segundo o governo, já que os jovens menos vulneráveis ​​à doença são a maioria dos novos infectados.

A área meridional de Hérault, e Cap d’Agde em particular, tem visto alguns dos maiores aumentos de infecção. A região do maior resort naturista da Europa tem foco no hedonismo.

Mas agora as autoridades de saúde, que montaram uma operação de teste móvel, descobriram que 30% dos 800 naturistas testados tiveram resultado positivo.

‘Todos nós sabemos por que estamos aqui’

Conhecida como a “vila naturista”, o resort é uma comunidade isolada com cerca de uma dúzia de clubes de swing e saunas, bem como discotecas eróticas que têm refúgios para casais.

É claro que nem todos os naturistas são swingers (que trocam de parceiros sexuais) e alguns visitantes preferem o vasto local de acampamento mais silencioso em frente à vila principal.

Entre os clubes que atraem swingers está o Balnéo-Club Le 2 & 2

BBC
Entre os clubes que atraem swingers está o Balnéo-Club Le 2 & 2

Mas em Cap d’Agde não há distanciamento social. “Todos estão em contato próximo o dia todo e, é claro, nus”, disse um casal que pratica swing à BBC.

Leia Também:  INSS atualiza para 351 peritos médicos que voltaram ao trabalho

“Todos nós sabemos por que estamos aqui. Existem muitos outros acampamentos de naturistas familiares mais tradicionais em outros lugares ao longo da costa, sem os clubes de sexo.”

pessoas no mar

Getty Images
Mesmo fora de temporada, o resort é popular. Todos os anos, centenas de pessoas dão um mergulho tradicional na véspera de Ano Novo

No auge do verão, a vila atrai cerca de 45 mil pessoas por dia, e a maioria fica lá por uma semana. Também há que visite por um final de semana e ou faça viagem de um dia.

Mas isso era antes da covid-19.

Como o surto começou

No final de agosto, dois funcionários de um hotel luxuoso na vila testaram positivo para covid-19.

Ozinn hotel

BBC
Dois funcionários testaram positivo neste hotel

O dono do hotel admitiu que uma festa obscena havia acontecido na cobertura e que as regras de distanciamento social haviam desaparecido.

“Fomos atingidos duplamente”, explicou David Masella, o gerente da “aldeia naturista”. “Quarenta por cento de nossos visitantes são estrangeiros, a maioria vem da Holanda e da Alemanha, seguidos por italianos e britânicos.”

David Masella

BBC
O gerente David Masella na entrada da vila naturista

“Com o vírus, muitos dos turistas estrangeiros regulares simplesmente ficaram longe este ano. E então, é claro, fomos atingidos pelo vírus, mas talvez isso fosse inevitável.”

“Com 10 mil vagas de camping e 15 mil vagas de hotel no próprio vilarejo, a densidade populacional aqui é sete vezes maior do que na cidade vizinha de Montpellier.”

Como as autoridades locais responderam

Autoridades de saúde francesas dizem que a taxa de resultados positivos do centro de testes móvel que montaram em Cap d’Agde é quatro vezes maior do que na área ao redor.

A equipe médica enfatizou que nenhum dos casos exigiu tratamento hospitalar urgente.

Aviso sobre uso de máscara em Agde

BBC
Aviso sobre uso de máscara em Agde

Como no resto de Agde, o uso de máscara dentro da vila é obrigatório. No entanto, as máscaras e o distanciamento social não combinam muito com o swing.

Jérôme e Nadège, um casal de 40 e poucos anos, se conheceram em um clube de swing em Bordeaux há alguns anos e foram morar juntos em Agde.

“A vila foi transformada da noite para o dia de um local mágico para um local trágico”, disse Nadège. “Claro que todos nós temos corrido riscos, mas o bloqueio foi tão difícil e longo que foi importante para o nosso bem-estar relaxar as medidas.”

‘É o público mais jovem que assumiu mais riscos’

Allen e sua esposa estavam sentados à minha frente, ambos nus, exceto pelas viseiras transparentes cobrindo seus rostos.

Eles estão na casa dos 60 anos e acreditam que é injusto isolar a vila.

Leia Também:  Doações de órgãos caíram 40% com pandemia

“Na nossa idade, é claro, somos mais cautelosos sobre onde vamos e com quantas pessoas temos contato próximo”, disse Allen. “É a multidão mais jovem que correu mais riscos, mas não é só aqui. Há surtos em todo o país, onde quer que os jovens se reúnam.”

Agde

BBC
A antiga cidade de Agde fica próxima, mas é muito diferente da vila naturista

No momento em que o surto surgiu, as autoridades locais ordenaram o fechamento temporário de muitos dos clubes e bares da vila onde acontecia muita interação física.

Um deles era o resort Waiki Beach.

“Acabei de afastar 22 funcionários. A temporada acabou”, disse o diretor Karim Issartel. “Com certeza nosso clube é conhecido por suas festas na piscina lotadas, e as autoridades disseram que isso não pode continuar.”

Karim Issartel

BBC
Karim Issartel, chefe do clube Waiki Beach, teve de afastar 22 funcionários por causa do surto

Outro famoso ponto turístico local para a comunidade swinger é a boate Le Glamour. Associado a festas com nudez e espuma com até mil pessoas, foi condenado a fechar em março.

Cartazes sugestivos em toda a cidade de Agde incentivam os clientes a serem pacientes, com a promessa de que o Le Glamour será reaberto.

‘Ninguém está com vontade de se divertir’

Philippe Barreau tem uma lojas de roupas eróticas na vila há 30 anos e, como chefe da forte associação de 120 empresas daqui, ele tem visto resultados muito ruins.

Philippe Barreau em sua loja de roupas sensuais

BBC
Philippe Barreau em sua loja de roupas sensuais

“Somos extremamente importantes para a economia local: 300 dos 800 funcionários que trabalham aqui foram afastados. Perdi 80% do meu negócio e não sou o único.”

“No momento, há apenas 5 mil pessoas hospedadas aqui. Nesta época do ano, deveriam ser 25 mil. Ninguém está com vontade de se divertir.”

Mas os swingers que encontrei admitiram que o coronavírus não havia interrompido completamente a atividade sexual não monogâmica. Vários me disseram que se tornaram ainda mais exibicionistas.

Na praia, muitas das mulheres usavam joias no corpo, enquanto os homens desfilavam com os pelos do corpo raspados.

Muitos daqueles com cinquenta e poucos anos e início dos sessenta claramente se orgulhavam de sua aparência, e havia casais mais jovens também.

À noite, a maioria veste roupa para ir aos bares e restaurantes ao ar livre ao longo da praia ou à marina privada da vila.

Por enquanto, as autoridades estão pedindo aos turistas que planejam visitar a vila para ficarem longe.

Aqueles que vão embora no final das férias estão sendo incentivados a fazer o teste para não espalharem o vírus ao voltarem para casa.

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Brasil adere a aliança para aceleração da vacina contra a covid-19

Publicados

em


.

O governo federal anunciou nesta quinta-feira (24) a adesão ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (Covax Facility), ação administrada pela Aliança Gavi e a liberação de cerca de R$ 2,5 bilhões para viabilizar o ingresso do Brasil nesta iniciativa.

Segundo o governo, os países são convidados a participar do grupo e poderão se beneficiar, ao ter garantido o acesso ao fornecimento das vacinas disponibilizadas por meio da Covax Facility. Dessa forma, espera-se que o Brasil possa comprar imunizantes para garantir a proteção de 10% da população até o final de 2021, o que permite atender populações consideradas prioritárias.

A adesão permitirá o acesso ao portfólio de nove vacinas em desenvolvimento, além de outras em análise. Com a diversificação de possíveis fornecedores, aumentam as chances de acesso da população brasileira à vacina no menor tempo possível. Caberá à Covax Facility negociar com os fabricantes o acesso às doses das vacinas em volumes especificados, os cronogramas de entrega e os preços.

A Covax Facility é uma aliança internacional da Organização Mundial de Saúde (OMS), Gavi Alliance e da Coalition for Epidemic Preparedeness Innovations (CEPI), que tem como principal objetivo acelerar o desenvolvimento e a fabricação de vacinas contra a covid-19 a partir da alocação global de recursos para que todos os países aderentes à iniciativa tenham acesso igualitário à imunização.

Leia Também:  Número de mortes por Covid-19 nos EUA chega a 200 mil

De acordo com Palácio do Planalto, a iniciativa não impede que o país realize acordos bilaterais com outras empresas biofarmacêuticas produtoras de vacinas contra a covid-19 que não estejam contempladas pela iniciativa global. Também não ficam impedidas iniciativas já realizadas pelo Brasil com as biofarmacêuticas que fazem parte da iniciativa global.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA