Momento Saúde

Saiba como identificar depressão em crianças durante o isolamento

Publicados

em


source
Crianças
Pixabay/Reprodução

Dores de cabeça e abdominais, fadiga e tontura são as queixas mais frequentes das crianças em depressão

A quarentena aumentou os níveis de depressão e estresse na sociedade brasileira. Um estudo conduzido pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro apontou que a casos de depressão registram acréscimo de 50%, enquanto ansiedade e estresse aumentam em 80%.

Os efeitos da quarentena afetam as crianças de forma particular. Por não entenderem a gravidade da pandemia e estarem distantes de círculos sociais naturais para o desenvolvimento, especialistas alertam para os sinais de uma possível depressão.

“Dores de cabeça e abdominais, fadiga e tontura são as queixas mais frequentes das crianças. Já na adolescência, os sintomas são mais próximos aos dos adultos, como tristeza, esgotamento afetivo e social e transtornos alimentares”, diz a psicóloga Adriana Cabana, do grupo Prontobaby.

Leia Também:  Coronavírus: Inglaterra ameaça multar em até R$ 71 mil quem não respeitar isolamento

Segundo a especialista, a atividade física pode auxiliar crianças e adolescentes que estejam se sentindo deprimidos. “Além da sensação de bem-estar, estimula o convívio em grupos, a internalização da disciplina e o controle da ansiedade”, diz Cabana. “O excesso de energia que as crianças têm precisa ser liberada, e o sedentarismo aliado ao isolamento social faz com que outros problemas aconteçam, como obesidade infantil, irritabilidade e intolerância a frequentar outras atividades sociais.”

O mês amarelo

De acordo com a especialista, é fundamental analisar as mudanças de comportamento durante o isolamento social. “Atenção ao discurso de menos valia, de depreciação de si mesmo e de atividades que antes eram prazerosas”, diz. “Isolamento, choro sem motivo e irritabilidade também estão entre os principais sintomas”.

Caso o adulto responsável considere necessário, é importante buscar ajuda profissional. “Procure ajuda caso evidencie esses sintomas e, no caso de verbalização explícita de vontade de morrer, não deixe a criança sozinha em hipótese alguma. Procure ajuda imediatamente”, alerta Cabana. 

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Covid-19: Brasil registra 1.031 mortes nas últimas 24 horas

Publicados

em


O boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta quarta-feira (30), revela que o Brasil tem 4.810.935 casos confirmados acumulados do novo coronavírus.

Nas últimas horas, foram 33.413 novos casos confirmados de covid-19.

O país voltou a registrar mais de mil óbitos por dia, decorrentes da covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 1.031 mortes por covid-19. O total chega a 143.952. 

O último registro acima de mil mortes ocorreu em 15 de setembro. 

Registro diário de mortes provocadas por covid-19 no Brasil
DATA 15/9 16/9 17/9 18/9 19/9 20/9 21/9 22/9 23/9 24/9 25/9 26/9 27/9 28/9 29/9 30/9
ÓBITOS 1.113 987 829 858 739 363 377 836 869 831 729 869 335 317 863 1.031

Segundo o Ministério da Saúde, atualmente, 10,1% dos pacientes estão em acompanhamento (486.607) e 86,9% dos brasileiros que contraíram covid-19 estão recuperados (4.180.376).

As autoridades de saúde ainda investigam se outras 2.466 mortes foram provocadas por coronavírus.  

Onde há mais casos de covid-19 no Brasil

*Casos acumulados desde o início da pandemia

São Paulo = 985.628

Leia Também:  SP vai começar a destinar leitos de UTI para outras doenças graves

Bahia = 310.526

Minas Gerais = 295.169

Rio de Janeiro = 264.783

Ceará = 241.159

Onde há mais mortes por covid-19 no Brasil 

São Paulo = 35.622

Rio de Janeiro = 18.487

Ceará = 8.994

Pernambuco = 8.251

Minas Gerais = 7.360

Boletim epidemiológico covid-19Boletim epidemiológico covid-19

Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

 

 

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA