Momento Tecnologia

Apple ultrapassa Samsung e assume liderança mundial de smartphones

Publicados

em


source

Olhar Digital

Apple se torna a maior fabricante de celulares do mundo
Getty Images

Apple se torna a maior fabricante de celulares do mundo

Segundo um relatório do Gartner Group, no quarto trimestre de 2020 (Q42020) a Apple ultrapassou a Samsung e se tornou a maior fabricante de smartphones do mundo, com quase 80 milhões de aparelhos vendidos no período e 20% do mercado global.

Você viu?

Isso representa um crescimento de quase 15% em relação ao mesmo período de 2019, quando a empresa vendeu cerca de 70 milhões de aparelhos e tinha 17,1% do mercado. Enquanto a empresa de Tim Cook cresceu, a rival sul-coreana encolheu: a empresa viu suas vendas caírem 11,8% em um ano, de 70,4 milhões de unidades (Q42019) a 62,1 milhões neste ano.

É a primeira vez desde 2016 que a Apple fica à frente da Samsung no ranking. Segundo Anshul Gupta, diretor sênio de pesquisa no Gartner, o crescimento da Apple pode ser diretamente atribuído ao fato de que os iPhone 12 são os primeiros aparelhos no mercado compatíveis com redes 5G.

Leia Também:  Xiaomi lança Redmi K40 com especificações poderosas a partir de R$ 1,7 mil

“Mesmo que os consumidores tenham sido cautelosos com seus gastos e adiado algumas compras não-essenciais, smartphones 5G e com recursos de câmera profissionais encorajaram alguns usuários a comprar novos smartphones ou atualizar seus aparelhos atuais neste trimestre”.

Os números do Gartner também deixam claro o impacto que as sanções impostas pelos EUA estão tendo na Huawei , que teve uma queda de mais de 41% no número de aparelhos vendidos em relação a 2019 (de 58,3 para 34,3 milhões) e cai da terceira para a quinta posição no ranking de fabricantes, com 8,9% do mercado.

De fato, as únicas empresas que viram aumento de vendas no Q42020 foram a Apple e a Xiaomi . A fabricante chinesa foi a que teve o maior crescimento, com um salto de 33,9% nas vendas, de 32,4 milhões para 43,4 milhões de unidades.

Leia Também:  Google coleta dados até na navegação anônima, diz juíza dos EUA

Propaganda

Momento Tecnologia

Facebook paga R$ 3,6 bilhões a usuários para encerrar processo nos EUA

Publicados

em


source

Olhar Digital

Facebook fecha acordo com EUA
Unsplash

Facebook fecha acordo com EUA

A justiça dos Estados Unidos confirmou um acordo para o Facebook pagar US$ 650 milhões a moradores de um estado por violação de privacidade envolvendo sistemas de reconhecimento facial . A decisão faz parte de um processo movido por 1,6 milhão de moradores do estado de Illinois – todos receberão uma pequena parcela da quantia paga pela rede social para quitar o processo.

Você viu?

O caso é antigo e vem de 2015, quando o advogado Jay Edelson processou o Facebook alegando que o uso do sistema de reconhecimento facial para marcar pessoas em fotos violava uma lei estadual de Illinois que impede o armazenamento de dados biométricos sem consentimento do usuário. Novas pessoas foram se juntando ao caso, até superar a marca de 1,6 milhão de envolvidos.

Todo o valor disponibilizado pelo Facebook será distribuído entre os usuários da rede social que vivem em Illinois e “cujas fotos estão no site a partir de 2011”. Três das pessoas que processaram o Facebook receberão US$ 5 mil, enquanto o restante ficará com US$ 345 cada.

Leia Também:  Novo vazamento pode ter exposto cartões de crédito de 12 milhões de brasileiros

O juiz James Donato, da Califórnia, também disse que o Facebook deve pagar a multa o mais rápido possível. Donato também chamou o acordo de “uma grande conquista para consumidores na altamente contestada área de privacidade digital”.

Facebook celebra acordo e pagará multa

Em um comunicado, o Facebook comemorou ter enfim finalizado o processo. “Estamos felizes em chegar a um acordo para que possamos deixar essa questão para trás, que é o melhor para os interesses da nossa comunidade e acionistas”.

A rede social já alterou a forma como o reconhecimento facial para marcação funciona, e usuários têm a opção de escolher se querem ou não que seus dados sejam armazenados pelo Facebook. O Facebook tinha oferecido US$ 100 milhões a menos, mas aumentou a proposta, já que um juiz negou a anterior, alegando que a empresa não seria “punida adequadamente”.

Leia Também:  De graça! 'PUBG: New State' será lançado para Android e iOS; confira

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA