Momento Tecnologia

Controle do PlayStation 5 terá botão Disney+ no Brasil, revela documento

Publicados

em


source
PlayStation Disney+
Divulgação/Sony

Controle do PlayStation 5 em seu modelo neutro, sem botões específicos

A Sony fechou uma parceria de peso com o Disney+ . O Tecnoblog obteve com exclusividade o manual de instruções do novo controle de mídia do PlayStation 5 , que conta com um botão dedicado para a plataforma de streaming .

A fabricante japonesa também conseguiu a aprovação da Anatel para vender um controle remoto de TVs com um atalho para o novo serviço, que será lançado no Brasil em 17 de novembro .

PlayStation 5
Tecnoblog

Documento mostra que controle do PlayStation 5 terá botão para o Disney +

Controle de mídia do PS5 tem comandos de voz e Disney+

O manual de instruções do controle de mídia do PlayStation 5 (modelo CFI-ZMR1) possui quatro botões dedicados para serviços de streaming, entre eles o Disney+. Em relação ao modelo do PS4 , há ainda um novo botão de microfone. “Fale no seu controle remoto multimídia para operar seu console PS5 e iniciar um jogo ou controlar sua mídia”, diz o documento.

Leia Também:  TikTok removeu mais de 100 milhões de vídeos da plataforma

A presença de um botão dedicado para uma plataforma de streaming envolve negociações entre empresas: uma fabricante de TV pode obter benefícios ao expor a marca de um serviço de filmes no controle remoto, por exemplo, já que tem o potencial de atrair novos assinantes para a empresa parceira. No caso do Brasil, o quarteto Disney+ , Netflix , Spotify e YouTube foi o escolhido.

Os contratos entre as empresas e, consequentemente, a escolha dos serviços de mídia que estampam os botões, podem variar de acordo com a região. É por isso que a foto de divulgação oficial do controle de mídia do PS5 não possui nenhuma plataforma de streaming: a Sony poderia fazer uma parceria com o Hulu em vez do Spotify nos Estados Unidos, ou com o Apple TV+ em vez do Disney+ em outra região, por exemplo.

PS5 deve ser lançado em 17 de novembro ou depois

O fato de o manual de instruções em português do Brasil do controle de mídia do PS5 estampar o serviço de streaming Disney+ indica que o novo console só deve chegar ao país e ao resto do mundo em 17 de novembro ou depois. Isso porque não faria sentido fechar uma parceria para um serviço de streaming que ainda não está disponível localmente.

Leia Também:  Atualização para iOS 14 pode apagar Fortnite do iPhone, avisa Epic

Com isso, o lançamento do PlayStation 5 deve ocorrer depois dos novos Xbox Series S e X , que chegam ao mundo em 10 de novembro . Oficialmente, a Sony não confirma a data de lançamento ou o preço do videogame , limitando-se a informar que o console será lançado a tempo das festividades de fim de ano.

Parceria entre Sony e Disney+ se estende às TVs

A parceria entre Sony e Disney+ não ficará apenas no PlayStation 5: as futuras TVs da marca também terão um destaque para o novo serviço de streaming. Os controles remotos RMF-TX621B e RMF-TX520B, também homologados na Anatel , possuem o atalho para a plataforma da Disney, além de YouTube, Netflix e Amazon Prime Video.

Nas cores preta ou prata, os novos controles remotos das TVs da Sony são os mesmos que equipam modelos como a X905H, ainda não lançada no Brasil. A TV, junto com a Z8H, será uma das primeiras do mercado com o selo “ideal para PlayStation 5 “, por ter baixa latência e ser capaz de rodar jogos em 4K a 120 fps com HDMI 2.1, um dos chamarizes da nova geração de consoles.

Propaganda

Momento Tecnologia

LGPD: primeiro processo com base na nova lei tem sentença proferida

Publicados

em


source

Olhar Digital

LGPD
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Lei Geral de Proteção de Dados começou a valer na última semana

A primeira Ação Civil Pública com base na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) , que entrou em vigor no último dia 18 , teve sua sentença proferida na terça-feira (22), pelo juiz Wagner Pessoa Vieira, da 5.ª Vara Cível de Brasília. Trata-se do caso do site “Lembrete Digital”, que comercializava milhões de dados de brasileiros. A nova norma exige o tratamento adequado de informações neste sentido.

Na decisão, o juiz de direito afirmou que a “presente ação não merece prosperar”. O despacho foi motivado, ainda de segundo o magistrado, pela retirada do site do ar, pois constatou que o domínio lojainfortexto.com.br está “em manutenção”.

“Esse fato [de o site estar em manutenção], provavelmente, decorre da circunstância de que, com o recente início de vigência da Lei 13.709/18, ocorrido em 18/09/2020 (sexta-feira passada), os responsáveis pelo sobredito sítio devem estar buscando adequar os seus serviços às normas jurídicas de proteção de dados pessoais”, afirma o juiz Wagner Vieira na sentença.

Leia Também:  Marca lança máscara 'de astronauta' contra a Covid-19 por R$1 mil

O documento ainda esclarece que o magistrado entendeu que, neste momento, não há “interesse processual do autor para agir através desta ação civil pública”. Isto porque o site estar em manutenção evidencia que não há risco de lesão ou ameaça a ser justificada. “A pretensão de tutela inibitória deduzida na inicial, com o que a presente ação se torna inútil”, explica a sentença.

Sobre a decisão, ainda cabe lembrar que o juiz de direito não julgou mérito. Isso significa que ele encerrou o processo em virtude do fato que impossibilita ações mais abrangentes.

De qualquer forma, o caso ainda pode ser investigado novamente pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) se a página voltar ao ar ou mudar de nome. Outro caminho para que o MPDFT recorra à sentença é justificar ser possível saber os nomes dos envolvidos, mesmo com o site fora da web.

Entenda o caso

A ação foi apresentada pelo MPDFT no último dia 21 com alegações de que o site intitulado “Lembrete Digital” estaria promovendo a comercialização indiscriminada, e fora dos novos padrões da LGPD , de dados de milhões de brasileiros.

Leia Também:  Cansou da Netflix? Novo streaming mostra o cotidiano de ursinhos órfãos

Apenas de residentes naturais de São Paulo, foram contabilizados mais de 500 mil pessoas atingidas. Os dados englobavam não só nome e telefone, por exemplo, mas e-mails, endereços postais, cidades, estados, etc.

Com a entrada da LGPD , o MP apresentou a ação acusando o site de violação à privacidade , intimidade, imagem, entre outros direitos assegurados pela Constituição Federal. A norma recepcionada prevê o tratamento correto e autorizado de dados pessoais , sendo necessária a autorização do titular da informação para o uso do material.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA