Momento Tecnologia

Google Maps mostra casos de Covid-19 e ônibus cheio; confira as novidades

Publicados

em


source

Olhar Digital

google maps
Unsplash/henry perks

Google Maps apresenta novidades

O Google anunciou um trio de novidades para usuários do Google Maps , a fim de garantir uma celebração de fim de ano mais segura em meio à pandemia de  Covid-19 . Todas elas são expansões de  funções que o aplicativo de GPS já apresentava há alguns meses, mas que agora prometem ser bem mais informativas.

Covid-19: Infecções por localidade

A primeira e talvez a mais evidente das novidades está prometida pelo Google para ” antes das festas “, presumindo uma data anterior a 25 de dezembro, quando entra o feriado de Natal.

O Google Maps passará a informar o volume de casos confirmados de Covid-19 por região, para permitir que usuários se planejem melhor caso pensem em viajar ou visitar algum lugar em família e evite o novo coronavírus (Sars-Cov-2).

“O layout atualizado em breve mostrará, em dispositivos Android e iOS , informações sobre o número total de casos detectados em uma área, com links rápidos para recursos das autoridades locais sobre a Covid-19. Isso é especialmente útil para quem estiver viajando e precisar se atualizar sobre orientações específicas, centros de testes e restrições vigentes no local”, disse o Google em seu blog oficial.

Leia Também:  Rede social trumpista processa Amazon após ser banida da internet

Ocupação de transporte público em tempo real

Ainda para aqueles que buscam sair ao final do ano para as celebrações, o recurso que avalia a ocupação média de ônibus e metrô segue disponível, agora exibindo esse tipo de informação em tempo real. A grosso modo, quem buscar por uma rota de transporte público via Google Maps, o app agora mostrará o quão cheio ou vazio estará o ônibus que o levará até o destino, na hora – o que deve facilitar a prática de distanciamento social.

“Com um dispositivo Android ou iOS, será possível conferir se, naquele exato momento, seu ônibus, trem ou metrô está lotado demais, com base em informações em tempo real fornecidas por usuários do Google Maps de todo o mundo (sempre que esses dados estiverem disponíveis)”, escreve a empresa em seu blog.

Vale citar que a informação de ocupação do transporte público é feita pelos próprios usuários do Google Maps. Quando o usuário entra em um ônibus recomendado pelo GPS , ele pergunta se o coletivo está cheio ou vazio, se há espaço para sentar ou se tem que viajar em pé. Com base nestes dados é que o novo recurso deve funcionar com mais profundidade.

Comida de fim de ano, com segurança

Finalmente, o Google Maps também vai avaliar informações disponíveis sobre restaurantes que estejam fazendo reservas de fim de ano, bem como as práticas de segurança tomadas pelo estabelecimento a fim de oferecer uma refeição comemorativa mais segura aos seus clientes. Para os adeptos do delivery , o Maps também vai informar a hora exata de retirar a comida no local ou esperar pela entrega em casa.

Leia Também:  Parler quer que juíza force Amazon a colocar rede social no ar; entenda

“Para aqueles que preferem não preparar pratos elaborados nas festas de fim de ano, estamos lançando um recurso que permite visualizar informações sobre reservas em restaurantes ou a situação de pedidos feitos pelo Google Maps a partir de um dispositivo Android ou iOS para delivery ou retirada em loja. Você saberá a hora exata de ir ao restaurante ou de esperar a entrega na porta de casa”.

Os novos recursos do Maps estão sendo implementados de forma gradual, mas já devem começar a aparecer para alguns usuários. O Google aproveitou o anúncio para compartilhar alguns números que tornam esses avanços possíveis: “Para garantir as informações mais precisas e atualizadas possível, contamos com 170 bilhões de imagens de alta definição do Street View de 87 países, com contribuições de centenas de milhões de empresas e pessoas que usam o Google Maps, além de dados oficiais de mais de 10 mil governos locais e organizações e agências de trânsito”.

Propaganda

Momento Tecnologia

Tuíte de Bolsonaro sobre Covid-19 é sinalizado por ter “informações enganosas”

Publicados

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR

Bolsonaro tem criticado prefeitos e governadores que não seguiram a orientação do Ministério da Saúde de recomendar o tratamento precoce contra a Covid-19

O Twitter sinalizou uma publicação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por ter “informações enganosas e potencialmente prejudiciais” acerca da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). De acordo com o alerta, o conteúdo do tuíte viola as regras da rede social.

Captura de tela do tuíte do presidente Jair Bolsonaro
Reprodução/Twitter

Captura de tela do tuíte do presidente Jair Bolsonaro

Na publicação, Bolsonaro fala sobre o tratamento precoce da Covid-19 e diz que o uso de medicamentos antimaláricos podem reduzir a progressão da doença, prevenir a hospitalização e diminuir a mortalidade de pacientes. Não há comprovação científica alguma de que os remédios citados pelo presidente sejam eficazes contra a Covid-19.

Embora a publicação tenha sinalizada, ela não foi tirada do ar pelo Twitter. A justificativa foi a de que ela ainda poderia ser de interesse público. A rede social, no entanto, está limitando o alcance do tuíte e não está permitindo que usuários interajam com ela.

A única coisa que é possível fazer é retuitar a publicação. Mesmo assim, a maioria das republicações também está marcada como violadora das regras de uso do Twitter.

Esta não foi a primeira vez que o Twitter agiu contra postagens do presidente. Em março de 2020, tuítes de Bolsonaro foram apagados também por violação de regras relacionadas a conteúdos que envolvam a pandemia.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA