Momento Tecnologia

Samsung lança TVs Neo QLED com pretos mais profundos por até R$ 90.999

Publicados

em


source

Tecnoblog

Samsung traz novos televisores para o Brasil
Divulgação/Samsung

Samsung traz novos televisores para o Brasil

A Samsung lançou nesta quinta-feira (6) sua nova linha de TVs premium com tecnologia QLED . O destaque está no Neo QLED, que combina o painel de pontos quânticos da empresa com um backlight mais preciso em Mini LED, que tende a oferecer contraste maior e pretos mais profundos que a geração anterior. As QLED comuns também receberam atualizações e virão com um novo controle remoto solar.

Samsung Neo QLED 8K e 4K têm pretos mais precisos

As TVs Neo QLED são a principal novidade da Samsung em 2021. São quatro modelos, sendo dois 8K (QN900A e QN800A) e dois quatro 4K (QN90A e QN85A). O painel continua sendo o tradicional LCD com um filtro de pontos quânticos para melhorar a precisão das cores, mas o backlight é totalmente novo: trata-se do Mini LED , que utiliza milhares (em vez de centenas) de LEDs para controlar o brilho e o contraste da imagem.

Os pixels de uma tela LCD não emitem luz própria; eles precisam de uma fonte de iluminação traseira para reproduzir imagens coloridas. Até então, as TVs LCD mais caras, como as QLEDs, dividiam a iluminação em centenas de zonas: isso permitia exibir pontos brilhantes e escuros em diferentes regiões da imagem, melhorando o contraste. O Mini LED, por utilizar LEDs bem menores, aumenta em 40 vezes a precisão desse recurso de escurecimento local.

A tendência é que as imagens das TVs Neo QLED tenham um preto mais parecido com o das TVs OLED , que são a aposta da concorrente LG . O evento de lançamento da Samsung , inclusive, foi recheado de indiretas envolvendo o burn-in, problema de retenção de imagem permanente que pode afetar telas OLED e é praticamente impossível de acontecer no LCD.

Leia Também:  Google Chrome tem nova falha grave de segurança sendo usada por hackers

QN900A 8K traz som de 6.2.2 canais de 80 watts

A Neo QLED mais cara, a QN900A com resolução 8K, traz um recurso chamado Som em Movimento Pro: ela possui alto-falantes de 6.2.2 canais espalhados pela tela que acompanham o movimento da imagem para aumentar a imersão sonora. Você também pode conectar uma soundbar compatível da Samsung e utilizá-la em conjunto com o som integrado, para manter a imersão e sentir os graves.

Você viu?

A 8K imediatamente abaixo, a QN800A, continua com recursos como HDR10+ adaptativo (e nada de Dolby Vision ainda), taxa de atualização de 120 Hz e o One Connect, que centraliza as conexões em uma caixa externa e elimina a bagunça de cabos atrás da TV . As diferenças ficam por conta do número de zonas de iluminação e do design, que ainda tem moldura bem fina, mas não “tela infinita” como na QN900A.

Já as TVs Neo QLED 4K, QN90A e QN85A, trazem o backlight em Mini LED para uma resolução menor e um tamanho mais compacto, começando em 55 polegadas. Não há One Connect (poxa!), mas todas têm o novo controle remoto SolarCell, que substitui as velhas pilhas AAA por uma bateria recarregável por energia solar ou cabo USB-C.

E, como você poderia esperar, as primeiras TVs da Samsung com tecnologia Mini-LED serão vendidas por preços bem altos:

  • Samsung Neo QLED QN85A 4K (55 polegadas): R$ 9.999
  • Samsung Neo QLED QN85A 4K (65 polegadas): R$ 12.999
  • Samsung Neo QLED QN90A 4K (65 polegadas): R$ 14.999
  • Samsung Neo QLED QN85A 4K (85 polegadas): R$ 26.999
  • Samsung Neo QLED QN800A 8K (65 polegadas): R$ 19.999
  • Samsung Neo QLED QN800A 8K (75 polegadas): R$ 28.499
  • Samsung Neo QLED QN800A 8K (85 polegadas): R$ 56.499
  • Samsung Neo QLED QN900A 8K (85 polegadas): R$ 90.999
Leia Também:  Dia dos Namorados: Facebook e Instagram têm novos recursos para comemorar a data

TVs QLED “normais” da Samsung: Q60A, Q70A e Q80A

Apesar de ter lançado as Neo QLED, a Samsung também atualizou suas TVs QLED sem backlight em Mini LED. São três modelos (Q60A, Q70A e Q80A), que prometem brilho, contraste e volume de cores superiores aos da Crystal UHD AU8000 e AU7700, reveladas no Brasil nesta quinta-feira. Especialmente na Q70A e Q80A, que têm taxa de atualização de 120 Hz, a Samsung foca no público gamer (e manda outra indireta para o OLED ao oferecer 10 anos de garantia contra burn-in).

A Q80A tem full-array local dimming (FALD) para controlar a iluminação com mais precisão e melhorar o contraste e a precisão do preto. Os alto-falantes integrados têm 2.2.2 canais e suportam o Som em Movimento, além de trabalharem em conjunto com uma soundbar compatível com o Sincronia Sonora. Ela será vendida em versões de 55 e 65 polegadas no Brasil.

Já a Q70A estará disponível em uma variedade maior de tamanhos, de 55 a 85 polegadas. A principal baixa aqui é a falta do full-array local dimming, repetindo a limitação da antecessora Q70T. Mas ela ainda traz o Motion Xcelerator Turbo+, nome bonito que a Samsung deu para o suporte a 4K em 120 Hz na porta HDMI 2.1, que pode ser interessante para gamers que querem aproveitar o potencial do PlayStation 5 , Xbox Series X ou um PC potente.

Por fim, a Q60A é a QLED mais básica. Espere algo mais próximo das TVs de entrada da Samsung , com tela de 60 Hz, alto-falantes básicos (2.0 canais e 20 watts) e HDR10+ básico, mas com adicionais como controle remoto solar, SmartThings para gerenciar os dispositivos inteligentes da casa e volume de cores maior graças aos pontos quânticos.

As novas TVs QLED da Samsung estão disponíveis a partir desta quinta-feira (6) com os seguintes preços:

  • Samsung QLED Q60A (50 polegadas): R$ 4.999
  • Samsung QLED Q60A (55 polegadas): R$ 5.999
  • Samsung QLED Q70A (55 polegadas): R$ 6.799
  • Samsung QLED Q60A (65 polegadas): R$ 7.699
  • Samsung QLED Q80A (55 polegadas): R$ 7.699
  • Samsung QLED Q70A (65 polegadas): R$ 8.499
  • Samsung QLED Q80A (65 polegadas): R$ 10.999
  • Samsung QLED Q70A (75 polegadas): R$ 11.999
  • Samsung QLED Q70A (85 polegadas): R$ 16.999

Propaganda

Momento Tecnologia

Taxi aéreo para 40 passageiros pode ser o futuro do transporte público

Publicados

em


source
Startup americana  apresenta projeto de ônibus voador elétrico
Reprodução /Nova York Kelekona

Startup americana apresenta projeto de ônibus voador elétrico

No futuro, o transporte de passageiros e até mesmo de carga poderá ser feito com uso de um ônibus voador elétrico. Ao menos é isso o que promete a startup de Nova York Kelekona, que apresentou um projeto conceitual de um veículo do tipo com capacidade de ser um táxi aéreo para até 40 passageiros sentados.

Com design futurista – uma espécie de mistura de dirigível com disco voador -, o ônibus voador elétrico ainda está em estudos, mas seu criador, Braeden Kelekona, tem planos ousados para o ele. O empreendedor acredita que a aeronave terá papel importante no transporte público do futuro, oferecendo viagens longas e rápidas a preços mais baixos do que os oferecidos atualmente.

Para isso, é preciso que a aeronave aguente bastante tempo no ar, e a Kelekona diz que planeja capacidade similar à bateria do Tesla Model 3 em um modelo que roda a 3,6 megawatt hora – nível de energia suficiente para alimentar centenas de casas.

Leia Também:  Apple e Gradiente voltam a brigar na Justiça por uso do nome 'iPhone'

A Kelekona não é a única empresa trabalhando em veículos do tipo. A Uber também planeja um serviço de táxi aéreo chamado Uber Elevate , previsto para ser lançado lá fora em 2023. Com capacidade de transportar quatro passageiros e um piloto, o projeto da Uber teria uma grande desvantagem em relação ao da Kelekona, que teria espaço para 10 vezes mais passageiros.

Táxi aéreo rápido como avião, barato como trem

Os planos ousados da Kelekona envolvem criar, no futuro, diversas rotas aéreas para seus veículos. O primeiro trajeto em estudo é entre Manhattan e os Hamptons – entre a cidade de Nova York e os subúrbios. Atualmente, empresas aéreas cobram US$ 85 para um voo de 30 minutos – a Kelekona faria o mesmo trajeto em tempo semelhante, mas com preço equivalente ao de uma passagem de trem.

Você viu?

Vale ressaltar, no entanto, que tudo isso não passa de promessa, ao menos por enquanto. A Kelekona ainda não conseguiu construir um modelo próprio para testes, realizando estudos com simulação em computadores. Mas, se tudo der certo, a empresa planeja fazer o primeiro voo para carga em 2022 e iniciar em 2024 o transporte de passageiros humanos.

O post Taxi aéreo para 40 passageiros pode ser o futuro do transporte público apareceu primeiro em Olhar Digital .

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA