Momento Tecnologia

WhatsApp enfim prepara função para impedir que conta seja roubada

Publicados

em

WhatsApp cria nova ferramenta de segurança
Unsplash/Mourizal Zativa

WhatsApp cria nova ferramenta de segurança

Os golpes para roubar contas do WhatsApp podem estar com os dias contados. A equipe do mensageiro está preparando uma opção para impedir que a linha seja tomada depois que o usuário oferece o código de seis dígitos enviado via SMS a criminosos depois de receber uma oferta falsa. É o que conta o WABetaInfo.

O recurso deu as caras na versão 2.22.17.22 do WhatsApp Beta para Android. Trata-se de uma notificação para aprovar a transferência da conta para um smartphone diferente, caso alguém solicite a migração em outro aparelho. Assim, será possível impedir que o número seja roubado por golpistas.

O alerta vai aparecer no celular conectado à conta logo após a solicitação da troca. Quando alguém digitar o código de seis dígitos para comprovar a autenticação, o app irá emitir a notificação “Permitir mover sua conta do WhatsApp para outro telefone?”. Em seguida, haverá opções para confirmar ou recusar a transferência.

O aviso ainda dá detalhes extras sobre o processo. Além da hora do pedido, será possível saber o modelo do aparelho usado para receber a conta. Assim, caso a mudança seja legítima e não fruto de um golpe, o usuário também consegue saber se a transferência está sendo realizada de fato para o seu novo smartphone.

Leia Também:  Game Pass recebe Immortals Fenyx Rising em 2ª leva de agosto

WhatsApp: função pode impedir roubo de contas

O recurso é bem simples, mas tende a dar muitos frutos. Afinal, golpistas se aproveitam de contas que não usam a autenticação em duas etapas para tomá-las à força. E boa parte desses golpes estão relacionados a “ofertas” vantajosas às vítimas, como promoções, sorteios, entre outros.

Um exemplo foi quando golpistas usaram contas falsas do Instagram para oferecer alguma vantagem. Mas, após a solicitação de alguns dados pessoais, como o nome completo e número do celular, os criminosos pediam o código de seis dígitos do WhatsApp enviado por SMS.

E aí não tinha mais jeito: ao oferecer o código, a conta é invadida e os criminosos usam a linha para dar golpes em conhecidos da vítima.

Com a nova função, o mensageiro terá uma camada extra de proteção. Afinal, caso o código seja oferecido aos golpistas, a autenticação só terá sucesso se a vítima aprovar a migração no seu celular. E, caso o usuário toque em “Recusar”, os criminosos não terão acesso à conta, pois o processo será interrompido.

Leia Também:  Nem todo celular com 5G acessa a rede 'pura'; entenda e veja a lista

A má notícia é que a função ainda não está disponível aos usuários. Todavia, você já pode garantir uma proteção extra à sua conta ao ativar a autenticação em duas etapas do WhatsApp. Neste caso, mesmo com o código em mãos, os golpistas vão precisar de uma senha para confirmar a autenticação durante a migração.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Propaganda

Momento Tecnologia

Celular roubado: saiba como se proteger antes e depois do incidente

Publicados

em

Veja o que fazer antes e depois de ter o celular roubado
Unsplash/Jenny Ueberberg

Veja o que fazer antes e depois de ter o celular roubado

Atualmente, os roubos de celulares preocupam os usuários não apenas por conta do prejuízo financeiro relacionado ao valor do aparelho, mas também devido às perdas que o acesso a aplicativos bancários e dados pessoais podem causar.

Diante disso, é importante ter algumas proteções no smartphone para evitar prejuízos maiores, assim como saber o que fazer imediatamente após ter o dispositivo roubado.

Claudio Martinelli, diretor-executivo da empresa de cibersegurança Kaspersky na América Latina, teve seu celular roubado, mas não teve prejuízos financeiros além do valor do dispositivo. Isso aconteceu porque ele tomou atitudes rapidamente, impedindo a ação dos criminosos.

“Obviamente, não é uma experiência fácil, mesmo para alguém que trabalha combatendo o cibercrime como eu”, comenta Claudio. “Qualquer roubo criará um grande estresse e é comum ficar surpreso inicialmente, mas tenha em mente que o bandido irá agir rápido, e cabe a você ser mais ágil que ele. Saiba que é possível mitigar as perdas, mas é necessário tomar medidas certas. Uma boa segurança física e digital sempre terá ações preventivas, imediatas e de longo prazo”, orienta o especialista.

A seguir, confira algumas medidas preventivas, para adotar desde já em seu smartphone, e outras que devem ser realizadas imediatamente após um eventual roubo.

Leia Também:  Instagram processa empresas que vendem curtidas e seguidores

Como proteger seu celular

  • Bloqueie aplicativos com mais uma senha além do login. Para isso, há opções nativas no Android e no iOS, além de apps específicos para isso. É importante proteger programas bancários e de consumo, como delivery e lojas online.

  • Tome cuidado na hora de liberar o acesso a apps bancários apenas com a biometria. O que acontece é que o criminoso adiciona uma nova biometria e passa a usar as senhas salvas no dispositivo livremente. Para evitar isso, é importante ativar uma proteção por senha do sistema, sempre que uma nova biometria for criada.

  • Tenha uma solução antirroubo instalada em seu smartphone.

  • Confira os atalhos para entrar em contato com sua operadora de telefonia e com seus bancos. Assim, se você for roubado, já saberá como contatar os canais rapidamente.

Fui roubado, e agora?

  • Imediatamente após o roubo, é importante ligar para a operadora de telefonia e pedir o bloqueio do cartão SIM e do IMEI. Isso impedirá o ladrão de receber SMS com os códigos para recuperação de senhas nos serviços online e de se conectar à internet.

  • Em seguida, bloqueie seu celular através de sistema antirroubo previamente instalado. Eles permitem bloqueio, localização e até a limpeza dos dados do dispositivo de maneira remota.

  • Ligue para todos os seus bancos para notificar que o smartphone foi roubado e peça o bloqueio de qualquer transação feito por este dispositivo.

Leia Também:  iPhone 14 deverá manter armazenamento base de 128GB, segundo analista

Isso é suficiente?

Depois de tomar as ações imediatas, é importante ficar de olho em possíveis golpes no longo prazo, que vão além do roubo de credenciais bancárias, já que os celulares também podem revelar informações pessoais como CPF, RG e senhas.

“Os celulares são também uma ferramenta de verificação da nossa identidade no mundo digital. Com essas informações, os bandidos podem tentar realizar empréstimos bancários ou abrir contas falsas”, comenta Claudio.

Por isso, uma boa dica é acessar o  serviço Registrato , do Banco Central, que permite ver informações bancárias ligadas ao seu CPF. Se uma conta for aberta em seu nome ou se um empréstimo for feito, por exemplo, é possível saber através desse sistema.

Por fim, após o roubo também é possível recuperar suas informações salvas em sistemas oficiais do Google e da Apple. Para isso, é importante sempre manter o backup em dia.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI