Momento Turismo

Juntei as moedas e fui viajar: conheça a história de quem realmente que fez isso

Publicados

em


source

planejamento para viajar pode ser um pouco difícil, já que as contas e despesas cotidianas podem acabar com os planos de conhecer lugares diferentes. Mas a cabeleireira de Santos Rosangela Gomes, de 50 anos, teve uma ideia revolucionária para viajar: juntar moedas.

viagem
Reprodução/Rosangela Gomes

Rosangela está preparando a terceira viagem pagando em moedas

Em entrevista ao iG Turismo ela contou que passava pela dificuldade de parar e guardar um dinheirinho para viajar. Até que um dia teve uma ideia. “Eu vendo sacolé, chup-chup. Inspirada em outras pessoas, resolvi juntar as moedas das vendas para viajar. Tinha um cofre e resolvi guardar moedas de R$ 1 real e R$ 0,50”, diz.


Em um ano Rosângela conseguiu juntar dinheiro suficiente para pagar metade de uma viagem de cruzeiro de 6 dias Rio-Santos-Balneário Camburiú. “Nessa primeira vez pensei que viagem não havia feito. O cruzeiro era um dos meus sonhos. Conversei com uma amiga da agência que ela trabalha e ela topou trocar as moedas. Paguei a minha parte (R$3 mil) em moedas”, conta.

moedas
Reprodução/Rosangela Gomes

Rosangela avisa para a agência de viagens para que se preparem para a contagem


Rosangela diz que a primeira vez que levou as moedas para a agência foi um pouco assustador, mas que agora até movimenta o comércio da região. “Três pessoas contaram as moedas, os funcionários se assustaram com a quantidade, mas adoraram. Hoje eu aviso que vou lá e o gerente já avisa para comerciantes da rua que eu irei comprar uma viagem. Dessa vez o dono de uma padaria pegou as moedas para troco”, diz rindo.

Leia Também:  Fórum de Turismo LGBT do Brasil 2021 abre inscrições

No mesmo ano, ela conseguiu juntar mais moedas e pagar três passagens aéreas de ida e volta para Buenos Aires. “Fui visitar minha amiga e levei meu marido e minha mãe. Paguei tudo em moedas e foi incrível, pois eu não sabia quanto tinha na hora e deu certinho para as passagens”, afirma.

moedas
Reprodução/Rosangela Gomes

Rosangela junta as moedas e foca no destino que quer, abatendo por completo ou não o valor


Na terceira vez, Rosangela comprou uma viagem completa para o Nordeste. “Juntei as moedas e consegui abater R$2 mil de uma viagem para mim e para meu marido para Porto de Galinhas. Vou pagar pela estadia de 8 dias, com café da manhã e voo R$1.250! A satisfação maior é pagar com troco, parece que a viagem saiu quase de graça, não sentimos no orçamento”, diz.

Além do troco que rendeu três viagens, Rosangela também foi chamada para participar do programa Encontro com Fátima Bernardes. “No fim das contas, fiz 4 viagens com as moedas. Nesta, fui contar para ela como consegui juntar também. Visitei o Rio por 4 dias sem pagar nada, graças às moedas”, conta.

Leia Também:  Casal vende casa para viver dentro de um ônibus com os filhos e dois cachorros

Ela também dá uma dica para quem sonha em viajar, mas acha que não tem condições financeiras. “Se você quiser viajar e não consegue, faça um projeto de moedas. O maior problema é que a gente põe outras coisas na frente e esquece da passagem, mas se você coloca as moedas como projeto, eu acho satisfatório juntar e saber que estou naquele lugar por conta das moedas”, afirma.

Fonte: IG Turismo

Propaganda

Momento Turismo

Durma pendurado em uma cabine de vidro nas montanhas do Peru por R$ 2,6 mil

Publicados

em


source
Conheça o Skylodge Adventure Suites, hotel que reúne cápsulas de vidro nas montanhas do Vale Sagrado, no Peru
Divulgação/Natura Vive

Conheça o Skylodge Adventure Suites, hotel que reúne cápsulas de vidro nas montanhas do Vale Sagrado, no Peru

Você dormiria pendurado em uma cabine de vidro de luxo no Peru por R$ 2,6 mil? Essa experiência um tanto inusitada é proporcionada pelas cabines do luxuoso e ousado hotel Skylodge Adventure Suites, construído nas paredes de uma das montanhas que cercam o histórico Vale Sagrado.

Criado em 2019 pelo grupo de empresários Natura Vive, o espaço é voltado para turistas que adoram montanhismo e priorizam o contato extremo com a natureza em suas viagens. As cápsulas foram desenvolvidas seguindo o conceito de Módulos de Vivenda Vertical, criado pelos profissionais.

O hotel consiste em três cabines de luxo penduradas a 300 metros de altura na Via Ferrata do Valle Sagrado, cuja suspensão faz com que os hóspedes se sintam como verdadeiros pássaros em ninhos transparentes. A Via Ferrata está localizada entre os povoados de Pisaq e Ollantaytambo, sendo possível chegar até a região de Cusco. As acomodações estão disponíveis para locação pelo Airbnb e a diária custa R$ 2.621.

Leia Também:  Novas regras para entrar no Rio de Janeiro passam a valer nesta quarta-feira

As três cabines são feitas de alumínio aeroespacial e policarbonato resistente, sendo próprias para acomodar os turistas. Elas possuem 1,8 metros de diâmetro e são penduradas por cabos fixos de aço. A capacidade máxima das instalações é de 12 pessoas. No Vale Sagrado, também está localizado o complexo do Skylodge da Natura Vive para auxiliar quem está suspenso.

Cada uma das cúpulas possui quatro camas, mesa de jantar e banheiro privativo e, caso queira privacidade, o turista pode usar as cortinas que ocupam o espaço inteiro. As cápsulas dispõem de seis janelas e quatro dutos de ventilação para manter a circulação do ar de maneira adequada.

A iluminação das cabines de luxo é outro detalhe, já que cada uma possui painéis ecológicos que armazenam energia em baterias que alimentam as luminárias no interior do módulo. As cápsulas também acendem do lado de fora no período noturno.

Além da paisagem do Vale, as ruínas das montanhas fazem companhia aos turistas, que podem aproveitar a vista tanto do conforto da cama como sentados de frente para o “abismo” das cadeiras da sala de jantar.

(Continue lendo logo abaixo)

Leia Também

Além do serviço e da construção em si, o Skylodge Adventure Suites é destacado pela refinada e deliciosa culinária peruana. O hotel oferece um vasto cardápio típico para cafés da manhã reforçados e jantares divinos com direito a cartela de vinhos para acompanhar a vista.

Para chegar até as acomodações, os hóspedes precisam escalar a montanha ou descer até elas por uma tirolesa. O hotel ainda dispõe de uma escada e ponte suspensa construídas especificamente para se chegar nos quartos.

Vista oferecida por cada cúpula de vidro. Foto: Divulgação/Natura Vive

Leia Também:  Curitiba: as melhores atrações turísticas de acordo com quem vive na cidade

Vista do Skylodge Adventure Suites e do Vale Sagrado. Foto: Divulgação/Natura Vive

O hotel atrai amantes de montanhismo e amantes da natureza; ou só por quem quer viver a experiência. Foto: Reprodução/TripAdvisor

Hotel também se destaca por culinária peruana e vinhos. Foto: Divulgação/Natura Vive

Cada cúpula possui quatro camas. Foto: Divulgação/Natura Vive

As cabines são feitas de materiais resistentes e são suspensas por cabos fixos de aço. Foto: Divulgação/Natura Vive

Vista do Skylodge Adventure Suites e do Vale Sagrado à noite. Foto: Divulgação/Natura Vive


Regras de segurança

Não é preciso ter experiência em montanhismo para ficar hospedado e guias estão sempre à disposição e são preparados para acompanhar os hóspedes nessa pequena empreitada. No entanto, existem algumas recomendações para manter todos os turistas em segurança.

Antes de descer às cúpulas, todos os hóspedes recebem treinamento para lidar com o equipamento de transporte. Para fazer o transporte, os hóspedes dispõem de uma cadeirinha de escalada. O acesso aos quartos se dá por uma escotilha localizada na parte de cima da cabine. O peso máximo para fazer a travessia de cada hóspede de maneira segura é de 120 kg.

É preciso que os hóspedes tenham mais de 18 anos. Além de crianças, as instalações também não são próprias para pets. Para fazer a escalada, é recomendado o uso de roupas confortáveis e usar tênis de caminhada ou de corrida.

Nos meses de junho a agosto faz frio. Se a visita for feita nesse período, é importante levar roupas mais quentinhas. O hotel recomenda o uso de jaquetas térmicas para não passar frio de madrugada.

Leve apenas uma mochila pequena para facilitar o transporte da bagagem e fazê-lo de forma segura. Carregue apenas o essencial e não se esqueça de ter ao menos um litro de água — os funcionários podem encher as garrafas vazias dos turistas.

Não esqueça itens de higiene pessoal, como escova e pasta de dentes, já que eles não são fornecidos pelo hotel. Por falar nisso, os quartos não possuem chuveiro; portanto, tenha em mente que a noite passada por lá será sem banho.

Fonte: IG Turismo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA