Momento Entretenimento

Conheça as experiências vivenciadas por viajantes LGBTQIA+ pelo mundo

Publicados

em

Conheça as experiências vivenciadas por viajantes LGBTQIA  pelo mundo
Redação EdiCase

Conheça as experiências vivenciadas por viajantes LGBTQIA pelo mundo

Comunidade ainda enfrenta desafios para viagem inclusiva, mas há também regiões com interações e experiências positivas

Por Bianca Carvalho

O termo ‘viagem’ e suas conotações devem representar experiências positivas, aventura e diversão. No entanto, para muitas pessoas LGBTQIA+ no mundo todo, a realidade pode ser bem diferente. Uma nova pesquisa da Booking.com revela que 82% dessas pessoas já vivenciaram experiências desagradáveis ou desconfortáveis.

A maior pesquisa de viagem da Booking.com sobre a comunidade LGBTQIA+ até agora retrata as atitudes, preocupações e preferências de viagem, além de experiências anteriores e da realidade atual. O estudo, realizado com viajantes de 25 países espalhados pelo mundo, mostra que experiências negativas são mais comuns quando essas pessoas saem em público (31%).

5 parques temáticos e aquáticos para curtir em família pelo Brasil

A realidade das viagens LGBTQIA+ hoje em dia

O estudo expõe as barreiras que os viajantes LGBTQIA+ ainda enfrentam para uma viagem inclusiva e destaca que viagens na teoria e na prática são, às vezes, duas coisas bem diferentes para essa comunidade. Para metade (52%) dos entrevistados, elas trazem um momento para relaxar e espairecer. Entretanto, existem inúmeras considerações adicionais que se estendem por toda a experiência, que as pessoas que não fazem parte da comunidade podem nem pensar a respeito. 

Mais de metade (55%) dos viajantes globais LGBTQIA+ já passaram por discriminação durante uma viagem. Seja pelos estereótipos (28%), por serem encarados, ridicularizados ou atacados verbalmente por outros viajantes (18%) e/ou moradores locais (17%), não é nenhuma surpresa que essas pessoas enfrentem mais dificuldade ao viajar – desde o momento de escolher o destino até as atividades das quais querem participar.

> Vinho madeira: conheça 4 lugares para degustar a bebida

Sinais promissores de progresso e positividade

Embora existam muitos obstáculos para as viagens inclusivas para quem se identifica como LGBTQIA+, ainda há muitas regiões em que os viajantes têm interações e experiências positivas. Tanto é que 85% dos entrevistados comentam que a maioria das experiências de viagem que tiveram até agora foram acolhedoras – quem mais concorda são gays e lésbicas (90%).

Além disso, de 6 em cada 10 (62%) viajantes globais afirmam que fazer parte da comunidade LGBTQIA+ faz com que, na verdade, se sintam viajantes mais confiantes. E 84% comentam que têm confiança de conhecer os destinos que desejam visitar. Nesse tópico, gays são os mais confiantes (87%), seguidos por bissexuais (86%).

A conexão com a comunidade é essencial

A pesquisa da Booking.com também revela que a comunidade LGBTQIA+ de um destino colabora para as decisões de muitos viajantes. Além disso, o desejo de vivenciar tudo que essa comunidade tem a oferecer é predominante entre os resultados:

  • 60% dos viajantes globais LGBTQIA+ têm mais chance de viajar para um destino que celebre a história e a comunidade LGBTQIA+ local;
  • Mais da metade (56%) tem mais chance de selecionar destinos em que possam aprender sobre os aspectos históricos da comunidade LGBTQIA+.

*Pesquisa encomendada pela Booking.com e realizada de forma independente com uma amostra de 5.514 viajantes LGBTQIA+ em 25 países. A pesquisa foi feita on-line e ocorreu em abril e maio de 2022. 

Mendoza: conheça paraíso do enoturismo na Argentina

Fonte: IG GENTE

Propaganda

Momento Entretenimento

Monica Benini, esposa de Júnior Lima, passa por cirurgia de emergência

Publicados

em

Monica Benini e Junior Lima estão juntos desde 2013
Reprodução/Instagram

Monica Benini e Junior Lima estão juntos desde 2013

Monica Benini, esposa de Júnior Lima, contou que foi operada às pressas neste fim de semana após sofrer com fortes dores abdominais. A influenciadora contou nesta terça-feira (5) que passou mal e precisou ir às pressas ao pronto-socorro. 

“Para servir de alerta para a gente nunca camuflar as dores que sentimos, sempre checar e nunca se automedicar”, disse no texto, que explica o acontecido. Segundo Monica, os sintomas começaram leves e se agravaram. 

“De domingo para segunda, comecei a sentir uma sensação de azia. Ontem a dor começou a aumentar e estava brincando com o Otto e não consegui caminhar direito. Quase desmaiei. Liguei por Junior e ele veio correndo… Pensei: se estou sentindo dores que nunca senti é porque está acontecendo alguma coisa”, disse.

Após bateria de exames, ela descobriu que estava com apendicite. “Não ando só. Obrigada, anjo da guarda”, afirmou ela. 


Fonte: IG GENTE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI