Momento +

Barbárie: Pai denuncia negligência em parto e que sua filha prematura teve parte do couro cabeludo arrancada na Santa Casa

Publicados

em

Maria Lima de Jesus e a filha recém nascida estão internadas em estado grave no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis MT desde 10 de agosto.

Em 29 de julho a gestante chegou à unidade em trabalho de parto, mas a equipe médica decidiu esperar porque a criança era muito prematura.

O marido de Maria, Adalberto Moreira, acusa o hospital de negligência e afirma que a menina teve parte do couro cabeludo arrancado no parto.

O homem relata que a esposa estava com 33 semanas de gravidez quando se sentiu mal e foram para o hospital. Ela foi internada e permaneceu assim até 10 de agosto, quando os médicos decidiram fazer o parto. Durante o período, o esposo não pode visitar a mulher. Quando a viu novamente, ela já tinha dado à luz e estava muito inchada.

“Ela estava irreconhecível. Muito inchada e reclamava de muita dor”, relatou o homem. O pai viu a filha e percebeu a lesão na cabeça e a falta de parte lateral do couro cabeludo. Ele reclamou ao hospital e a unidade disse que está apurando o caso.

Leia Também:  Médica picada por cobra em MT e em tratamento em São Paulo emite nota sobre posicionamento do Conselho Regional de Medicina MT

O homem contou que só teve acesso à esposa e ao que realmente tinha acontecido depois que o caso ganhou repercussão.

Além do dano à criança, a mulher também teve parte da bexiga cortada e reclamava de muitas dores. Antes da visita do esposo, o casal só se falava por mensagem de celular.

Santa Casa

A Santa Casa emitiu nota, na quinta-feira (13), à noite, informando que tomou conhecimento do fato e que estava apurando o que ocorreu no atendimento à paciente. Não ofereceu detalhes do caso

 

Otavio Ventureli(com gazetadigital.)

.

Momento +

Fumaça de queimadas prejudicou pouso de avião do Presidente Jair Bolsonaro na manhã desta sexta-feira(18) em Sinop MT

Publicados

em

A falta de visibilidade em decorrência da fumaça de queimadas que atingem o Mato Grosso foi a razão para o avião do presidente da República(foto), Jair Bolsonaro, ter precisado realizar manobra antes de pousar na chegada ao Estado.

As informações são da assessoria da concessionária de aeroportos Centro-Oeste Airport, responsável por gerir o Aeroporto Municipal Presidente João Figueiredo, em Sinop, no Mato Grosso.

Segundo a assessoria do aeroporto, foi feito “um procedimento relativamente normal e comum para casos em que não se tem visibilidade total”, em que o piloto “faz uma primeira aproximação, arremete e realiza na sequência o pouso normalmente”.

Nesta sexta-feira, 18, o presidente cumpriu agendas no Mato Grosso voltadas para o setor do agronegócio. Na sua chegada, contudo, o avião presidencial precisou realizar a manobra antes de pousar quando não encontrou 100% de visibilidade da pista.

“Aqui quando nosso avião foi pousar hoje ele arremeteu. É a segunda vez que acontece na minha vida. Uma vez foi no Rio de Janeiro. Obviamente, é sempre algo anormal de estar acontecendo. No caso, é que a visibilidade não estava muito boa. Para nossa felicidade, na segunda vez conseguimos pousar”, comentou o Bolsonaro durante evento no município.

Leia Também:  Projeto da Escola Técnica de Sinop utiliza horta como espaço pedagógico

Apesar do ocorrido, o presidente minimizou a situação de queimadas que assolam o Estado dizendo que são “alguns focos de incêndio” que acontecem “ao longo de anos”.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), contudo, indicaram que só nos primeiros dez dias de setembro foram contabilizados 2.550 focos de queimadas, 88% do volume registrado durante todo o mês de 2019.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA