Momento +

Com baixa umidade relativa do ar termômetros devem atingir a marca de 43º C nesta quarta-feira(09) em Cuiabá segundo previsão do Inmet

Publicados

em

Os termômetros na região metropolitana de Cuiabá devem registrar máxima de 43ºC nesta quarta (09), com mínima de 24ºC.

A preocupação maior será com a umidade relativa do ar que também continuará baixa podendo chegar na casa dos 10%. O forte calor deve continuar nos próximos dias em todo o estado de Mato Grosso, conforme prevê o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

O Inmet emitiu um alerta de perigo em relação à umidade relativa do ar válido em todos os 141 municípios do  Estado. O alerta de atenção começa nesta terça (8) e segue até quarta (9): “umidade relativa do ar variando entre 20% e 12%. Risco de incêndios florestais e à saúde. Ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz”, diz trecho do alerta.

O instituto recomenda à população a ingerir bastante líquido e evitar atividades físicas ao ar livre entre 11 e 15 horas. Além disso, o Inmet destaca ainda a importância de evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia e a utilização de hidratante para pele e umidificação do ambiente.

Leia Também:  Caixa Econômica Federal paga nesta segunda(28) nova parcela do auxílio emergencial à 9 milhões e 400 mil beneficiarios do programa do Governo

De acordo com a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), o índice mínimo de umidade deve ficar em 30%. Isso porque, tal condição climática provoca o ressecamento das vias aéreas, potencializando o risco de infecções, alergias e desidratação. Entre 12 e 20% a situação é de estado de Alerta. Abaixo de 12% o estado é de Emergência.

Próximos dias

Na quinta (10) e sexta (11) a máxima será de 41ºC, com mínimas de 25ºC e 24°C, respectivamente. Já no sábado (12), a Capital do Estado deve registar mínima de 22ºC e calor de 42ºC. No Domingo (13), a máxima será novamente de 41ºC e mínima de 26ºC.

Não há previsão de chuvas até o próximo sábado (12), segundo o Inmet. De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), não há previsão de chuvas até a próxima segunda (14), e as altas temperaturas devem permanecer acima dos 40ºC.

 

 

Otavio Ventureli(com assessoria)

Momento +

Pesca proibida: Começa nesta quinta-feira(1º/10) período da Piracema em Mato Grosso prolongando-se até dia 31 de janeiro de 2021

Publicados

em

Começa nesta quinta-feira (1º) o período de defeso da piracema no Estado de Mato Grosso.

A proibição à pesca, tanto amadora como profissional segue até o dia 31 de janeiro de 2021 incluindo os rios das Bacias Hidrográficas do Paraguai, Amazonas e Araguaia-Tocantins. Neste período é permitida apena a pesca de subsistência, desembarcada, que é aquela praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais para garantir a alimentação familiar, sem fins comerciais.

Para os ribeirinhos é permitida a cota diária de três quilos e um exemplar de qualquer peso por pescador, respeitando os tamanhos mínimos de captura, estabelecidos pela legislação para cada espécie. O transporte e comercialização proveniente da pesca de subsistência também fica proibido.

A definição do período da piracema é embasado na legislação de pesca e no manejo dos recursos pesqueiros, realizados por meio de estudos da biologia das espécies mais importantes, incluindo época, idade, tamanho, tipo de reprodução, estudos de crescimento e de estrutura da população de peixes e estudos de dinâmica de populações, que incluem estimativas de taxas de crescimento e de mortalidade populacional.

A Resolução do Conselho Estadual de Pesca (Cepesca), que determina o período de defesa da piracema nos rios de Mato Grosso, foi publicada no Diário Oficial no dia 26 de junho de 2020.

Leia Também:  Pesca proibida: Começa nesta quinta-feira(1º/10) período da Piracema em Mato Grosso prolongando-se até dia 31 de janeiro de 2021

O período de defeso da reprodução dos peixes, Piracema, é um dos instrumentos de gestão e ordenamento dos recursos pesqueiros de forma a assegurar a sustentabilidade do seu uso. É neste período que ocorre a reprodução da maioria das espécies de peixes e por isto a sua captura deve ser proibida, explica a secretaria Executiva do Cepesca, Gabriela Priante.

 

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA