Momento +

De virada Ceará faz 3 x 1 no Bahia, neste sábado(1º) no primeiro jogo de ida da final do Nordestão e voltam a se enfrentar na terça(04)

Publicados

em

Ceará e Bahia se enfrentaram no jogo de ida na final do Nordestão, neste sábado(1º), que vale o primeiro bicampeonato nos atuais moldes da competição.

No primeiro duelo, vantagem alvinegra. O Bahia abriu o placar com Fernandão, mas o Ceará logo respondeu com Fernando Sobral marcando dois minutos depois. A virada da equipe de Guto Ferreira veio no segundo tempo com gols de Cléber e Mateus Gonçalves.

O jogo começou em ritmo lento, estudado e travado. Mas começou a aquecer aos poucos, com o Ceará conseguindo maior posse de bola e domínio das jogadas e o Bahia com marcação compacta. O primeiro lance perigoso só ocorreu aos 17 minutos, após arrancada de Élber no meio-campo. Aos 25 minutos,

Fabinho falha na saída de bola e é desarmado por Flávio que deixa Fernandão em bola condição para chegar finalizando dentro da área e abrir o placar. A resposta alvinegra foi rápida, com a sobra de bola em mais uma falha, dessa vez do Bahia. Fernando Sobral tenta avançar com Juninho Capixaba na cola. O goleiro Anderson tentou proteger a bola, mas acabou trombando com o defensor, deixando a meta livre para Fernando Sobral empatar o jogo, aos 27 minutos.

Leia Também:  Bebedeira: Homem é assassinado pela esposa com uma certeira facada no pescoço neste domingo(09) durante briga em casa

A etapa final do jogo começou mais intensa. Aos 3 minutos, volante Flávio cruza fechado na pequena área, mas Fernando Prass sai do gol para espalmar. Aos 6, o Vovô reagiu com Leandro Carvalho, que tabelou com Bruno Pacheco e finalizou para a defesa de Anderson.

A virada veio aos 11, Samuel Xavier cruza na medida para Cléber cabecear forte no gol. Aos 31, Mateus Gonçalves, que entrou no segundo tempo, aproveitou belo lançamento de Fernando Prass, do gol, para marcar o terceiro do Vovô. O árbitro chamou o VAR para checar possível impedimento, mas arbitragem em vídeo validou o gol.

O Ceará larga na vantagem para o jogo de volta, que terá o Bahia como equipe mandante. Os times se enfrentam na terça-feira (4), às 21h30, no Pituaçu. Ceará pode empatar ou perder por até um gol de diferença para garantir título.

 

Otavio Ventureli(da redação com GE)

COMENTE ABAIXO:

Momento +

Sefaz aponta crescimento de quase 20% na receita tributária de MT nos 4 primeiros meses de 2020

Publicados

em


.

O secretário de Fazenda, Rogério Gallo, apresentou nesta terça-feira (11.08), à Assembleia Legislativa, o relatório sobre as metas fiscais do 1º quadrimestre deste ano. A apresentação aconteceu durante audiência pública na Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária (CFAEO), do Poder Legislativo.

No primeiro quadrimestre deste ano, a receita tributária cresceu 19,1% este ano, comparada ao mesmo período de 2019. O ICMS, principal tributo arrecadado pelo Estado, teve um crescimento nominal de 16,2%, chegando a R$ 3,8 bilhões.

De acordo com o relatório apresentado, a receita total no primeiro quadrimestre de 2020 foi de R$ 6,8 bilhões; já despesa total liquidada chegou a R$ 5,1 bilhões. O resultado foi um superávit na ordem de R$ 1,6 bilhões.

Logo na abertura, o secretário de Fazenda fez questão de mostrar um gráfico apontando que pela primeira vez em 10 anos, o Estado fechou suas contas com superávit. Rogério Gallo atribuiu esse desempenho positivo às políticas públicas implantadas pelo governador Mauro Mendes e sua equipe já no primeiro no de gestão.

Leia Também:  Tiroteio em festa conhecida como "paredão" na madrugada desta segunda mata jovem de 25 anos e deixa feridos 7 homens e uma mulher

“O Estado hoje tem um comando, através do governador Mauro Mendes, com uma disciplina, uma diretriz de se gastar menos do que se arrecada. Isso já foi demonstrado que depois de 10 anos do Estado no vermelho, gastando mais do que se arrecada, nós fechamos 2019 já gastando menos 500 milhões de reais do que se arrecadou”, ressaltou o secretário Rogério Gallo. 


Gallo apontou como fatores para esse crescimento a entrada em vigor da Lei Complementar 631, que consolidou a política de benefícios fiscais, o incremento da produção do etanol de milho, o aumento expressivo das exportações e também ao Programa Nota MT, com o incremento da emissão de documentos fiscais solicitados pelos consumidores.

“O Estado teve uma boa performance na receita. Arrecadou mais que gastou nesse período. E nós tivemos condições de fazermos o enfrentamento da pandemia naquele início, quando não se tinha qualquer auxílio financeiro federal, fazendo por exemplo, a obra do Hospital Metropolitano com recursos próprios, em função dessa disciplina fiscal de gastar menos do que se arrecada”, explicou Rogério Gallo.

Leia Também:  Avião de pequeno porte com instrutor e aluno cai em Sinop MT durante aula de pousos e decolagens utilizando direção do vento

A audiência púbica foi coordenada pelo deputado Carlos Avallone (PSDB), presidente em exercício da CFAEO e teve a participação do deputado Ondanir Nininho Bortolini, além de representantes do Tribunal de Justiça, de Contas, do Ministério Púbico Estadual, da Defensoria Pública e do Ministério Público de Contas.  Após a apresentação do relatório, o secretário de Fazenda respondeu a perguntas formuladas pelos representantes das entidades.

A audiência atende à recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) à Assembleia Legislativa, visando aumentar a transparência nas ações do Poder Executivo no que tange às suas receitas e despesas e é uma determinação da Lei Complementar Federal nº 101, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA