Momento +

Flávio Stringueta é afastado pela cúpula da Polícia Civil de MT após tecer críticas ao Ministério Público Estadual em artigo publicado

Publicados

em

O delegado Flávio Stringueta(foto), da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), foi afastado do cargo, nesta segunda-feira (1º), pela Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil, ao que tudo indica, após criticar o Ministério Publico Estadual (MPE) em um artigo de opinião publicado no fim de semana.

O artigo repercutiu não só no meio jurídico como também entre os formadores de opinião.

Apesar do conteúdo do texto ser de cunho pessoal, ele teria sido questionado perante o argumento de que a ação seria para manter um bom relacionamento com o MPE e, por isso, a melhor opção seria afastá-lo de suas funções.

A decisão surpreendeu também alguns delegados. De acordo com seus colegas de profissão, mesmo que Flávio tenha exagerado em expor suas ideias, não é necessário tomar tal atitude.

Procurado para falar sobre o afastamento do Delegado, o Diretor-geral da Polícia Civil de Mato Grosso, Mário Mederval,  ele afirmou que não há nada oficial e que a decisão do afastamento é feito por uma cúpula da PJC, que no caso é o Conselho Superior de Polícia (CSP), e não apenas por uma pessoa.

Leia Também:  Secretaria de Saúde de Lucas do Rio Verde MT iniciou na manhã desta quarta(14) campanha de vacinação contra a gripe Influenza

Ainda no domingo (28), um dia após o artigo de Stringuenta ser publicado, a Diretoria Geral da Polícia Civil afirmou, por meio de nota, que não compactua com as declarações do delegado. Veja nota completa abaixo.

Artigo de Stringueta

No artigo, o delegado faz menção ao fato do Ministério Público Estadual comprar 400 aparelhos smartphones por R$ 2.232 milhões. Só para Iphone serão gastos R$ 1.683 milhão.

“Semanas atrás, o Brasil inteiro foi surpreendido com várias publicações dizendo que o nosso MPE/MT, cada promotor de “justiça”, receberia um smartphone de última geração (…)”, disse.

“Virou notícia, e vergonha, nacional. O que se esperaria dos promotores, ou seus líderes, ou do inconsequente idealizador desse absurdo? Que não tivessem feito. E, como já tinham feito, que pedissem desculpas à sociedade pelo erro e sumissem de cena. Mas não. Continuaram. Irão receber os tais aparelhos, como se não tivessem condições de ter algo assim para trabalhar e se comunicar. Uma juíza assim autorizou”, continuou em seu texto.

Leia Também:  Enfermeira é presa em flagrante roubando testes de Covid 19 e outros materiais de uso hospitalar da Santa Casa de Cuiabá; médico é investigado

Stringueta ainda questionou o fato de que professores não recebem os mesmos benefícios para ensinar a futura geração.
“Por que, nobres representantes do MPE MT, os professores não receberam equipamentos mínimos para instruírem seus filhos? Por que nenhum de vocês se insurgiu contra o poder público para exigir algo parecido para a instrução dos seus filhos e dos demais estudantes do nosso estado? Vocês acham que foram, e são, éticos?”.

O servidor ainda afirmou que a instituição seria imoral e de que não teria medo de possíveis processos.

“E acrescento: não existe instituição mais imoral que o MPE/MT que o nosso, que senta na própria moralidade e fala das ilegalidades das outras instituições. Serei processado por isso. Eu sei. E até espero que sim. Pois, assim. Poderei abrir as entranhas desse instituição MPE e, por consequência, talvez, o judiciário”.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessorias)

Momento +

Secretaria de Saúde de Lucas do Rio Verde MT iniciou na manhã desta quarta(14) campanha de vacinação contra a gripe Influenza

Publicados

em

A Prefeitura de Lucas do Rio Verde, por meio da Secretaria de Saúde, iniciou na manhã desta quarta-feira (14) a campanha de vacinação contra a gripe Influenza.
Nessa primeira etapa, das três previstas, o público-alvo será os profissionais da saúde, gestantes, puérperas e crianças de seis meses até seis anos de idade.

As vacinas serão aplicadas nas unidades de saúde do município, exceto os PSFs I, II e IV dos bairros Rio Verde e Alvorada, que atendem a outras especialidades nesse momento.

Conforme a enfermeira Marcia Trentin, quem contraiu a Covid-19 deverá respeitar o intervalo de 30 dias para poder ser imunizado contra a Influenza. Já as pessoas que receberam a vacina contra o novo coronavírus, o intervalo entre as imunizantes deve ser de 14 dias.

Os idosos acima de 60 anos e professores serão contemplados na segunda etapa da campanha, de 11 de maio até 8 de junho, visto que neste momento a prioridade é a vacina contra a Covid-19.

Na terceira etapa da campanha, de 9 de junho até 9 de julho, serão imunizadas pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência, caminhoneiros, trabalhadores da área de transportes, forças de segurança e população privada de liberdade, conforme grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde.

Leia Também:  Volante brasileiro Fred marca um golaço e Manchester United vence o Tottenham de virada em Londres

A Secretaria Municipal de Saúde já recebeu 2.460 doses para a primeira etapa. A previsão é de que até o fim da campanha sejam 16.260 doses recebidas do Estado. “As pessoas não precisam se apavorar ou correr para as unidades de saúde. Respeitem as etapas e os grupos prioritários de cada uma, e levem as crianças para serem vacinadas”, alertou Marcia Trentin.

Para esse ano, a Secretaria de Saúde espera atingir pelo menos 90% de imunização dos munícipes que se enquadram nos grupos prioritários até 9 de julho quando encerra a campanha.

 

Otavio Ventureli(da redação com ascom)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA