Momento +

Mendes desabafa e diz que “odeio politico malandro” e que existem pessoas que fazem da política profissão e “tem uma longa ficha”

Publicados

em

O governador Mauro Mendes(foto)  afirmou, na manhã desta quarta-feira (9), que odeia “político malandro”, e que tem algumas pessoas que fazem da política profissão e “tem uma longa ficha corrida”.

Sem citar nomes, o governador de Mato Grosso disse que não se dirigia ao principal adversário político, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro, mas que se fizeram esta associação, foi porque estava “no subconsciente”.

A declaração foi dada quando Mauro foi perguntado a respeito da demora de Fábio Garcia em anunciar se será ou não candidato à prefeitura de Cuiabá. Segundo o governador, a morosidade é comum a quem não tem a política como profissão.

“Eu não sou exemplo pra ninguém, eu sempre decido de última hora”, brincou. “É muito fácil pra gente que está de fora – e hoje eu estou de fora – cobrar essa decisão. A decisão de ser candidato, pra quem faz isso com seriedade, pra quem não vive da política, não tem da política uma profissão, e tem algumas pessoas que tem da politica uma profissão, [é difícil]”.

Leia Também:  Cinzas de vulcão ativo cancelam treino do Flamengo neste domingo(20) em Guayaquil no Equador em preparativos para o jogo de terça(22)

O governador ainda afirmou que quando se tem a política como profissão, mas se respeita o cidadão, não há problema. “Agora, tem político que faz dela uma profissão e tem uma longa ficha corrida, que faz não mais uma carreira política e sim uma carreira  policial”, disparou.

Questionado se sua fala seria sobre o prefeito Emanuel Pinheiro, com quem já tem uma rusga há algum tempo, ele negou: “A minha fala vale pra todo mundo, você que já interpretou. Só tem ele de político desonesto no Brasil? Agora, se você já encaixou de imediato é porque está no seu subconsciente… Eu odeio político malandro. Meu sangue não bate com político malandro. E vou criticar sempre aqueles que são malandros. É uma fala geral”, finalizou.

 

 

Otavio Ventureli(com assessoria)

Momento +

Polícia investiga morte de empresário paulista assassinado em Mato Grosso cujo corpo foi encontrado em terreno baldio com várias facadas

Publicados

em

A Polícia Civil da cidade Feliz Natal, municipio de  Mato Grosso,  trabalha como principal a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte) o assassinato do empresário paulista, Wagner Delfino, de 43 anos. O corpo foi encontrado em um terreno baldio, na noite deste domingo (20).

O empresário, que atuava no ramo de compra e venda de terrenos, morava na cidade de Sorocaba (SP) e viajou de carro com dois amigos para Feliz Natal para fazer negócios. Quem matou Wagner Delfino também roubou o carro dele.

Segundo populares que encontraram o corpo de Wagner, por volta das 20h30, em um terreno atrás de uma mecânica, ele apresentava sinais de várias facadas.

De início, ninguém conseguiu reconhecer a vítima, mas, enquanto a ocorrência estava em andamento, dois homens chegaram em um táxi e constataram que se tratava de Wagner, amigo deles.

Na tarde deste  domingo(20), segundo seus amigos de Sorocaba, o empresário saiu para ir ao Rio Arraia e lá conheceu uma mulher de 45 anos e a filha dela, de 13. As duas fizeram vários vídeos no carro da vítima.

Leia Também:  Pênalti assinalado aos 12 minutos do primeiro tempo e convertido pelo Brocador dá vitória ao Sport diante do Fluminense neste domingo na Ilha

Eles foram vistos juntos, no final da tarde, no hotel em que o grupo estava hospedado e, depois disso, sumiu e não atendeu mais ao telefone.

Com a ajuda de um taxista, os amigos foram até a casa da testemunha e a encontraram chorando muito, dizendo que “haviam feito mal ao Wagner”.

Aos policiais, ela disse que foi deixada no Bar do Maranhão e que, em seguida, Wagner sumiu. O crime está sendo investigado pela Polícia Civil.  Um homem com apelido de “Cuiabano” seria o suspeito.

O carro do de Wagner ainda não foi localizado.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA