Momento +

Incêndios em áreas do Pantanal que vêm causando destruição entram na pauta do Congresso Nacional parlamentares visitam a região

Publicados

em

Os incêndios no Pantanal, que já queimaram mais de 1,2 milhão de hectares, foram pauta da reunião da Frente Parlamentar Ambientalista, do Congresso Nacional.

Entre as ações decididas na reunião realizada na segunda-feira (14) estão uma visita na região de Poconé MT no sábado (19) de deputados federais e senadores para conhecer de perto a situação de emergência.

De Mato Grosso fazem parte da Frente Parlamentar os deputados federais Rosa Neide, Dr. Leonardo  e Emanuelzinho. Nenhum dos senadores mato-grossenses participa do grupo, que tem 222 parlamentares. Na reunião virtual realizada na segunda-feira, estiveram presentes 59 pessoas, entre deputados, senadores, ambientalistas, pesquisadores e moradores do Pantanal.

“Quase 20% do bioma já foi varrido pelo fogo, dizimando a fauna e a flora e as chamas seguem sem controle, por isso a necessidade urgente da união de esforços das autoridades nos 3 níveis e de toda sociedade pelo combate aos incêndios e por planejamento e prevenção”, destacou a deputada federal Rosa Neide.

No mesmo dia da reunião, o governo de Mato Grosso decretou estado de calamidade por causa dos incêndios florestais, em especial os que ocorrem na região pantaneira e que não foram controlados mesmo com a aplicação de mais de R$ 22 milhões.

Leia Também:  Ministério Público MT denuncia Tenente Ledur por tortura e morte de aluno durante treinamentos militares do Corpo de Bombeiros de MT

Além da visita no sábado, os parlamentares solicitaram uma reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, para criar um grupo de trabalho para construir ações urgentes junto ao Ministério do Meio Ambiente e ao Conselho Nacional da Amazônia.

Outra medida da Frente será encaminhar a discussão do projeto de lei 9950/2018, do deputado federal Alessandro Molon, sobre a conservação do Pantanal.

A situação no Pantanal, segundo o chefe das equipes de brigadistas do Corpo de Bombeiros, coronel Paulo Barroso, é crítica. “São os maiores incêndios florestais da história.

São 150 metros de largura de frentes de fogo com labaredas que alcançam 25 metros de altura. As chamas estão sem controle. Nosso esforço é para proteger a vida humana e salvar os animais. Precisamos de mais estrutura, apoio material e logística para atender os animais”.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com ascom)

Momento +

Baixaria continua: Advogado Cleverson Contó divulga audio no qual uma mulher acusadora de agressão desmente que tenha sido agredida pelo profissional

Publicados

em

O advogado Cleverson Contó(foto) divulgou, nesta sexta-feira (18), áudios em que a Influencer Digital Mariana Vidotto supostamente nega ter sofrido as agressões das quais o acusa.

Nos áudios, que teriam sido trocados entre Mariana e o advogado, os dois também conversam sobre vídeos íntimos do casal que Contó teria se recusado a gravar.

Em um dos áudios, a Influencer Digital supostamente chega a dizer que muitas pessoas tem a procurado para esclarecer se Contó teria ou não cometido agressões físicas contra ela.

“É óbvio que as pessoas estão me perguntando “ele te bateu?”, “ele fez alguma coisa?”, “ele já te deu um soco?”, não. Você não fez isso comigo”, diz trecho do arquivo.

Em outro momento, Mariana e Cleverson conversam sobre vídeos íntimos que a blogueira teria pedido para o advogado gravar. Contó relembra que, mesmo sob insistência da ex-namorada, ele teria se recusado a fazer as gravações.

Mariana argumenta que teria ficado sabendo de vídeos íntimos entre Cleverson e Laryssa Morais, médica que também acusa o advogado de violência doméstica. O advogado, no entanto, rebate.

Leia Também:  Polícia Civil cumpre prisão de suspeito de morte de adolescente em Guiratinga

Mariana, esquece isso. Depois que aconteceu todos os rolos, todos os vídeos que eu tinha, eu apaguei. Da última vez que a gente ficou, eu fiz questão de apagar assim que terminamos. Antes de tomar banho, eu apaguei os vídeos”, afirma.

Em seguida, a blogueira supostamente confirma que Cleverson teria apagado as imagens.

O caso

As agressões que teriam sido praticadas por Cleverson Contó ganharam as manchetes após Mariana Vidotto e um grupo de mulheres virem a público narrar a violência sofrida durante os relacionamentos que mantiveram com o advogado.

Em sua conta no Instagram, Mariana contou que chegou a perder cerca de nove quilos durante o relacionamento e que, no início do ano, Cleverson entrou com um processo contra ela com uma multa de R$ 20 mil caso ela dissesse algo sobre ele.

Outra vítima que ganhou destaque no caso foi a médica Laryssa Moraes que chegou a relatar, também no Instagram, que as agressões ela teria sofrido foram tão brutais que resultaram em um nariz quebrado e em retinas deslocadas. Cleverson também teria tentado estuprá-la com um pen-drive.

Leia Também:  Médica picada por cobra em MT e em tratamento em São Paulo emite nota sobre posicionamento do Conselho Regional de Medicina MT

Já a defesa do advogado Cleverson Campos Contó, representada por Eduardo Mahon, alega que Cleverson estaria sendo alvo de extorsão por parte das vítimas.

Mahon argumentou que não existem exames ou prontuários médicos apontando as agressões que foram relatadas pela médica Laryssa Moraes e a influencer digital Mariana Vidotto. Segundo a defesa, Mariana teria exigido R$ 500 mil para retirar as acusações contra Contó.

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA