Momento +

Justiça de Mato Grosso determina a exumação do corpo do avô paterno de menina de 11 anos morta por envenenamento pela própria madrasta

Publicados

em

A Justiça de Mato Grosso  determinou a exumação do corpo de Edson Emanoel, avô paterno de Mirella Poliana Chuê de Oliveira(a esquerda na foto), que foi morta por envenenamento pela madrasta, Jaíra Gonçalves de Arruda,  de 42 anos.

Na terça-feira(24), divulgaram que foi levantada a suspeita de que a morte do avô, também, possa ter sido provocada por Jaíra.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, a data para a realização da exumação ainda deve ser definida pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP). O Instituto Médico Legal (IML) também prepara os trâmites.

Contudo, a decisão foi assinada no dia 16 de outubro e até agora o procedimento não foi marcado. O processo corre sob segredo de justiça.

O pedido de exumação ocorre após a informação de que Mirella vivia com o avô, antes da madrasta e do pai. Ele morreu no dia 4 de março de 2018, após ter um mal súbito. Por mais que tenha passado por um procedimento de urgência, ele morreu em seguida.

Leia Também:  Banalidade: Polícia caça Empresário acusado de assassinar friamente morador de rua com um tiro na cabeça; covardia foi presenciada por populares

Contudo, antes de falecer, Edson reclamava sobre sucos que Jaíra lhe dava, que ele passava mal logo após. Inclusive, suas últimas palavras foram sobre isso. Com a morte da neta por envenenamento, a polícia levantou a suspeita de que o mesmo possa ter ocorrido com o avô.

Segundo o delegado Olímpio da Cunha Fernandes Júnior, a partir da autorização judicial a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) aguarda agendamento da Perícia Oficial para realização da exumação do corpo.

Fora o avô e a neta, Jaíra também é investigada por outro homicídio. Em 23 de setembro de 2013, em Alto Taquari MT. O comerciante Marcos Cesar de Carvalho, 41, o Paulo Verdurão foi assassinado com um tiro no tórax, após uma suposta briga no trânsito. O autor seria um homem que fazia serviços de pintura na casa dele.

Jaíra, que era casada na época com o pai de Mirela, foi morar em Alto Taquari, com o propósito de cuidar da irmã que enfrentava um câncer, doença que a matou. Depois da morte dela, ela se envolveu com o cunhado, que tinha um mercado na região. Pouco tempo depois ele foi assassinado e Jaíra assumiu os negócios, vendeu o comércio e trouxe as 3 sobrinhas para Cuiabá.

Leia Também:  Série B para o Botafogo é uma questão de tempo; neste domingo o alvinegro carioca foi derrotado por 2 x 1 pelo Santos na Vila Belmiro

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

Momento +

Secretaria de Saúde explica distribuição de vacinas contra a Covid 19 em Mato Grosso; Lote será dividido por vias aérea e terrestre

Publicados

em

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, explicou, na noite desta segunda (18), durante ato de abertura de vacinação contra Covid-19 no Estado, que doses do 1º lote de vacina serão encaminhadas para 14 regionais em Mato Grosso.

Uma parte vai por via aérea, através de seis aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), da Polícia Militar, e outra por rodovias.

Os municípios vão saber hoje (19) quantas doses vão receber das 126.160 doses que chegaram para o Estado. Alguns terão direito a poucas doses, de acordo com o secretário, porque a quantia total cobre apenas pequena parcela da população. O segundo lote – estima-se – deve chegar ainda este mês.

Na primeira etapa, o grupo prioritário a ser vacinado é de profissionais da saúde, idosos, indígenas que moram em aldeias e pessoas com deficiência. A vacina total atenderá a quatro etapas. Na noite de ontem, a enfermeira Luiza Batista, de 43 anos, foi a primeira pessoa vacinada em Mato Grosso, fora do grupo de pesquisa. Atua na UTI da Covid no Hospital Metropolitano em Várzea Grande. Emocionada, disse que é uma alegria grande saber que esta tragédia está perto do fim.

Leia Também:  No duelo de xarás no Mineirão em BH Atlético Mineiro vence o Atlético de Goiânia e reduz a distância para o líder São Paulo na classificação

O secretário é um ferrenho defensor da vacina e, desde o início da pandemia, faz o alerta para o potencial ofensivo da doença, ele mesmo tendo sido infectado duas vezes pelo coronavírus, correndo inclusive risco de morte. “Temos que assegurar a aplicação da primeira e a segunda doses”, diz ele. Isso para que a imunização seja eficiente. E manter as medidas de barreira, incluindo máscaras e uso constante de álcool em gel.

 

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA