Momento +

Justiça: Homem que esfaqueou mulher após vítima recusar “cantada” é condenado por júri popular há 16 anos e 09 meses de prisão

Publicados

em

A vida de uma mulher mudou completamente após recusar uma cantada.

A vítima, que estava em via pública do Distrito Federal, próximo a uma distribuidora de bebidas, recebeu uma investida de Jhonatan da Silva e declinou.

O rapaz, inconformado, a esfaqueou diversas vezes como forma de vingança. O caso aconteceu em janeiro de 2021 e, nesta segunda(09) foi confirmada pelo Poder Jusiciario do DF a pena de 16 anos e 09 meses de prisão, inicialmente, em regime fechado. 

O juiz presidente do caso, no julgamento, contou que em seu depoimento, a vítima narrou que teve de se mudar de casa, pediu demissão e sofreu inúmeros traumas decorrentes do ataque. “Foi possível ver o extremo trauma que o fato causou nela. Até hoje não conseguiu se reintegrar no mercado formal de trabalho, está com dificuldades psicológicas, tendo inclusive solicitado ao Conselho Tutelar ajuda nesse sentido”, observou o magistrado.

Os jurados acolheram ainda parte da denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e entenderam que o réu praticou um homicídio qualificado pelo recurso que dificultou a defesa da vítima (art. 121, § 2º, IV, do Código Penal).

Leia Também:  Em ação conjunta PRF e PC/MT prendem donos de oficina que adulteravam veículos roubados

Na análise dos fatos, o juiz presidente do Júri avaliou negativamente a conduta do réu. Isso porque, no momento do crime, Jhonatan estava cumprindo pena por outra condenação.

Conforme o magistrado, o réu tem maus antecedentes e é reincidente em práticas criminosas, tendo em vista já ter sido condenado por homicídio simples, roubo e desacato.

Jhonatan respondeu ao processo preso e não poderá recorrer da sentença em liberdade.

 

Otavio Ventureli(da redação Brasilia)

Momento +

Em ação conjunta PRF e PC/MT prendem donos de oficina que adulteravam veículos roubados

Publicados

em

Duas pessoas foram presas em flagrante na região metropolitana de Cuiabá pelos crimes de receptação qualificada e adulteração de sinal identificador de veículo, em ações conjuntas da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil.

Na última quinta-feira (26), no município de Várzea Grande, a Polícia Rodoviária Federal e a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) localizaram uma oficina de funilaria automotiva utilizada para realizar adulteração de sinais identificadores de veículos pesados (caminhões), produtos de crime.

Ação foi possível após a PRF apreender um caminhão adulterado no município de Barra do Garças. Os policiais apuraram que o veículo era produto de crime e havia sido adulterado nessa oficina.

As equipes policiais se deslocaram ao local e encontraram escondido dentro do galpão da empresa um caminhão que estava com uma placa fria. Feitas as devidas checagens, constatou-se que a numeração de chassi correspondia a outra placa veicular, de um automóvel furtado no dia 18 de maio em Cuiabá. O proprietário do local foi preso em flagrante por receptação e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Leia Também:  Governo de MT entrega 78 novos ônibus para o transporte escolar rural em 39 municípios

Em outra ação conjunta realizada nessa sexta-feira (27), por equipes da PRF e Derfva, os policiais localizaram um semirreboque que foi roubado no município de Várzea Grande, no início deste mês.

O veículo estava escondido em um estabelecimento comercial de peças usadas, localizado em Cuiabá, na BR-364. O semirreboque estava em processo de adulteração, sendo que as etiquetas oficiais de identificação de numeração do chassi foram removidas e o número de identificação veicular adulterado.

O proprietário do local também foi conduzido para a Derfva e autuado em flagrante pelos crimes de receptação qualificada e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Do início deste ano até o dia de hoje, somente a Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso já recuperou 188 veículos com registro de roubo/furto nas rodovias e estradas federais do estado. Esse resultado advém de um planejamento realizado com base nas estatísticas das ocorrências, aumento da fiscalização em pontos críticos e atuações integradas com outros órgãos.

Outro fator que contribui com isso é o Sistema Nacional de Alarmes da PRF (SINAL), disponibilizado desde novembro de 2017, serve para registrar roubos e furtos de veículos. O sistema tem por objetivo divulgar, imediatamente após o registro, informações de ocorrências nas últimas 72 horas. A probabilidade de recuperação de um veículo é maior nas primeiras horas após a ocorrência do fato.

Leia Também:  Paciente viaja de Cuiabá à Aripuanã MT segurando a porta da ambulância com uma corda; Ministério Público MT vai apurar o descaso da Prefeitura

Qualquer pessoa que tenha sofrido roubo ou furto de veículos dentro do Brasil pode efetuar o registro pelo site https://www.gov.br/prf/pt-br/servicos/sinal , como também pode ser feito por meio do número 191, central de emergência da Polícia Rodoviária Federal. Salienta-se a importância de que o registro na PRF não substitui o Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Fonte: PRF MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA