Momento +

Mais infraestrutura, mais qualidade de vida: Hazama assina ordens de serviços em pavimentação e abre ano com investimentos de R$ 12 milhões

Publicados

em

Várzea Grande abre 2022 no mesmo ritmo em que encerrou 2021: com investimentos em obras de infraestrutura em vários pontos da cidade. Nessa semana, o prefeito em Exercício, José Hazama, assinou quatro Ordens de Serviços para projetos de pavimentação. As obras serão iniciadas a partir da semana que vem, e somam aportes de cerca de R$ 12 milhões, cifras rateadas entre recursos próprios e via convênio junto à Caixa Econômica Federal que somaram R$ 90 milhões, sendo R$ 70 milhões em obras de pavimentação de novas ruas e avenidas e R$ 20 milhões para obras de abastecimento de água.
Até o final do ano, o prefeito em Exercício assinalou que a cidade contabilizará mais de R$ 100 milhões em investimentos na área de infraestrutura, especialmente pavimentação, distribuição de água e esgotamento sanitário.
Hazama assinou a Ordem de Serviço para as obras de pavimentação do Jardim Adália, no Grande Cristo Rei. Serão aproximadamente 3 quilômetros de asfalto novo, com galerias pluviais para escoamento das águas das chuvas, drenagem, meio-fio e calçadas. A comunidade existe há mais de 20 anos e abriga cerca de 80 famílias.
Também foram assinadas três Ordens de Serviço do complexo pavimentação (drenagem, galerias, meio-fio e pavimento novo), sendo uma no Jardim Paula III, uma no Jardim Paula II e mais uma na Cohab Canelas. Ao todo serão 9 quilômetros de asfalto novo, que vão atender uma importante região da cidade, já com uma área empresarial em pleno desenvolvimento.
A previsão é que essas três obras sejam concluídas até maio, podendo ser entregues à população durante as comemorações pelos 155 anos da cidade, festejado em 15 de maio. A obra no Jardim Adália é um projeto “mais pesado”, de maior infraestrutura, e por isso a previsão é de que seja finalizada neste primeiro semestre, além de mais oneroso por exigir muita drenagem por se tratar de área de várzea.
“Mais do que obras estruturantes, estamos trazendo para essas pessoas qualidade de vida, prestando um serviço de saúde pública e de utilidade pública. O asfalto permite a mobilidade, valoriza todo o entorno (edificado ou não) e aproxima a população da gestão municipal. Sabemos o quanto essa população, em especial aqui do Jardim Adália, lutou para que o asfalto se tornasse realidade”, destacou Hazama, ao assinar a Ordem de Serviço.
O secretário de Viação, Obras e Urbanismo, Luiz Celso de Moraes, destaca que a atual gestão está empenhada em garantir obras de infraestrutura em todas as regiões da cidade, levando acessibilidade e promovendo a valorização imobiliária dos locais beneficiados. “Temos um grande compromisso com a população e com a cidade de Várzea Grande e estaremos sempre fazendo mais e o melhor que pudermos. A ordem do prefeito é atender a todos os pedidos dentro da realidade financeira da cidade”.
O representante dos moradores do Jardim Adália, Assil da Silva, frisa que a pavimentação muda todo o cenário da localidade. “Melhora o bairro, melhora o comércio local e a vida de cada morador”.
Junto à população, Hazama reforçou o compromisso do poder público com cada várzea-grandense. “Vamos trabalhar em prol da nossa cidade e sua população. Tivemos, apesar de tudo, um 2021 de muito trabalho, investimentos e realizações. Vamos fazer de 2022, 2023 e 2024 anos de mais investimentos e de desenvolvimento para toda Várzea Grande”.
Em um rápido balanço das duas semanas que estará a frente do Executivo Municipal, Hazama destaca que essas quatro Ordens de Serviços representam investimentos diários médios – nesses 15 dias – de cerca de R$ 1,2 milhão. “Várzea Grande se consolidou por adquirir e manter um ritmo de investimentos altos. Que cidade do País pode fazer um balanço como esses de quase um milhão injetados ao dia, nesse começo de ano?”, pontua o prefeito em Exercício.
70 MILHÕES – Os R$ 12 milhões que estão sendo aplicados nesse momento fazem parte de um convênio junto à Caixa Econômica Federal firmado ainda em 2021 entre a prefeitura e a instituição. Os recursos integram o Finisa, que é o Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento voltado ao Setor Público, destinado a municípios, aos estados e ao Distrito Federal.
Por meio da linha de financiamento é possível que o ente público pleiteie recursos para apoiar financeiramente diversas ações orçamentárias em curso, como investimentos em infraestrutura, mobilidade, equipamentos, iluminação, construção de escolas, creches, hospitais, entre outros.
Várzea Grande vai aportar esses recursos em obras e projetos de pavimentação (asfalto novo) e de revitalização da malha. “Fechamos o ano de 2021 com o maior volume de recursos próprios já injetados pelo Município. O ‘pacote’ soma a aplicação de R$ 115 milhões apenas em obras de pavimentação asfáltica e outros R$ 100 milhões em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário, cifras oriundas principalmente da receita própria, emendas federais e estaduais e recursos de empréstimos”, sublinhou Hazama. Em 2021 foram totalizados 150 quilômetros de malha, sendo 75 quilômetros de asfalto novo e 75 quilômetros de recape e revitalização.

Leia Também:  Forças de Segurança que continuam atuando no grave acidente desta terça na BR 163 em Sorriso MT contabilizam mortos e feridos na tragédia

 

Momento +

Tão comuns nos tempos atuais comentários de ódio postados em redes sociais afetam psicologicamente as pessoas afirmam espacialistas

Publicados

em

Viver conectado é quase uma necessidade nos dias atuais. Quase não há mais separação do mundo virtual para o real. Estamos conectados 24 horas por dia.

A internet tornou-se uma ferramenta essencial para a maior parte da população. É um espaço democrático, onde podemos expressar opiniões.

Mas, também se tornou um local de ataques e disseminação de ódio. Quem faz comentários maldosos na internet são chamados de ‘haters’.

O ‘hate’ é um termo em inglês que na linguagem tecnológica significa “pessoa que posta mensagem de ódio na internet”. Podendo ser para uma pessoa específica ou um grupo.

O ódio sempre foi um sentimento existente. Porém, ele foi potencializado com a chegada e popularização da internet, principalmente, no Brasil.

Os ataques virtuais têm se tornado cada vez mais frequentes. Qualquer pessoa está passiva a esse tipo de ato. Entre os principais alvos dos haters, estão às pessoas públicas.

A Dra. Crhisttiane. psicóloga explicou o por que às pessoas estão com um comportamento cada vez mais agressivo na internet.

Leia Também:  Estatística tenebrosa: Mato Grosso é o terceiro Estado do País com mais flagrantes de motoristas dirigindo embriagados nas rodovias federais

Para a especialista Christiane Bianchi, a conduta “pode ser pelo fato delas se sentirem impotente e com uma necessidade de se imporem sobre as outras pessoas”.

Conforme a psicóloga, as pessoas entendem que devemos ter um bom comportamento apenas no offline, ou seja, fora da internet, na vida real.

“Já estamos acostumados com a ideia de que nosso comportamento deve obedecer às regras sociais no presencial. Mas, ainda tem muitas pessoas que não perceberam que as regras também valem para as redes sociais”, afirmou a psicóloga.

Para Cristiane Bianchi, as redes sociais acabam encorajando as pessoas em posições extremas, a se sentirem mais confiantes para expressarem o que pensam, o que pode afetar gravemente o psicológico para quem é dirigido os comentários de ódio.

“Quando o indivíduo tem interação com o cyberbullying, os danos à saúde mental são muito graves”.

Há leis que punem o Cyberbullying no Brasil. Termo que define a prática do bullying nas redes sociais. O artigo 147-A da Lei 14,132 de 2021  diz que “perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade” é crime de assédio on-line, com pena de reclusão de seis (06)  meses a dois (02) anos.

Leia Também:  Governo de Mato Grosso anuncia que as obras da ferrovia estadual que vai passar pelo Municipio de Lucas do Rio Verde começarão no mês de Junho

Todos nós podemos ser um hater. Discordar de uma publicação ou comentário com outro comentário maldoso é estar disseminando ódio na internet.

 

Otavio Ventureli(da redação com GD)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA