Momento +

Polícia Militar MT ainda não confirmou se áudio deixado por soldado assassinado pelo BOPE nesta quarta(29) é autêntico

Publicados

em

Um áudio atribuído ao policial militar Oacy da Silva Taques(foto), morto em confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope) na madrugada desta quarta-feira (29), nos fundos do Belvedere 2, bairro Itamaraty, em Cuiabá, mostra a preocupação do homem com o que chamou de “situação que não tem como voltar atrás”.

Na gravação, apesar de mostrar otimismo em certo ponto, ele diz que não ter como “sair dessa”. O PM e outras cinco pessoas, incluindo o filho de um sargento, acabaram perdendo a vida após atirar contra a unidade especializada.

Na gravação  que parece ter sido realizada na véspera do ocorrido, o policial militar pede para que uma mulher deixe o áudio  guardado, para que mostra a sua ex-mulher. “O que eu vou falar para você agora, ninguém sabe. Estou indo em uma situação, que não tem como eu voltar atrás mais. Não vai acontecer nada comigo, mas se acontecer, deixa esse áudio gravado”.

“Quero que você fale para a A. que eu amo muito ela, meu filho, do fundo do meu coração. Quero que me perdoe se eu magoei ela com alguma coisa. É obvio que eu fiz isso, mas ficou para trás. Estou em uma missão meio bomba amanhã, não tem como eu sair dessa. Mas se der certo, vai ser bom também, porque nunca mais vou precisar fazer nada errada na minha vida”, finaliza o áudio.

Leia Também:  Com seu nome confirmado para Prefeito na convenção partidária Miguel Vaz recebe elogios de lideranças políticas de Lucas MT

As autoridades ainda não confirmaram de forma oficial que o áudio seria do soldado Oacy da Silva Taques.

 

Otavio Ventureli(com olhardireto.)

Momento +

Baixaria continua: Advogado Cleverson Contó divulga audio no qual uma mulher acusadora de agressão desmente que tenha sido agredida pelo profissional

Publicados

em

O advogado Cleverson Contó(foto) divulgou, nesta sexta-feira (18), áudios em que a Influencer Digital Mariana Vidotto supostamente nega ter sofrido as agressões das quais o acusa.

Nos áudios, que teriam sido trocados entre Mariana e o advogado, os dois também conversam sobre vídeos íntimos do casal que Contó teria se recusado a gravar.

Em um dos áudios, a Influencer Digital supostamente chega a dizer que muitas pessoas tem a procurado para esclarecer se Contó teria ou não cometido agressões físicas contra ela.

“É óbvio que as pessoas estão me perguntando “ele te bateu?”, “ele fez alguma coisa?”, “ele já te deu um soco?”, não. Você não fez isso comigo”, diz trecho do arquivo.

Em outro momento, Mariana e Cleverson conversam sobre vídeos íntimos que a blogueira teria pedido para o advogado gravar. Contó relembra que, mesmo sob insistência da ex-namorada, ele teria se recusado a fazer as gravações.

Mariana argumenta que teria ficado sabendo de vídeos íntimos entre Cleverson e Laryssa Morais, médica que também acusa o advogado de violência doméstica. O advogado, no entanto, rebate.

Leia Também:  Prefeita de Sinop MT afirma que decisão de não mais concorrer a reeleição nas eleições de novembro próximo é de ordem pessoal

Mariana, esquece isso. Depois que aconteceu todos os rolos, todos os vídeos que eu tinha, eu apaguei. Da última vez que a gente ficou, eu fiz questão de apagar assim que terminamos. Antes de tomar banho, eu apaguei os vídeos”, afirma.

Em seguida, a blogueira supostamente confirma que Cleverson teria apagado as imagens.

O caso

As agressões que teriam sido praticadas por Cleverson Contó ganharam as manchetes após Mariana Vidotto e um grupo de mulheres virem a público narrar a violência sofrida durante os relacionamentos que mantiveram com o advogado.

Em sua conta no Instagram, Mariana contou que chegou a perder cerca de nove quilos durante o relacionamento e que, no início do ano, Cleverson entrou com um processo contra ela com uma multa de R$ 20 mil caso ela dissesse algo sobre ele.

Outra vítima que ganhou destaque no caso foi a médica Laryssa Moraes que chegou a relatar, também no Instagram, que as agressões ela teria sofrido foram tão brutais que resultaram em um nariz quebrado e em retinas deslocadas. Cleverson também teria tentado estuprá-la com um pen-drive.

Leia Também:  Com seu nome confirmado para Prefeito na convenção partidária Miguel Vaz recebe elogios de lideranças políticas de Lucas MT

Já a defesa do advogado Cleverson Campos Contó, representada por Eduardo Mahon, alega que Cleverson estaria sendo alvo de extorsão por parte das vítimas.

Mahon argumentou que não existem exames ou prontuários médicos apontando as agressões que foram relatadas pela médica Laryssa Moraes e a influencer digital Mariana Vidotto. Segundo a defesa, Mariana teria exigido R$ 500 mil para retirar as acusações contra Contó.

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA