Momento +

Politicagem: Defensoria Pública de MT protocola ação na Justiça pedindo indenização de R$ 100 mil no caso do estupro de menina capixaba

Publicados

em

A Defensoria Pública de Mato Grosso protocolou nesta quarta-feira (26) uma ação civil pública na Justiça contra o padre Ramiro José Perotto, do município de Carlinda MT.

Os defensores pedem de indenização R$ 100 mil pelas declarações do pároco contra a criança de dez anos, que engravidou do tio após ser abusada sexualmente por quatro anos.

A indenização seria também pelo padre generalizar a acusação de que crianças e adolescentes se insinuam sexualmente para adultos, pelo comportamento e uso de roupas curtas.

Na ação, assinada pelos defensores públicos Letícia Gibbon e Moacir Gonçalves Neto, ambos pedem que a Justiça condene Perotto a pagar o valor de R$ 100 mil, por dano moral coletivo, e a se calar sobre o tema sexo, criança e adolescente, em rádio, tvs, rede sociais e cerimônias religiosas.

Juristas consultados, afirmam que é exagero a Defensoria Pública pedir a Justiça que o religioso se cale sobre os temas citados, caracterizando-se, nesse caso, censura a livre liberdade de expressão. E, que causa estranheza a petição, tendo em vista que a Defesoria sempre defende a Democracia. Ou mudou?

Leia Também:  Fogo consome depósito de algodão no setor industrial de Lucas do Rio Verde

Quando a sociedade imaginaria que tal indenização, caso a Justiça determine,  seria enviada à criança capixaba, maior vítima das declarações do religioso, a Defensoria diz que o dinheiro deverá ser destinado ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos.

Os defensores pedem ainda que o padre se retrate das declarações, que a Mitra Diocesana de Sinop emita uma nota de repúdio contra o que ele falou e que a Igreja e o religioso paguem pelas custas do processo. A ação civil é cominatória com obrigação de não fazer, com pedido liminar e de indenização por danos morais e coletivos.

 

Otavio Ventureli(com hmtnoticias.)

Momento +

Assaltante que levou malotes de dinheiro da Caixa do Boa Esperança em Cuiabá é morto a tiros na Bolívia

Publicados

em

A Polícia da cidade de San Matías, na Bolívia, investiga e tenta localizar criminosos que mataram  o  cuiabano Vinicius Bernardinelli Dacache, de 36 anos, assassinado com 11 tiros  na última quarta-feira (12).

Em 2006, ele foi condenado a 16 anos e oito meses de prisão por envolvimento em um roubo na agência da Caixa Econômica Federal ocorrido no dia 4 de junho do ano anterior.

Na ocasião, foram roubados R$ 195 mil de malotes que chegavam à agência, localizada no bairro Boa Esperança.

Vinicius também já havia sido preso por roubo em Tangará da Serra MT.

De acordo com informações de sites locais da Bolívia, Vinicius atuava no ramo de tratores e máquinas e três dos tiros foram na cabeça dele.

Consta ainda que ele não estava com o celular ou as chaves de um carro que estava próximo ao corpo dele.

Os familiares do foragido da Justiça foram até San Matias e realizaram o translado do corpo dele para Cuiabá.

Leia Também:  Municipio de Sinop MT e Marinha do Brasil firmam parceria na área de segurança para o Festival de Pesca

O sepultamento dele aconteceu na manhã desta sexta-feira (12). Ainda conforme informações locais, não foram identificados os responsáveis pela morte de Vinicius.

 

Otavio Ventureli(da redação com hiper)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI