Momento +

Sem incomodar o Governo que se nega a intervir supermercados do País praticam preços abusivos de alimentos aproveitando-se da crise

Publicados

em

A cesta básica, em Cuiabá, ficou 14,54% mais cara em agosto deste ano, quando comparada ao mesmo mês do ano passado, ao passar de uma média de R$ 457,1 para atuais R$ 523,6.

Pesaram sobre o orçamento das famílias alimentos mais do que essenciais como feijão (+45%), o óleo de soja (+34%), o açúcar (+33%), a carne (+30,66%) e o pão francês (+15%), que, nessa ordem, foram os mais registraram alta no período.

Dos 13 itens que compõem a cesta básica, nove majoraram seus valores médios, dois tiveram queda (batata e tomate) e dois se mantiveram estáveis (farinha e café em pó). Os dados fazem parte do levantamento mensal realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

No intervalo de agosto de 2019 apara 2020, a cesta básica ficou R$ 66,5 mais cara aos cuiabanos, enquanto que a valorização do salário mínimo foi de R$ 47, ao sair de R$ 998 para R$ 1.045. Ou seja, o aumento do piso salarial não foi suficiente para manter o poder de compra da população. Os itens básicos aumentaram quase 1,5 vez nessa comparação.

Para comprar a cesta básica, o cuiabano desembolsa atualmente 50,10% do mínimo. No mesmo mês do ano passado, por exemplo, o valor médio da cesta básica em Cuiabá equivalia a 45% do salário mínimo vigente naquele momento (R$ 998).

Apesar do sentimento em contrário, na avaliação mensal – agosto ante julho – o valor da cesta básica em Cuiabá ficou estável, variando de R$ 523 para R$ 523,60.

Leia Também:  "Fugitiva": Deputada Flordelis acusada de ser mandante do assassinato do marido não comparece a Justiça para colocar tornozeleira eletrônica

Mas, como destacam os analistas do Imea, alguns itens essenciais, como o arroz (+4,2%), leite (+3,8%) e carnes (+2,6%) exibiram incremento em seus preços ante a julho. Dos 13 itens pesquisados, oito tiveram majoração mensal, quatro tiveram redução e apenas um se manteve estável. “Na contramão, o que ‘segurou’ o valor da cesta a forte retração no preço da batata (-20,9%)”.

Como o Imea utiliza a mesma metodologia aplicada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) para mensurar a evolução dos preços da Cesta Básica, é possível ranquear a Capital de Mato Grosso junto aos outros valores apurados pelo Departamento, por meio da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos.

Considerando os registros de agosto, Cuiabá exibe a quinta cesta básica mais cara do País, cotada a R$ 523,6. A mais cara é a de São Paulo (R$ 539,95), seguida por Florianópolis (R$ 530,42), Rio de Janeiro (R$ 529,76), Porto Alegre (R$ 528,61) e Cuiabá.

Há cerca de dois anos, Cuiabá deixou de integrar o rol de cidades onde o Dieese avaliava o comportamento dos preços de itens básicos de alimentação. Os 13 itens formam um conjunto de alimentos básicos, necessários para as refeições de uma pessoa adulta, durante um mês.

NO PAÍS

Conforme a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, do Dieese, os preços dos alimentos aumentaram em 13 das 17 capitais pesquisadas. Em outras quatro cidades, o custo – na comparação com julho – diminuiu.

Leia Também:  Polícia civil investiga morte de mulher de 54 anos encontrada sem vida na cozinha de sua residência com uma facada na região do pescoço

Com base na cesta mais cara, que, em agosto, foi a de São Paulo (R$ 539,95), o Dieese estima que o salário mínimo necessário deveria ser equivalente a R$ 4.536,12, o que corresponde a 4,34 vezes o mínimo vigente de R$ 1.045,00.

O cálculo é feito levando em consideração uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças.

O tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta, em agosto, foi de 99 horas e 24 minutos, maior do que em julho, quando ficou em 98 horas e 13 minutos.

Quando se compara o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social (alterado para 7,5% a partir de março de 2020, com a Reforma da Previdência), verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em agosto, na média, 48,85% do salário mínimo líquido para comprar os alimentos básicos para uma pessoa adulta. Em julho, o percentual foi de 48,26%.

Devido à pandemia do novo coronavírus, Departamento suspendeu, em 18 de março, a coleta presencial de preços da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos.

Desde então, a entidade realiza uma tomada especial de preços à distância para verificar o custo da cesta básica em 16 das 17 capitais onde o levantamento é realizado. A pesquisa só tem sido feita presencialmente na cidade de São Paulo, com menor número de pesquisadores e em horários em que os estabelecimentos comerciais estão mais vazios.

 

Otavio Ventureli(da redação com diariodecuiaba)

Momento +

Palmeiras cria pouco empata com Guaraní no Defensores Del Chaco em Assunção e adia classificação às oitavas da Libertadores

Publicados

em

O Palmeiras terá de esperar mais um pouco para confirmar sua classificação às oitavas de final da Copa Libertadores.

O Verdão empatou em 0 a 0 com o Guaraní do Paraguai, nesta quarta-feira(23), em Assunção, e só precisa de um ponto nos dois próximos jogos para avançar na competição.

O duelo disputado no Defensores Del Chaco foi de poucas chances, muito físico e com menos técnica do que o time de Vanderlei Luxemburgo poderia oferecer. Valeu, porém, para manter a invencibilidade na Libertadores e dar mais um passo rumo à vaga.

O empate leva o Palmeiras aos 10 pontos, na liderança do Grupo B. O Guaraní vai a sete, em segundo lugar. O Verdão abriu seis pontos do Bolívar, que tem quatro, e também tem vantagem no saldo de gols (5 dos brasileiros, -1 dos bolivianos).

Jogando no “quintal de casa”, o paraguaio Gustavo Gómez foi mais uma vez destaque por sua segurança na defesa. Ele travou um chute de Florentín que poderia terminar em gol do Guaraní, no primeiro tempo, e outro de Merlini na segunda etapa, também em lance perigoso. O zagueiro continua em grande fase.

Leia Também:  Perplexidade: Advogado de MT anuncia em rede social um suposto "campeonato de raparigas" e causa indignação no Conselho dos Direitos da Mulher

 

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA