Momento +

‘Tomo três a quatro banhos por dia, antes e depois de transar sempre’, diz Xuxa

Publicados

em


source

Xuxa Menghel revelou que ainda tem traumas por conta dos abusos sexuais que sofreu na infância . A apresentadora que falou sobre o assunto pela primeira vez no programa ‘Fantástico’, em maio de 2012, e dedicou um dos capítulos do livro ‘Memórias’, voltou a relatar o caso. Desta vez, ela confessou que tem traumas por causa da violência. “Eu tomo de três a quatro banhos por dia, antes e depois de transar sempre. Demoro bastante para me sentir limpa. Vejo que ninguém mais faz isso. E tem questões no meu relacionamento que são difíceis. O Ju está me ajudando a virar a chave. Eu não gostava de que ele fizesse algumas coisas, porque me lembrava do namorado da minha avó tocando em mim, abusando de mim. Hoje, o Ju fala: ‘Quem está fazendo isso é alguém que ama você, não aquela pessoa’. Eu chorava no começo, mas não quero colocar essa barreira na minha vida. Aos poucos, vou avançando. Contudo, as marcas ficam e algumas nem devem ser tão conscientes. Não é algo fácil de trabalhar e talvez eu leve pra outra vida”.


xuxa e junno
Reprodução

Xuxa e Junno: veganismo melhorou vida sexual

A mãe de Sasha assumiu que tentou fazer terapia, mas não deu certo. “Eu tentei tratar. Fiz terapia quando meus pais se separaram e a primeira coisa que falei foi do abuso. Só que escolhi a pessoa errada. Eu não conseguia dormir, e ela queria resolver isso. Aí, a sessão envolvia dormir e falar com umas almofadas quando acordasse, um processo interessante até. Uma vez, acordei e ela estava me tocando. Fui lá resolver algo e só piorou”, contou em entrevistas a revista Claudia.

Xuxa também abriu o jogo sobre a polêmica que envolve a sua participação no filme, ‘Amor Estranho Amor’: “Esse filme é usado como uma ferramenta atemporal para me criticar. Geralmente isso parte de quem não sabe do que está falando. A coisa mais certa era esse filme ser distribuído de novo, porque é uma história real. Trata de uma menina de 15 anos, a minha personagem, vendida para um prostíbulo, para um político e aí recortam só a cena em que ela transa com um garoto de 13 anos e ainda inventam que é a Xuxa, e não uma personagem de ficção. Aqueles que trabalhavam comigo na época tentaram esconder e foi a maior bobeira. Se tivesse chegado aos lares, saberiam que não é a minha biografia, mas cinema. Nunca fui prostituta, nunca fui doada. O problema é que as pessoas não assistem, e a mensagem fica deturpada”, pontuou a rainha dos baixinhos, que completou o seu raciocínio.

Leia Também:  Médico cirurgião-geral Marcelo Shida, de Tangará da Serra MT, morre em São Paulo aos 53 anos vítima de Covid 19

“Para mim, é inadmissível, ignorância até, comentar o que não conhece. Podiam ver e aí criticar. Mas dizer que a Xuxa fazia filme adulto com criança é um absurdo. Eu posto alguma coisa de veganismo e lá vem a provocação: “Comer carne não pode, mas trepar com criança, sim”. Do que a senhora está falando? O filme não tem qualidade para ser exibido hoje, mas as pessoas que querem me ofender poderiam fazer uma vaquinha e trabalhar nessa fita para poder ver e entender que, no Brasil, meninos e meninas são trocados por uma camiseta, por um prato de comida”, finalizou.

Fonte: IG GENTE

Momento +

Secretaria de Estado de Segurança Pública cria força tarefa para investigar execução de dois advogados e localizar os criminosos

Publicados

em

A Secretaria de Segurança Pública de Goiás criou uma força-tarefa dentro da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), com apoio das inteligências das forças policiais (Polícia Civil e Militar), para elucidação dos assassinatos dos advogados Frank Alessandro Carvalhaes de Assis (47) e Marcus Aprigio Chaves(foto) e identificação dos autores. Os dois atuavam na área cível.

O crime aconteceu nesta quarta-feira (28), por volta das 14h30, no escritório em que atuavam, na Rua 9-A, no Setor Aeroporto, em Goiânia. Uma testemunha teria contado que há alguns dias uma pessoa ligou para marcar uma reunião com um dos advogados, que não teve horário disponível.

Nesta quarta(28) a tarde, os dois homens chegarem ao escritório, mencionaram a chamada telefônica anterior e apesar de não terem agendado o encontro, entraram e esperaram.

O comportamento deles foi relatado  como sendo tranquilo desde que chegaram em um veículo branco. Os dois homens não usavam máscaras de proteção facial, mas não existem câmeras de monitoramento no interior do escritório.

Leia Também:  Presidente Bolsonaro revoga Decreto de uma possível privatização do SUS que estaria na mira de programa de privatização do Governo

Depois de levados a sala de atendimento, onde Frank já estaria trabalhando, um deles teria pedido dinheiro. Marcus teria entregue R$ 2 mil, mas os bandidos ordenaram que ficassem de costas e atiraram nos dois. O caso aconteceu por volta das 14h35.

A polícia procura agora imagens de câmeras de segurança dos estabelecimentos comerciais vizinhos ao escritório, onde além dos dois profissionais, trabalhavam outros advogados.

Frank e Marcus atuavam na área cível. Marcus é filho do desembargador do Tribunal de Justiça de Goiás, e ex-presidente do TJGO, Leobino Valente Chaves. Já Frank é filho do delegado aposentado Francisco Assis.

Apuração célere

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás foi informada do assassinato durante a sessão do Conselho Seccional que ontem escolheu os seis advogados para integrarem a lista sêxtupla do quinto constitucional da advocacia para o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de Goiás.

Imediatamente, designou o seu vice-presidente, Thales José Jaime, e mais dois representantes da Comissão de Direitos e Prerrogativas para irem ao local do crime.

Leia Também:  DETRAN de MT alerta à população de práticas ilegais de malandros que estão usando um site pirata alegando ser do Órgão e divulgando leilões

Em nota, a entidade manifestou inconformismo com a morte dos advogados e repudiou à crescente escalada de violência contra a advocacia. “Cobramos das autoridades competentes célere elucidação, para que os responsáveis sejam levados às barras da Justiça e exemplarmente punidos”, declarou a OAB-GO.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessorias)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA