Momento +

Violência sem fim: Tio mata sobrinho a facadas em Lucas do Rio Verde MT e é preso em flagrante em hotel através de denúncia anônima

Publicados

em

Uma briga em família, entre tio e sobrinho, acabou em sangue, neste fim de semana. Geyson Fabrício da Silva, de 36 anos, foi morto com várias  facadas pelo tio, de 47 anos, que não teve o nome divulgado.

O crime aconteceu no início da noite de sábado (10), na casa da família, no bairro Jardim Primavera, na cidade de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso.

O assassino foi preso em flagrante pela Polícia Militar, depois que foi acionada por populares, ainda na noite de sábado(10). Quando chegaram à casa da família, os militares encontraram o homem morto, mas o assassino já havia fugido do local do crime.

Enquanto estavam fazendo o isolamento de local de crime, os policiais receberam uma informação anônima, de que o autor do crime estava se hospedando em um hotel nas proximidades da estação rodoviária.

A PRISÃO

Preso, o assassino contou aos policiais que a briga entre ele e o sobrinho começou quando a vítima tentou expulsar a filha dele de casa.

Leia Também:  Mato Grosso apresenta redução de 14% nos registros de tráfico e uso de drogas segundo dados da SESP MT

Além da tentativa de expulsão da filha do acusado, a vítima também teria agredido o neto dele, gerando muita revolta na família.

Durante a briga, segundo o acusado, o sobrinho teria jogado óleo quente no tio, que pegou uma faca e desferiu golpes contra ele, causando sua morte.

De fato, segundo a Polícia Militar, o acusado preso estava sujo óleo e com vermelhidão nas costas.

A Polícia Civil fez a liberação do cadáver para o Instituto Médico Legal (IML), depois da perícia preliminar de agentes da Perícia Oficial do Estado (Politec).

 

 

Otavio ventureli(da redação)

Momento +

Polícia Civil de MT intensifica investigações para esclarecer o desaparecimento de estudante de direito ocorrido em maio deste ano

Publicados

em

O Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), de Cuiabá, cumpriu dois mandados de busca e apreensão domiciliar na manhã desta quarta-feira (28), para esclarecer o desparecimento da estudante de Direito, Lucimar Fernandes Aragão de 40 anos(em destaque na foto), ocorrido em maio deste ano. Ela foi vista pela última vez com o namorado, que é o principal suspeito.

Os dois mandados de busca e apreensão domiciliar tinham como alvos duas residências de propriedade do principal suspeito (namorado) do desaparecimento da vítima. Uma casa está localizada no bairro Parque Geórgia, na Capital, e a outra situada na Cohab Cristo Rei, em Várzea Grande.

Conforme o delegado da DHPP, Anderson Veiga, que conduz as investigações, a ação é apenas umas das diligências que estão sendo realizadas pelos policiais civis para esclarecer o desaparecimento.

“Nos imóveis foram apreendidos objetos que serão analisados e submetidos a perícia. O trabalho investigativo prossegue de forma interrupta no sentido de localizar a desaparecida, a qual acredita-se que esteja morta e o cadáver ocultado”.

Leia Também:  Após sair de borracharia com roda traseira solta motorista derrapa e capota Ecosport que ficou totalmente destruída no acidente

Desaparecimento

Lucimar desapareceu no mês de maio e somente no dia 10 de agosto, a mãe da vítima procurou a polícia em razão da filha estar um pouco afastada da família.

A comunicante informou que desde maio não falava com a filha, que estava com o celular desligado. A mãe foi até a residência de Lucimar e encontrou a casa e o carro dela com aspecto de abandono.

Na ocasião, ela conseguiu informação da casa onde sua filha estava morando com o namorado. No endereço do namorado, ele foi perguntado sobre o paradeiro de Lucimar, informando que teve uma briga com a namorada e ela teria sumido.

Ainda de acordo com algumas testemunhas, por diversas vezes o casal foi avistado brigando.

 

 

Otavio Ventureli(com ascom)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA