Momento Destaque

Mulher do Presidente da OAB MT disse em depoimento à Polícia que sempre sofreu agressões físicas e psicológicas do marido

Publicado

A advogada Luciana Póvoas, mulher do presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, acusado por ela de violência doméstica na madrugada desta quinta (28), afirmou que sempre sofreu agressões físicas e psicológicas, razão pela qual ambos estavam divorciados.

No entanto, ela disse aos policiais que dependia financeiramente do suspeito e moravam na mesma casa.

Luciana ainda declarou que precisava usar vestidos e roupas longas para esconder as marcas das agressões. Ela contou que, assim que ele chegou em casa, perguntou o motivo de ter demorado e ele revidou com um “empurrão”.

Após ser agredida, a advogada disse que se sentiu “cansada” dos episódios de violência e deu um tapa nas costas de Leonardo. Com isso, o presidente da OAB-MT, segundo Luciana, pegou o celular e começou a filmar a situação, dizendo que a mulher era “louca, descompensada e desequilibrada”.

As afirmação consta no termo de declarações prestado por Luciana à delegada Jannira Laranjeira(foto), na madrugada desta quinta (28).

Além disso, ela citou a vontade de manter o padrão de vida do filho do casal, um adolescente de 17 anos de idade. “Apesar de ser sócia do suspeito no escritório de advocacia, não possui acesso à entrada e saída dos valores percebidos na sociedade”, diz trecho do depoimento.

Ela ainda afirmou ter a impressão de que por muito tempo foi “escrava, submissa e dependente” do marido. Luciana também disse que acredita que a separação não cessará apenas com as agressões físicas. À delegada, ela contou que, assim que Leornado chegou em casa aparentando embriaguez, ela pediu que ele se retirasse, já que ele possui uma arma de fogo.

 

Otavio Ventureli(com rdnews.)

Comentários Facebook
publicidade

Momento Destaque

Escândalo: Denúncias de fantasmas, nepotismo e pagamento de salário acma do teto atinge em cheio irmã de Ministro do Supremo Tribunal Federal

Publicado

O Ministério Público paulista abriu inquérito para apurar denúncias de funcionários fantasmas, nepotismo e pagamento de salários acima do teto a servidores do Tribunal de Contas do Município de São Paulo.

A portaria que determinou a investigação, assinada pelo promotor Christiano Jorge Santos em maio, foi obtida pelo Estadão nesta sexta, 10.

Um dos investigados é a irmã do ministro Dias Toffoli(fgoto), presidente do Supremo Tribunal Federal, mencionada como exemplo de ‘nepotismo cruzado’ – quando há nomeação de parentes de servidores públicos para cargos públicos em detrimento de qualificações específicas para a função. Segundo o promotor, Maria Esther Dias Toffoli trabalha no gabinete do conselheiro Roberto Braguim, ‘em notório uso indevido de cargos públicos’.

As supostas irregularidades foram reveladas por denúncia anônima enviada à Ouvidoria do MP. De acordo com o relato, é comum que servidores aposentados sejam nomeados para cargos comissionados, cuja escolha é feita pelos conselheiros da Corte de Contas, e acumulem remuneração acima do limite determinado por lei.

 

Otavio Ventureli(com Estadao.)

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Destaque

Três adultos são presos com seis quilos de maconha em bairro de VG

Publicado


.

Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Três adultos foram presos e um adolescente aprendido com seis quilos de entorpecente na tarde desta sexta-feira (10), em uma casa no bairro Terra Nova, em Várzea Grande. As prisões e a apreensão foram feitas por equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE) que realizava diligências na região.

Durante rondas pelo bairro, os policiais da DRE avistaram um rapaz em atitude suspeita e ao ser abordado, com ele foram encontradas porções médias de maconha. Com a informação de que havia uma boca de fumo nas proximidades, a equipe policial foi até a casa do adolescente abordado. No momento em que a viatura parou na residência, outro rapaz saía do local e nos fundos do quintal havia mais duas pessoas. Uma delas, ao perceber que era abordagem policial, tentou fugir pulando o muro.

Em busca no terreno da residência, os policiais encontraram parte da droga enterrada no quintal, dois tabletes e meio de substância análoga à maconha. Em um dos quartos da casa foram localizadas mais porções de droga.

Em mais uma revista no quintal da casa, a equipe da DRE localizou dentro de uma máquina de lavar roupas mais três tabletes e meio da droga e outras porções separadas. 

O grupo foi encaminhado para a DRE para ser ouvido. Os três adultos foram autuados pelo delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira por tráfico de drogas e associação para o tráfico, com aumento de pena por envolver menor de idade nos crimes.

O adolescente vai responder a ato infracional análogo a tráfico de drogas e associação para o tráfico. A ocorrência será encaminhada para a Delegacia Especializada do Adolescente.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana