MULHER

“A pessoa gorda que se sente culpada pelo preconceito sofre”, diz ativista

Publicados

em


source
gorda na lei
Divulgação

Marianna e Rayanne, criadoras do projeto Gorda na Lei


A gordofobia  não diz respeito apenas aos padrões estéticos, mas a detalhes do cotidiano das pessoas gordas.  Além dos olhares por cima dos ombros, há denúncias de casos preconceito ou descasos por parte de médicos, macas hospitalares que não suportam  corpos gordos , catracas, assentos e provadores feitos sem pensar na diversidade de tamanho das pessoas.

A jurista e ativista Rayanne Souza, 29 anos, sempre falou sobre  body positive e gordofobia em suas redes sociais . Ela passava por essas situações e até mesmo na facudade de Direito sofria com o cyberbullying, feito por colegas de sua sala.

“Eu sofro gordofobia todos os dias quando eu me posiciono nas redes sociais, como uma mulher gorda que se aceita. Eu já fui humilhada por uma ginecologista que disse que eu nunca arrumaria ninguém se eu não emagrecesse”, relata em entrevista ao Delas. 


Como surgiu o projeto Gorda na Lei 

Marianna Vieira, 32 anos, é magra e via todo o preconceito que Ray passava na faculdade. As duas se tornaram melhores amigas e da amizade surgiu a ideia de ajudar outras pessoas gordas que sofrem com a gordofobia e não sabem como agir judicialmente. Surgiu então o projeto Gorda na Lei , que tem como o objetivo orientar, informar e compartilhar toda a informação relacionada a luta contra a gordofobia no âmbito jurídico. 

Leia Também:  Cores na decoração:  arquiteta dá oito dicas para renovar o visual da casa

“Marianna é uma aliada com a luta anti gordofobia, mesmo sendo uma mulher magra. Muitas pessoas me questionam porque minha parceira no Gorda na Lei é uma mulher magra e eu falo ‘o local de fala é meu, o lugar de fala dela é de aliada, que percebeu o quão grave é essa chacota. É importante que as duas tenham vozes em espaços diferentes, combatendo o mesmo mal”, explica. 

Como a pessoa gorda pode buscar os direitos 

A gordofobia não é tipificado em lei. Isso quer dizer que não existe uma lei específica para combatê-la. Porém, pessoas gordas podem se sentir lesadas durante consultas médicas, em uma entrevista de emprego, na catraca do transporte ou qualquer outro tipo de situação. 

“O Gorda na Lei veio pra isso, para as pessoas entendam quais são os direitos dela, não só o corpo gordo, mas como indivíduos. As pessoas não têm conhecimento sobre leis básicas, então a primeira coisa é saber seus direitos como indivíduos. A partir do momento que você está sendo excluído por causa do seu peso, procure um advogado”, orientam. 

Rayanne conta que elas já lidaram com muitos casos, principalmente crimes virtuais, onde os famosos haters fazem o uso indevido da imagem de alguém, com o intuito vexatório. Um dos casos que mais marcantes, foi de uma senhora que ficou presa na catraca do transporte público. Ao invés das pessoas ajudarem, elas começaram a filmar e as imagens viralizaram. 

“Nós conversamos com ela e falamos todas as possibilidades. Ela decidiu não processar a empresa de ônibus, mas decidiu entrar na fila do SUS para fazer uma bariátrica. Ela achou que era o que ela deveria fazer para não sofrer mais aquele tipo de preconceito, a pessoa gorda sempre se sente culpada pelo preconceito que ela sofre, o errado não é a sociedade, é sempre a gente, então esse entendimento precisa acabar, porque é gordofóbico, oprime, adoece as pessoas.” explica Rayanne.

Ela ainda acrescenta: “A sociedade é cruel, que sociedade é essa que faz a pessoa fazer uma cirurgia para não sofrer mais nenhum tipo de aborrecimento? Foi o que mais marcou a gente e a gente lamenta muito não ter feito ela mudar de ideia”. 

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

Patchwork: conheça a tendência sustentável e inspire-se nos looks

Publicados

em


source

Alto Astral

undefined
Reprodução: Alto Astral

Patchwork: conheça a tendência sustentável e inspire-se nos looks

O patchwork é uma técnica antiga que ganhou popularidade nos anos 70 e voltou a ocupar as passarelas no final do ano passado e início deste ano. O conceito surgiu da necessidade de aproveitar as sobras dos tecidos e, para isso, eram emendadas umas às outras. Você provavelmente já deve ter se deparado com o método em colchas de retalhos ou artesanatos, por exemplo.

Dessa vez, o patchwork invade o mundo da moda novamente a traz a proposta de sustentabilidade e consumo consciente aos looks . Isso porque a técnica faz parte do movimento upcycling, que propõe atribuir um novo propósito a materiais que seriam descartados. Dessa forma, é possível agregar valor tanto às sobras de tecido quanto às peças que você já não usa mais.

Entretanto, vale mencionar que roupas feitas a partir de tecidos novos, desenhadas exclusivamente para atender à indústria da moda, não se encaixam nesse propósito, certo?

As possibilidades para apostar na tendência são muitas e incluem aplicações de retalhos bicolores, estampados ou jeans . O resultado são peças vintage , sustentáveis e cheias de estilo. Confira as inspirações!

Leia Também:  Duda Reis revela detalhes sobre as acusações contra Nego do Borel

5 maneiras de apostar em peças patchwork no visual

Básico

Patchwork: conheça a tendência sustentável e inspire-se nos looks
Fotos: Reprodução/Pinterest | Arte: Larissa Sericava

Um dos estilos de patchwork que mais está bombando no momento são as peças lisas, que misturam diferentes tecidos, mas sem ousar nas combinações. É comum encontrar essa tendência em blusas, porém quando aplicada à saias , o resultado também fica incrível.

Estampado

alt
Fotos: Reprodução/Pinterest | Arte: Larissa Sericava

Para quem procura por mais ousadia e não tem medo de chamar atenção, o patchwork estampado é a tendência ideal. Como o nome já indica, o conceito é definido pela combinação de diferentes estampas e em diferentes cores – como uma colcha de retalhos. Estilo na certa!

Jeans

Patchwork: conheça a tendência sustentável e inspire-se nos looks
Fotos: Reprodução/Pinterest | Arte: Larissa Sericava

Outra versão do patchwork que marcou forte presença nas passarelas da temporada foi a jeans . No geral, as peças são compostas a partir de diferentes lavagens ou cores de tecido. Para inovar, também vale misturar o jeans com estampas, como a de “vaquinha” – outra tendência.

Monocromático

alt
Fotos: Reprodução/Pinterest | Arte: Larissa Sericava

Os looks monocromáticos fizeram a cabeça das fashionistas em 2020 e prometem não sair de moda tão cedo. Isso porque são práticos e, ao mesmo tempo, cheios de estilo. Quanto ao patchwork , vale apostar em retalhos de um mesmo tecido ou na combinação entre tonalidades semelhantes.

Leia Também:  Alimentação para crianças: dicas para ensinar seu filho a comer saudável

Você viu?

Xadrez

Patchwork: conheça a tendência sustentável e inspire-se nos looks
Fotos: Reprodução/Pinterest | Arte: Larissa Sericava

Apostar em peças xadrez não tem erro, né? Para sair do comum sem deixar a estampa “queridinha” de lado, você pode apostar na combinação da padronagem com outros tecidos, seguindo o estilo patchwork . Modelos oversized marcam presença nessa variação, trazendo um toque de streetstyle aos looks .

Dica extra: acessórios

alt
Fotos: Reprodução/Pinterest | Arte: Larissa Sericava

Por ser uma tendência estilosa e sustentável, o patchwork também não ficaria de fora dos acessórios . A dica extra é investir em bolsas ou chapéus, que prometem transformar qualquer visual sem muito esforço.

Texto: Milena Garcia

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA