MULHER

Após assumir namoro, Luísa Sonza volta a sofrer ataques machistas

Publicados

em


source
Luísa Sonza e Vitão
undefined

Luísa Sonza e Vitão


Luísa Sonza e Vitão finalmente assumiram o namoro através de fotos românticas publicadas nas redes sociais na noite desta quinta-feira (10). Muita gente, no entanto, não reagiu bem à novidade.

Dando como desculpa uma suposta traição da cantora  ao ex-marido, o youtuber Whindersson Nunes, muita gente desceu o nível e acusou a cantora de ter crescido na carreira as custas do ex. Teve gente até que falou que Sonza superou o término “rápido demais”. 





Leia Também:  Alexandra Gurgel posta conteúdo sobre "direito de ser feia" e sofre hate na web


No Twitter, fãs e apoiadores da cantora expuseram o machismo que há em toda essa discussão e aproveitaram o momento para levantar a hashtag “solteira”. A palavra, que esteve entre os assuntos mais comentados, foi para lembrar a todos que Luísa Sonza estava solteira e que, assim, pode fazer o que bem entender da sua vida. 






Em seu Instagram, a cantora também se pronunciou através de um vídeo: “Eu não sei se falo ou não. Se eu falasse, não saberia por onde começar. Está tudo tão errado, que não tem nem… Minha vontade é falar um monte de coisa, mas não vale a pena. Desde o primeiro dia da internet, eu sempre fui atacada. Nunca importei o que eu fiz ou deixei de fazer. Já cresci, evoluí, mudei, cantei um monte de música. Isso nunca importou para as pessoas. Nenhuma atitude minha importou. Nenhum dos ataques vieram de coisas que eu tenha feito, [vieram] de coisas inventadas! Não importa o que eu venha falar aqui ou tente me defender, que eu já tentei todos esses anos e me culpava, não entendia o que eu tinha de errado”, começou ela.

Leia Também:  Retiro no interior de São Paulo busca resgatar autoestima das mulheres

Sonza também negou que tenha traído Whindersson. “Eu queria que as pessoas me conhecessem, eu tinha essa sede de mostrar que eu era uma pessoa correta, que eu tenho caráter. Mas quando eu entendi que ninguém estava nem aí para o que eu tinha que dizer ou não… Acho que me libertei. Para mim, não me interessa mais o que você pensa, o que você acha ou não de mim. Eu sei da minha verdade e eu não acho que eu tenho que dar satisfação, nem me justificar sobre coisas que eu nunca fiz e nem faria com um ser humano. Não deem atenção para essas pessoas. Elas nunca deram atenção para mim. Nunca quiseram escutar meu lado ou o que eu tenho para dizer”.

“Não esqueço de ver o lado de vocês. É gostoso receber [esse carinho], isso que me faz estar aqui até hoje. As músicas, Spotify, ter conquistado essa casa maravilhosa que eu moro, os prêmios… São vocês [os fãs] que merecem atenção para o resto da minha vida. Minha energia vai ser gasta com vocês. Obrigada por tudo. É muito bom ver vocês me defendendo. Estou muito feliz com meu namoro. Vou postar um monte de Stories e fotos lindas [dela e de Vitão]”, agradeceu.

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

Mulheres indígenas criticam a fala de Bolsonaro na ONU sobre queimadas

Publicados

em


source

O presidente Jair Bolsonaro participou da 75ª edição Assembleia Geral da ONU na manhã desta terça-feira (22). Entre os pontos abordados no discurso,  ele comentou as queimadas no Pantal e na Amazônia e disse que elas são causadas pelos povos indígenas. 

sonia guajajara e bolsonaro
Reprodução/Instagram/TV Brasil

Mulheres indígenas criticam a fala de Bolsonaro na ONU

“Nossa floresta é úmida e não permite a propagação de fogo no seu interior. Os incêndios ocorrem onde o caboclo e o índio queimam seus roçados em busca de sobrevivência, em áreas já desmatadas”, disse o presidente. 

Essa fala causou revolta entre as lideranças das comunidades tradicionais e mulheres indígenas se criticaram o posicionamento de Bolsonaro. Chirley Pankará, militante e codeputada estadual em São Paulo pela Bancada Ativista (Psol),  chamou Bolsonaro de mentiroso no Twitter e escreveu: “Somo nós os responsáveis por apagar o fogo causado por seus aliados, grileiros fazendeiros, assassinos da natureza. Não toleraremos calunias e incitação de ódio!”. 

Leia Também:  8 receitas de hidratação com abacate para ter o cabelo dos sonhos

Já Sonia Guajajara, que foi candidata a vice-presidente em 2018 , disse que o presidente mentiu mais uma vez e que os responsáveis pelas queimadas se sentem mais empoderados a desmatar por causa dessas falas. A ativista Watatakalu Yawalapiti questionou os eleitores de Bolsonaro ao questionar: “Será que os eleitores dele não tem vergonha de ter colocado um mentiroso desse no poder? Não sei de quem que fiquei com mais pena, se foi dos que colocaram ele no poder ou de quem estava lá ouvindo as mentiras”.

A deputada federal Joenia Wapichana (Rede Sustentabilidade) também se pronunciou sobre a fala na ONU. “É vergonhosa e leviana a atitude do presidente Bolsonaro na ONU, ao jogar a culpa pelos incêndios ambientais aos povos indígenas, originários desse país. Isso prova o despreparo, a incompetência e irresponsabilidade em administrar o Brasil. O incêndio no Pantanal, somado ao aumento do desmatamento na Amazônia, é o resultado do desmonte das políticas de proteção ao meio ambiente adotado por esse desgoverno”, ela escreveu no Twitter.

Leia Também:  Horóscopo do dia: previsões para 21 de setembro de 2020





Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA