MULHER

Conheça os 5 signos mais fofoqueiros do zodíaco

Publicados

em


source

João Bidu

Conheça os 5 signos mais fofoqueiros do zodíaco
Redação João Bidu

Conheça os 5 signos mais fofoqueiros do zodíaco

Sabe aquela amiga que não consegue guardar um segredo sequer? Que não pode ouvir uma novidade que já está contando para o mundo todo? É difícil entender os reais motivos dessas pessoas em contar os segredos dos outros, mas a astrologia pode nos ajudar a interpretar os objetivos e intenções desses indivíduos.

Descubra se a sua amiga, ou até mesmo você, está entre os 5 signos mais fofoqueiros do zodíaco!


5 signos mais fofoqueiros do zodíaco

Gêmeos

Gêmeos não consegue guardar segredo, exceto quando lhe convém. Gosta de passar a informação para frente e não se incomoda se perder alguns amigos por isso. Tem facilidade em descobrir tudo que acontece ao seu redor.

Áries

Por adorar fazer parte de tretas, Áries não sente qualquer receio em expor uma informação – e faz isso só para ver o circo pegar fogo. Não é de guardar o que sente e sempre deixa bem claro quando não gosta de uma pessoa. Então, ao saber de uma fofoca sobre essa pessoa, logo já passa para frente.

Leia Também:  Entenda de uma vez por todas como realizar a esfoliação no rosto

Sagitário

Graças ao seu jeito animado e sua facilidade em se envolver com as pessoas, talvez Sagitário acabe deixando escapar algum segredinho. Além disso, esse signo gosta bastante de fofocar com os amigos, principalmente durante as viagens que fazem juntos.

Você viu?

Leão 

Leão pode ser um grande fofoqueiro, já que faz de tudo para chamar atenção. Mesmo com nobreza de espírito, pode se deixar levar pela vaidade e pelo desejo de ter destaque em um grupo de pessoas.

Libra

Diferente de Áries, Libra não gosta de entrar em tretas, muitos menos ser o responsável por elas. Porém, como adora levantar o humor das pessoas, pode usar as fofocas como ferramenta para elevar o astral, principalmente se for para ajudar um amigo próximo. Fofoca do bem!

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

Pílula do dia seguinte: respondemos 5 dúvidas sobre o método de emergência

Publicados

em


source

Alto Astral

Pílula do dia seguinte: respondemos 5 dúvidas sobre o método de emergência
Reprodução: Alto Astral

Pílula do dia seguinte: respondemos 5 dúvidas sobre o método de emergência

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto de Saúde, em 2018, metade das mulheres em idade fértil (dos 15 aos 44 anos) já recorreram à pílula do dia seguinte. Apesar de um número muito expressivo, as dúvidas relacionadas à contracepção de emergência continuam sendo frequentes e o tabu sobre ela também.

Conversamos com a ginecologista e obstetra, Julia Barbi Melim Marques, para respondermos às 5 questões mais frequentes sobre tema. Confira!

Qual a composição da pílula do dia seguinte?

Ela é composta pelo hormônio levonorgestrel, derivado da progesterona, capazes de atrasar a ovulação, de modo que a fecundação não ocorra, segundo a médica.

Quando e como usá-la?

“A ingestão é recomendada em caso de relação sexual desprotegida, ou seja, sem nenhum método contraceptivo, no prazo de no máximo 3 dias. Porém, ela deve ser tomada tão logo seja possível, não devendo esperar o “dia seguinte”, pois quanto mais tempo se passar após a relação, maior a chance de falha. Não existe contraindicação.”, esclarece Marques.

Leia Também:  Mães por adoção: quando o amor materno vem de fora pra dentro

A ginecologista explica também sobre os casos nos quais as mulheres que usam anticoncepcionais se esquecem de alguma(s) pílula(s). Assim, ela diz que, considerando o uso irregular, elas também poderão recorrer ao contraceptivo de emergência.

A pílula do dia seguinte pode falhar?

Você viu?

Assim como um método regular, ela pode falhar, mesmo tomando-a corretamente. No entanto, o índice de falha aumenta conforme o tempo após a relação desprotegida for passando. Sendo assim, a especialista alerta para que a pílula seja tomada o mais rápido possível.

No caso da mulher engravidar mesmo com o método emergencial, ela assegura que o uso não acarretará nenhum dano ao feto, dado que o hormônio presente na composição também faz parte da gestação .

Quais são os efeitos colaterais?

“Entre os principais, podemos citar irregularidade menstrual , inchaço, dor nas mamas e cefaleia, além de outros menos comuns”, pontua a obstetra.

É preciso consultar um ginecologista antes de usá-la?

A médica adverte que não, porque essa procura atrasaria a tomada da pílula, que deve ser ingerida o mais rápido possível, após a relação sexual desprotegida.

Leia Também:  Conhece-te a ti mesmo através dos números

No entanto, ela ressalta a importância de consultar o ginecologista para escolher um método contraceptivo regular, seguro e eficaz, visto que a pílula do dia seguinte só deve ser usada em momentos de emergência e não regularmente.

Consultoria: Dra. Julia Barbi Melim Marques , médica ginecologista e obstetra e membro da Doctoralia.

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA