MULHER

Mattel lança Barbie com aparelho auditivo e Ken com vitiligo

Publicados

em

source
As novas barbies estarão disponíveis a partir do dia 22 de junho deste ano
Divulgação

As novas barbies estarão disponíveis a partir do dia 22 de junho deste ano

A Mattel anunciou a primeira coleção de bonecas da Barbie e Ken que conta com bonecas com aparelhos auditivos e vitiligo. Os novos modelos são uma tentativa da marca de fazer com que as crianças se reconheçam mais em suas brincadeiras e aumentar a diversidade, já que a boneca sempre foi muito ligada a padrões estéticos de beleza. 

A nova Barbie com parelho auditivo foi criada em conjunto com a fonoaudióloga norte-americana Jen Richardson. Em nota de divulgação da Mattel, ela conta como está empolgada com a possibilidade de crianças com problemas auditivos poderem se sentir representadas. 

“Como fonoaudióloga educacional com mais de 18 anos de experiência na luta contra a perda auditiva, é inspirador ver que as pessoas que sofrem de perda auditiva são representadas por uma boneca. Estou muito feliz que meus jovens pacientes possam ver e brincar com uma boneca que se parece com eles”, relata Richardson.

Leia Também:  Horóscopo do dia: previsões para 29 de maio de 2022

Além da boneca com aparelho auditivo, a linha também conta com o Ken com vitiligo que faz dupla com a já existente Barbie com vitiligo, lançada em 2020. A linha conta ainda com uma Barbie que usa cadeira de rodas.

A Mattel fala sobre a importância da representação de diferentes corpos. “Ao representar a diversidade e a inclusão, permitimos que as crianças brinquem com bonecas que se parecem com elas e que melhor correspondam ao mundo ao seu redor”, declara a marca.

No entanto, a comunidade das pessoas com deficiência chamam atenção para o alto preço dos brinquedos. As bonecas com deficiência acabam tendo um valor mais alto, custando em média R$ 160,00 reais, enquanto as outras fica na média dos R$ 68, 00 reais, tornando o produto menos acessível ao público. Os Brinquedos estarão a venda a partir do dia 22 de junho deste ano. 

Agora você pode acompanhar todos os conteúdos do iG Delas pelo nosso canal no Telegram. 

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

Covid pode causar efeitos colaterais após preenchimentos estéticos

Publicados

em

source
As reações imunológicas são na maioria dos casos benignas e se resolvem sozinhas.
Thinkstock/Getty Images

As reações imunológicas são na maioria dos casos benignas e se resolvem sozinhas.

Pouco invasivos e muito versáteis, os preenchedores estéticos a base de ácido hialurônico ou toxina botulínica têm se tornado cada vez mais populares. No entanto, reações imunológicas adversas pós-Covid chamam a atenção dos especialistas. Nomeada de Edema Tardio Intermitente e Persistente, algumas pessoas têm apresentado inchaços na região em que o procedimento foi realizado. 

O médico dermatologista Luann Lôbo explica que apesar de parecer assustador, não há necessidade de pânico. A reação é a rara, geralmente benigna e de pouca duração. Os casos graves são ainda mais incomuns; nesses casos, é necessário o uso de remédios ou mesmo a realização de remoção dos preenchedores. 

“O que ocorre é uma reação imunológica benigna ao preenchedor, deflagrada pela infecção viral. O Edema Tardio Intermitente e Persistente, ETIP, em sua grande maioria, tem curso benigno, de curta duração e de resolução espontânea, sem maiores repercussões clínicas. Apenas em casos de maior gravidade, ainda mais raros, que precisamos recorrer a corticóides locais, orais, ou a enzimas que degradam o preenchedor”, reforça o dermatologista. 

Leia Também:  Covid pode causar efeitos colaterais após preenchimentos estéticos

Apesar de ser uma reação rara e que não requer muitas preocupações, os profissionais estão atentos às ocorrências e indicam alguns cuidados ao fazer os procedimentos. Por exemplo, é importante evitar realizá-los caso o indivíduo esteja infectado com a Covid e esperar ao menos duas semanas após a vacinação para fazer o preenchimento. 

“Durante a infecção, já existem diversas reações imunológicas e inflamatórias em andamento no nosso organismo a fim de controlar o quadro infeccioso. Por isso, para evitar quadros inflamatórios exacerbados após o preenchimento, evitamos a aplicação de ácido hialurônico durante infecções virais agudas, incluindo a Covid-19”, explica o médico. 

O profissional reforça que, caso qualquer sintoma negativo apareça após o preenchimento, é necessário buscar o dermatologista responsável pelo procedimento. 

Agora você pode acompanhar todos os conteúdos do iG Delas pelo nosso canal no Telegram. Clique no link para entrar no grupo. Siga também o perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA