MULHER

Projeto Descomplica- uma forma descontraída de tratar sobre etiqueta

Publicados

em


source

Precisamos sempre trazer à memória que quando tratamos de uma comida que têm cultura sobressalente, não podemos encaixar em padrões de uma etnia diferente, assim dificultando o consumo e desrespeitando suas tradições. Adaptações culturais e regionais eu realmente façam sentido para a forma de servir e manusear aquele alimento é de extrema importância.


Isso na abre porta para desorganização e má utilização dos utensílios à mesa e a ordem servem para todas as culturas e costumes. Mas cada alimento que tem raízes culturais precisa ser respeitado dentro de sua história.

O objetivo do projeto Descomplica é trazer a beleza da nossa cultura culinária com toda sua riqueza histórica e assim submeter a etiqueta para o que realmente faz sentido para o nosso povo. 

Uma iguaria que é muito consumida no nosso país, principalmente na região nordeste, é o cuscuz. Trata-se de um prato típico africano que teve origem em Magherb, no Norte da África, sendo produzido com sêmola de cereais (que podia ser polvilho, milho, trigo, farinha ou mandioca). É um dos pratos mais requisitados entre os mouros e faz parte da cultura deste povo.

cuscuz
Reprodução

O cuscuz pode ser servido com diversos acompanhamentos leite, queijo, ovos, carne seca


Foi trazido ao Brasil durante a colonização dos portugueses do século XV. Nessa época, a produção da farinha de milho era feita de forma artesanal, ou seja, quando o milho poderia ser moído.

Leia Também:  Maquiagem monocromática: descubra a versatilidade das cores

Muitas vezes, era um prato vendido em tabuleiros pelas mulheres negras ou mercadores, além de outros quitutes. Depois, passou a ser feito industrialmente e distribuído para todo o país.

O cuscuz pode ser produzido com farinha de mandioca, ou arroz, ou aipim, mas o milho é um dos principais elementos utilizados na preparação do cuscuz brasileiro.

cuscuz
Reprodução

Formas de apresentação do cuscuz variam a depender da região do país


O cuscuz era uma comida destinada aos pobres, escravos e também bandeirantes que consumiam junto com carne seca batida no pilão. 

Chegado ao Brasil, por Pernambuco, o cuscuz é feito em cuscuzeira e tem a consistência mais esfarelada, como seu ” irmão” africano, mantendo-se fiel ás suas raízes. Feito com fubá e milho temperado com sal, cozido no vapor, leva leite de coco para umedecer, com ou sem açúcar. Essa receita de cuscuz é o café da manhã de muitos nordestinos, além de ser também comercializado em restaurantes.

O cuscuz paulista é o tipo de cuscuz feito com farinha de milho ou de mandioca e pode ser recheado com palmito, pimentão, tomate, camarão, peixe e milho. Uma verdadeira mistura de comida africana com comida portuguesa, faz parte do almoço, jantar ou ocasiões especiais.

Leia Também:  Rayanne está sendo perseguida por francês e expõe impunidade

O cuscuz pode ser servido com diversos acompanhamentos: leite, queijo, carne seca (charque), ovos, dentre outros. A depender do tipo de acompanhamento escolhido podemos eleger o a peça ideal para servir. Por exemplo, no café da manhã quando o cuscuz é servido com leite, o bowl (cumbuca ou tigela) é uma boa opção, lembrando de usar um prato de sobremesa para apoiar. É possível servir também em prato fundo que é apoiado com um prato raso.

Se a idéia é servir com carne seca ou ovos, normalmente, o prato raso é indicado, pois garante mais espaço e conforto na hora de comer.

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

Amante de rapaz se tornou namorada dele e da esposa: “somos almas gêmeas”

Publicados

em


source

A vida da norte-americana Monica Sandoval, 34, mudou para sempre depois que foi para um encontro com um homem que se dizia separado da esposa. Cinco anos depois, ela faz parte de um relacionamento poliamoroso  com esse rapaz e sua esposa. Os três ainda dividem cinco crianças .


Monica, Gilbert e Giselle se beijam
Acervo pessoal

Monica, Gilbert e Giselle estão juntos há cinco anos como um trisal


Tudo começou quando os dois se encontraram em um restaurante de frutos do mar. Gilbert, 35, afirmou que estava separado de Giselle, 30. Um mês depois, ele afirmou que isso era mentira e o casal estava juntos, mas tinham um relacionamento aberto e três filhos, incluindo um recém-nascido.

Monica ficou espantada, mas já se sentia apaixonada por Gilbert. Ela conheceu Gisele poucos depois do primeiro encontro, que a aceitou. Gilbert e Giselle estão juntos há 16 anos e casados há 12.

No entanto, a situação ficou conturbada quando um dos filhos do casal desenvolveu câncer no fígado e estava em tratamento. No mesmo período, Monica engravidou de Gilbert. “Eu não sabia como contar para Giselle e ela ficou muito chateada. Ela estava passando por uma fase difícil, mas eventualmente aceitou”, afirmou Monica ao Daily Mail.

Leia Também:  Descubra quais signos formam match inusitados

Giselle conta que a notícia do câncer do filho foi “um choque terrível”. “Eu só tinha visto Monica uma vez, mas ela estava lá na sala de emergência e sentou comigo enquanto meu filho estava na quimioterapia”, lembra a mulher.

“Eu sabia que ela estava construindo uma relação com Gilbert e foi muito difícil para mim porque eu estava com todo meu foco voltado para o meu filho doente. Mas ela me deu muito apoio desde o começo e agora ela é parte da nossa família”, acrescentou Giselle. O menino se recuperou e hoje não tem mais o câncer.

Com o tempo, Giselle e Monica também se aproximaram amorosamente e construíram uma relação entre as duas. Logo, o que era um casamento monogâmico se tornou um trisal .

O relacionamento estava indo bem, mas não era aceito pela família de Monica, que chegou a expulsá-la de casa. O casal então a convidou para morar com eles.

“Se tivessem me dito que eu seria uma mãe solteira que acabaria em uma relação poliamorosa, eu honestamente teria perguntado o que significa ‘poliamoroso’. Teria duvidado que se tratava de mim, porque minha mãe me ensinou que é pecado estar com alguém do mesmo gênero ou ter muitos parceiros”, explica Monica.

Leia Também:  Maquiagem monocromática: descubra a versatilidade das cores

Para o jornal, Monica explica que o relacionamento dos três é como qualquer outro. Eles cozinham e têm momentos de família juntos com os filhos, em que perguntam como foi o dia ou fazem brincadeiras.

“Todos nos perguntam como fazemos sexo. Nós temos threesomes e sexo individualmente também. Giselle e eu temos quartos separados e Gilbert escolhe onde vai dormir. Gilbert e ela têm momentos juntos e eu tenho os meus com ele e com ela. Temos também noites para os três”, explica Monica.

Sobre a afirmação de que Gilbert é o mais sortudo por estar com duas mulheres, Monica afirma que é preciso muito tempo, paciência, dedicação e comprometimento para ter um relacionamento assim. “Não é perfeito, mas somos almas gêmeas”, diz.

O desejo de Monica é que o mundo não veja o relacionamento dos três como um tabu, mas como algo normal. “Eu não poderia estar mais feliz. Me sinto amada e apoiada. Quero que outras pessoas saibam que nada disso é estranho e está tudo bem em estar em um relacionamento poliamoroso”, afirma Monica. “O amor não tem limites.”

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA