MULHER

Saiba o que é Síndrome de Borderline, que fez Raissa Barbosa ‘perder o controle’

Publicados

em


source

Na noite da última terça-feira (15), a ex-miss bumbum Raissa Barbosa se tornou assunto na internet devido a sua reação no reality show ‘A Fazenda’ , após ter recebido oito votos e ser uma das mais votadas para a primeira roça. O que muita gente não sabe é que o comportamento considerado “excessivo” aconteceu porque a modelo sofre de Síndrome de Borderline .



raíssa briga com participantes da fazenda
Reprodução/Record

Raíssa ficou revoltada após ir para a roça em “A Fazenda”; ex-miss bumbum tem Síndrome de Borderline



A Síndrome de Borderline é um transtorno psiquiátrico de difícil diagnóstico, já que o paciente apresenta sintomas de depressão , ansiedade, transtorno bipolar e impulsividade.

“Seria como se pequenas cercas estivessem separando as instituições cerebrais e uma leve tempestade fosse o suficiente para derrubá-las”, explica o psicólogo Alexander Bez, que é especialista em Relacionamentos, Ansiedade e Síndrome do Pânico .

De acordo com o profissional, não se trata de um transtorno emocional, mas um transtorno capaz de alterar funções e estruturas mentais, o que pode acentuar os comportamentos impulsivos, inquietos e agressivos sem que a pessoa perceba.

A Síndrome de Borderline acomete de 1% a 6% da população mundial segundo dados da Sociedade Brasileira de Psicologia (SBP). Destas pessoas estima-se que 75% são mulheres , que podem sentir os primeiros sintomas entre 18 e 25 anos.

“Tenho medo das minhas atitudes”. “Parece que não estou dentro do meu corpo”. Estas foram frases usadas por Raissa para expressar a maneira como estava se sentindo foram falas ditas por Raissa no momento do episódio de crise.

“Quando ela fala em medo das atitudes, ela diz ter ciência do seu transtorno. A segunda frase é uma manifestação da despersonalização, muito comum na área da psiquiatria”, analisa.

Leia Também:  Em aula, professor de medicina diz: "Se estupro é inevitável, relaxa e goza"

O psicólogo explica que a despersonalização é quando o paciente sente que sai do controle de seu próprio corpo e não é capaz de entender o que está acontecendo no presente. Desta maneira, o paciente que sofre de Síndrome de Borderline não consegue assimilar a realidade, mesmo que ele seja o “causador” de algo.

Não é frescura: a Síndrome de Borderline é um transtorno muito sério

Pessoas que sofrem de Síndrome de Borderline podem ser consideradas exageradas ou pessoas que querem chamar atenção. No entanto, trata-se de um transtorno que, se não levado a sério, pode aumentar tendências suicidas.

Segundo Alexander, o transtorno é tão letal quanto distúrbios alimentares, de estresse e depressivos. “A Síndrome de Borderline é uma condição psiquiátrica muito forte e severa e pode potencializar o suicídio. É preciso que a pessoa tenha conforto e apoio emocional”, orienta.

Como pessoas que sofrem da Síndrome de Borderline podem ter uma vida mais confortável?

As amigas de Raissa no reality incentivaram a modelo a “extravasar” com gritos abafados no travesseiro, xingamentos e socos na cama. Bez adverte que esta não é a melhor maneira de fazer com que a pessoa com Síndrome de Borderline se sinta melhor em um surto, já que agrava as sensações causadas pelo transtorno.

Raissa dando soco em travesseiro e duas participantes assistem rindo
Reprodução

Raissa foi encorajada por amigas a descontar raiva com socos em travesseiro


Além do acompanhamento médico, é importante que os estímulos externos não sejam agravantes dos sentimentos despertados no Borderline. “É importante criar um ambiente em que a pessoa se sinta motivada e cercada de carinho”, diz.

Como posso ajudar alguém com Síndrome de Borderline que está em crise?

Ao perceber que Raissa estava agindo com agressividade, a  ex-miss Brasil Jakelyne Oliveira chamou a amiga para conversar na dispensa. Mais tarde, a cantora Jojo Todynho posicionou as mãos nas laterais do rosto da ex-miss bumbum e falou em tom enfático, pedindo que ela tivesse calma.

Leia Também:  Homem acaba com casamento de 19 anos para viver poliamor com duas mulheres

Na visão do especialista, essas ações são consideradas como positivas, já que criam um ambiente de segurança e conforto para a pessoa que está sofrendo o surto.


O psicólogo também explica que o que Jojo tentou fazer foi transferir sua energia psicológica para Raissa, para que ela pudesse, assim, se acalmar e “voltar à realidade”. “Ficar testa com testa transmite esperança e tranquilidade. Além disso, carrega o sistema de fortaleza da pessoa que está mal”, diz.

O importante é compreender os mecanismos com os quais a pessoa que sofre de Síndrome de Borderline não consegue lidar. Por isso, é importante evitar conflitos e criar espaços em que a pessoa se sinta segura.

A Síndrome de Borderline tem cura?

Assim como uma série de patologias psiquiátricas, a Síndrome de Borderline não é curável, mas controlável. É imprescindível que a pessoa que sofre do transtorno faça acompanhamento médico com um psiquiatra e com um psicólogo. 

Por se tratar de um transtorno que tem efeitos comprovados na formação cerebral, o tratamento primário é a medicação, que pode englobar ansiolíticos, antidepressivos, estabilizadores de humor e antipsicóticos.

O médico explica que caso o grau da doença seja baixo, o tratamento pode se sustentar apenas na psicoterapia. Mas é importante que o acompanhamento seja sempre realizado.

“A síndrome de borderline é uma crônica crescente. Quando esse transtorno não é medicado e controlado, as sensações negativas e impulsivas vão aumentar”, explica. 

Mesmo se tratando de uma doença de alto risco e com grande impacto comportamental, Bez explica que quem tem a Síndrome de Borderline , como Raissa Barbosa, não deve ser estigmatizada. “Ela vive um sofrimento e tem alterações comportamentais e sociais muito significativas, mas isso não quer dizer que é uma pessoa má”, afirma.

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

11 mulheres maravilhosas com mais de 65 anos para te inspirar

Publicados

em


source

Chegar aos 65 anos assusta muitas mulheres que associam a velhice apenas a coisas ruins. Sem contar o medo das rugas, marcas de expressão e dos cabelos grisalhos que, para muitas, simbolizam a falta de beleza e capacidade. Nesse dia do idoso, o Delas separou 10 mulheres incríveis para te ajudar a perder o medo do tempo e mostrar que a velhice é uma fase da vida repleta de possibilidades.


Elza Soares

elza soares
Divulgação

Com masi de 80 anos, Elza vive o auge da sua carreira.

Aos 83 anos, Elza é a prova viva que a idade não é impedimento para nada. Lúcida e extremamente ativa, a cantora lançou dois grandes álbuns nos últimos anos e vem fazendo turnês e apresentações em grandes festivais. Em entrevistas, deixa claro que a velhice não a assusta e que está vivendo uma fase maravilhosa da vida. Também presente em debates e nas redes sociais, Elza faz questão de se posicionar sobre discussões políticas e sociais, como a denúncia da violência doméstica e o racismo.

Rita Lee

rita lee
Instagram/Reprodução

Mesmo reclusa, Rita afirma conviver muito bem com a velhice e segue produzindo

Rita escolheu viver a sua velhice da maneira mais reclusa. Não para fugir dela, pelo contrário, para poder entendê-la e abraçá-la. A cantora de 72 anos está completando oito anos afastada dos palcos, mas não do trabalho, pois garante que segue compondo e que a música não deixou de fazer parte da sua vida. Ela, porém, optou por se afastar das grandes cidades, viver cercada de bichos e investir em nova paixão: a escrita.

Leia Também:  Em aula, professor de medicina diz: "Se estupro é inevitável, relaxa e goza"

Maria Bethânia

maria bethânia
Instagram/Reprodução

Bethânia segue sendo um dos nomes mais icônicos da música brasileira e está indicada ao Grammy Latino

Um dos maiores nomes da música popular brasileira, Bethânia lida com a terceira idade com uma leveza especial. Assumiu quando os icônicos cabelos volumosos se tornaram grisalhos e jamais deixou os palcos, pois a música também alimenta a sua espiritualidade. Hoje, aos 74 anos, é uma das indicadas ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Samba e Pagode.

Fernanda Montenegro

fernanda montenegro
Divulgação

O maior ícone do cinema e da TV nacionais chegou aos 90 anos sem perder o posto

A rainha do cinema nacional dispensa apresentações. Chegou aos 90 anos à todo vapor, assumindo os cabelos brancos e as marcas expressões que o tempo colocou no seu rosto. Dona de uma elegância e uma lucidez de dar inveja em muitos jovens, segue sendo a principal inspiração para muitos artistas brasileiros. No fim de 2019, eternizou sua história de vida em uma biografia escrita em parceria com a jornalista Marta Góes.

Sônia Braga

sônia braga
Divulgação

Eterna Gabriela cravo e canela, Sônia Braga vive uma velhice extremamente ativa e esbanjando elegância

Mesmo com carreira internacional, a atriz é a eterna Gabriela de Jorge Amado — desde que viveu a personagem para uma novela da TV Globo em 1970. Hoje, com 70 anos, Sônia não diminuiu nem um pouco o ritmo e segue fazendo parte de grandes produções cinematográficas no Brasil e nos Estados Unidos.

Gal Costa

gal costa
Instagram/Reprodução

A artista que nunca deixou os holofotes, brilhou recentemente em uma live comemorativa dos seus 75 anos

Ao completar 75 anos de vida e 55 anos de carreira, a cantora ganhou uma live em sua homenagem, desenvolvida pelo Canal TNT e transmitida também pelo Youtube. O evento comprovou que a artista segue sendo um dos nomes mais importantes para a música brasileira.

Leia Também:  Gostosas do Leblon: entenda a treta que causou alvoroço na Internet

Conceição Evaristo

conceição evaristo
Divulgação

A escritora mostra que não existe idade para se posicionar sobre assuntos importantes

Uma das escritoras brasileiras mais importantes dos anos 2000, é reconhecida também em outros países e foi escolhida como autora homenageada na quinta edição do Festival de Poesia de Lisboa. Autora dos livros “Poncia Vivencio” e “Olhos d’Água”, com 73 anos continua escrevendo e participando de palestras e debates e ainda é uma das principais vozes do movimento negro e antirracista na literatura.

Laerte

laerte
Divulgação

O principal nome do cartunismo brasileiro e um grande exemplo para a comunidade LGBTQI

A figura que faz parte do imaginário de toda a população brasileira, aclamada pelas tirinhas que ilustraram e ainda ilustram os mais diversos jornais e revistas com sátiras e críticas sobre todo tipo de assunto, Laerte ganhou ainda mais potência ao se assumir trans e abraçar o movimento LGBTQI+. Aos 69 anos, a artista é a prova viva de que nunca é tarde para entendermos quem nós realmente somos e assumirmos isso com orgulho.

Laura Cardoso

laura cardoso
Divulgação

A atriz mais velha da TV brasileira atualmente deixa claro que não tem planos para se aposentar

Com mais de 70 anos de carreira, a atriz chegou aos 93 anos deixando claro que acha aposentadoria um horror. Frase que resume bem a sua energia e os seus planos que segue firme e forte fazendo personagens icônicas em novelas da TV Globo. Laura é um grande exemplo que quando se faz o que ama, a idade se torna um mero detalhe.

Alcione

alcione
Instagram/Reprodução

Uma mulher eternamente jovem, Alcione vive seus 70 poucos anos de forma intensa e alegre

Também conhecida como Marrom, ela é a vovó antenada que todo mundo quer. Super presente nas redes sociais e de olho nos novos talentos que aparecem por aí, Alcione comprova, do alto dos seus 72 anos, que definitivamente juventude é questão de espírito e não de número.

Vera Holtz

vera holtz
Instagram/Reprodução

Há alguns anos longe da TV, Vera marca presença nas redes sociais


Atriz e diretora que participou de diversas obras icônicas, tanto na TV quanto nos palcos, Vera encontrou nas redes sociais uma nova possibilidade de fazer arte. Com fotos simples, mas cheias de conceito, a artista de 67 ano achou o próprio jeito de se posicionar e expressar na era digital mostrando que nunca é tarde demais para experimentar coisas novas.

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA