MULHER

Vídeo de menino de 8 anos algemado por policiais viraliza: “Inacreditável”

Publicados

em


source

O vídeo de um menino de 8 anos de idade sendo algemado por policiais viralizou recentemente e chamou atenção de ativistas dos direitos civis. O caso aconteceu na cidade de Key West, no sul dos Estados Unidos. Na publicação, é possível ver um pequeno menino sendo colocado de frente para a parede e sendo algemado por policiais.

Vídeo de menino
Reprodução/Twitter

Vídeo de menino de 8 anos sendo algemado viraliza


“Você sabe para onde você vai? Você vai para a cadeia”, disse um dos policiais. Como se tratava de uma criança, as algemas ficaram largas e os oficiais desistiram de colocá-las no garoto. Mesmo assim, eles encaminham o menino até uma saída. “Você entende que isso é muito sério? Eu odeio que você me colocou nessa situação e eu tenho que fazer isso. Você cometeu um erro e precisa aprender e crescer a partir disso. E não repetir o mesmo erro”, disse um policial ao final do vídeo.

Segundo o tabloide The Sun, o menino estava em aula e a professora reclamou do fato de ele não querer ficar no lugar. Após se recusar a sentar, o garoto teria socado a professora. A polícia já estaria na sala administrativa do colégio por outros motivos, quando a professora e o menino chegaram lá. Após saberem o que aconteceu, os policiais o algemaram, porque ele teria cometido o crime de agressão.

Leia Também:  6 dicas para montar e organizar o closet perfeito mesmo se tiver pouco espaço

Segundo o porta-voz da polícia de Key West, Alyson Crean, o vídeo que viralizou é de um incidente antigo. A cena teria acontecido em 2018, como é possível ver na gravação, e ainda teria tido “sua maior parte cortada”.

No Twitter, o famoso advogado e ativista pelos direitos civis Ben Crump se pronunciou. “Inacreditável! A polícia de Key West usou o método de amedrontar em um menino de oito anos de idade com necessidades especiais. Ele tem um metro de altura e 30 quilos, mas eles acharam que era apropriado algemá-lo e transportá-lo para uma prisão de adultos. Ele era tão pequeno que as algemas caíram dos pulsos dele”, ele escreveu. 

Leia Também:  "Mostrar a careca na rede é libertador", diz influenciadora com calvície


O chefe de polícia de Key West, Sean T. Brandenburg, declarou ao The Sun na segunda (10) que “baseado no relatório, os procedimentos padrões foram seguidos”. Já a escola enviou uma nota ao jornal Miami Herald afirmando que não comentará o caso por conta de trâmites legais. 

Fonte: IG Mulher

Propaganda

MULHER

Após ser contra aborto em criança, Damares diz ser chamada de estupradora

Publicados

em


source
Damares critica aborto de menina de 10 anos%3A 'Poderia ter feito cesárea'
IG – Último Segundo

Damares critica aborto de menina de 10 anos: ‘Poderia ter feito cesárea’


Nesta terça-feira (22), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse que vem sendo chamada de “estupradora” e de “pedófila” desde que se posicionou  contra o aborto legal da menina de dez anos estuprada pelo tio no Espírito Santo. Há ainda a suspeita de que a ministra tenha tentado interferir no caso para que o procedimento não fosse realizado.

“Sempre que puder salvar as duas vidas, nós vamos lutar para salvar as duas vidas. É a minha posição. Vamos ler o que está por trás de tudo isso, vamos esperar os resultados das investigações. Vamos esperar. Inclusive eu estou sendo acusada de estupradora, de pedófila, que eu defendo pedófilo”, disse Damares em entrevista dada à rádio Gaúcha após reportagem da Folha de S. Paulo, que a acusa de  coordenar operação para impedir o aborto.

Leia Também:  "mostrar a careca na rede é libertador", diz influenciadora com calvície

Segundo a reportagem, a ministra coordenou uma operação para transferir a garota de dez anos de São Mateus, no Espírito Santo, para um hospital em Jacareí, em São Paulo, onde a gestação seguiria até o parto, apesar do risco.

Na entrevista para a rádio, Damares voltou a negar as acusações da reportagem.  Sobre o vazamento do nome da criança, Damares minimizou a culpa de Sara Giromini: “Sara Winter [Giromini] trabalhou três meses aqui no Ministério e saiu em outubro de 2019. Pelo que Sara Winter falou, em sua defesa, o nome dessa menina estava rolando em diversos grupos — e ela tem como provar que recebeu o nome dessa menina muito cedo. Sara Winter gravou um vídeo, mas não foi Sara Winter que vazou. Esse nome já estava durante a semana vazado e é isso que eu quero descobrir. Sara Winter não podia ter gravado o vídeo dizendo o nome da menina, mas quem vazou esse nome? Eu quero saber quem vazou esse nome”.

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA