NACIONAL

Bahia: governo decreta estado de emergência em 73 municípios atingidos pelo fogo

Publicados

em


source
Incêndios Bahia
Reprodução/ Governo do Estado da Bahia

Incêndios florestais preocupam as autoridades do estado

Neste sábado (10), foi publicado no Diário Oficial do Estado da Bahia um decreto que coloca 73 municípios em situação de emergência por conta dos incêndios florestais que atingem a região. O decreto, que suspende qualquer atividade capaz de produzir risco potencial de novos focos, entra em vigor a partir da publicação e tem vigência de 90 dias.

Segundo informações do governo da Bahia , 30 destes 73 municípios colocados em situação de emergência pela Superintendência de Defesa Civil já foram atingidos pelo fogo. 

Na última sexta-feira (9), durante visita ao município de Itaberaba, o governador Rui Costa reforçou que o estado está usando todo o materal humano disponível para combater os incêndios e lamentou que a seca, imprudência e, por vezes, a má-fé de algumas pessoas contribuam para agravar a situação.

Confira a lista de municípios em Situação de Emergência

  1. Abaíra
  2. Andaraí
  3. Angical
  4. Baianópolis
  5. Barra
  6. Barra da Estiva
  7. Barreiras
  8. Bom Jesus da Lapa
  9. Boninal
  10. Bonito
  11. Boquira
  12. Botuporã
  13. Brejolândia
  14. Brotas de Macaúbas
  15. Buritirama
  16. Canápolis
  17. Carinhanha
  18. Catolândia
  19. Caturama
  20. Cocos
  21. Coribe
  22. Corretina
  23. Cotegipe
  24. Cristópolis
  25. Érico Cardoso
  26. Feira da Mata
  27. Formosa do Rio Preto
  28. Ibicoara
  29. Ibipitanga
  30. Ibitiara
  31. Ibotirama
  32. Igaporã
  33. Iramaia
  34. Iraquara
  35. Itaetê
  36. Jaborandi
  37. Jussiape
  38. Lençóis
  39. Luís Eduardo Magalhães
  40. Macaúbas
  41. Malhada
  42. Mansidão
  43. Marcionílio Souza
  44. Matina
  45. Morpará
  46. Morro do Chapéu
  47. Mucugê
  48. Muquém de São Francisco
  49. Nova Redenção
  50. Novo Horizonte
  51. Oliveira dos Brejinhos
  52. Palmeiras
  53. Paramirim
  54. Paratinga
  55. Piatã
  56. Riachão das Neves
  57. Riacho de Santana
  58. Rio de Contas
  59. Rio do Pires
  60. Santa Maria da Vitória
  61. Santa Rita de Cássia
  62. Santana
  63. São Desidério
  64. São Félix do Coribe
  65. Seabra
  66. Serra do Ramalho
  67. Serra Dourada
  68. Sítio do Mato
  69. Souto Soares
  70. Tabocas do Brejo Velho
  71. Utinga
  72. Wagner
  73. Wanderley
Leia Também:  Polícia prende ator pornô acusado de aplicar o golpe do "boa noite, Cinderela"

Propaganda

NACIONAL

PF aponta que Chico Rodrigues era ‘gestor paralelo’ na Saúde em Roraima

Publicados

em


source
Senador Chico Rodrigues (DEM-RR)
Edilson Rodrigues/Agência Senado

PF aponta que Chico Rodrigues era ‘gestor paralelo’ na Saúde em Roraima

Um relatório da Polícia Federal mostrou que o senador Chico Rodrigues, que foi flagrado com dinheiro na cueca pelos agentes, usou da proximidade que tem com o governador de Roraima, Antonio Denarium, para beneficiar empresas investigadas pela PF.

Segundo a PF, o senador atuava como um “gestor paralelo” da Secretaria Estadual de Saúde de Roraima. O documento mostra que Chico agiu para evitar a demissão do então Secretário Adjunto de Saúde de Roraima, Francisco Monteiro Neto.

Além disso, Chico Rodrigues estaria tentando articular com a gestão do estado para que o governador não abrisse uma nova licitação. Ao invés disso, ele deveria estender os contratos com empresas de Gilce Pinto, uma empresária também investigada pela PF e que estaria sendo beneficiada com a ajuda da máquina pública.

Leia Também:  Funcionário é demitido por comentário ofensivo sobre cliente no recibo da compra

O relatório da PF aponta que em diversas ocasiões, o senador cobrava de Francisvaldo de Melo Paixão, um ex-servidor da Sesau, pagamentos para Gilce.

Histórico 

Chico Rodrigues foi preso tentando ocultar dinheiro na cueca no último dia 14. A quantia girava em torno de R$ 33 mil em dinheiro. A defesa do senador afirma que o dinheiro tem origem lícita e diz que ele não cometeu irregularidades. 

Após a polêmica e o envolvimento em atividades suspeitas que estão sendo investigadas, o senador pediu licença do cargo no Senado por 121 dias.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA