NACIONAL

Bolsonaro trabalha para que ele mesmo seja a terceira via, diz advogado Kakay

Publicados

em


source
 Kakay
Reprodução

Kakay


O advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como  Kakay, afirmou, durante entrevista ao iG, que o presidente Jair Bolsonaro trabalha para que ele próprio seja a terceira via nas eleições de 2022. “Porque o centrão é a terceira via em qualquer hipótese do Brasil. Não há Brasil sem centrão, não há governo sem centrão”, disse o advogado.

Kakay afirmou que o centrão sempre esteve presente, inclusive nos governos de Lula e Dilma Rousseff. “O [ministro] Guedes continuará onde está enquanto interessar a um grupo econômico que define o governo. Cada vez com menos força? Cada vez com menos força, como está desde o início, mas ainda com muito poder econômico”, afirmou.

Também na entrevista, Kakay disse que, no começo, foi contra o impeachment de Bolsonaro, mas que agora é a favor e um grande defensor dele. “Chegou uma hora que as mortes eram tantas, a responsabilidade era tanta. O Bolsonaro é um serial killer em termos de crime de responsabilidade”, afirmou.

Veja os trechos da entrevista de Kakay ao iG:



Propaganda

NACIONAL

“Gatinha da Cracolândia” afirma que considerava “normal” vida antes da prisão

Publicados

em


source
Gatinha da Cracolândia
Reprodução

Gatinha da Cracolândia

Lorraine Bauer Romeiro, mais conhecida como  “Gatinha da Cracolândia” disse, em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, da TV Record , que considerava “normal” a vida que levava no centro de São Paulo. Ela afirmou não imaginar que poderia ser suspeita em um esquema de tráfico de drogas .

Lorraine, de 19 anos, foi presa em 22 de julho deste ano na cidade Barueri . De acordo com a polícia, mais de 400 porções de crack, cocaína, maconha e ecstasy, além de quase 100 frascos de lança-perfume foram apreendidos na ocasião. Em continuidade às diligências, os policiais foram até um prédio invadido no bairro de Santa Cecília, apontado por ela, e encontraram uma mochila com 85 porções de maconha, 295 de cocaína e oito de crack.

“Assim, para mim, sempre foi normal. Sempre não. Até quando eu conheci, quando eu comecei a conhecer as coisas, ver como que funcionava, para mim tinha se tornado normal, porque para mim eu não estava fazendo nada de errado, para mim nunca ia acarretar em cima de mim”, disse a acusada em entrevista ao jornalista, que será exibida no programa Domingo Espetacular .

De acordo com ela, sua vida na Cracolândia “não é nada” do que foi mostrado pelas investigações, acusando a polícia de distorcer os fatos sobre ela.

Leia Também:  Jovem morre afogada ao tentar salvar cachorro que caiu em rio, em MG

Fotos da investigação mostravam sua rotina em meio à venda de drogas no centro da capital paulista. Antes de ser detida,  Lorraine tinha um perfil nas redes sociais com mais de 30 mil seguidores, mostrando um estilo de vida luxuoso.

“Eu não sou nada do que mostraram. Nada do que falaram que eu sou, absolutamente nada”, afirmou. “Eles (a polícia) foram oportunistas em usar coisas que eu fazia para vincular ao crime”, continuou.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA