NACIONAL

Diretora desmaia em coletiva sobre vacinas contra covid-19 na Dinamarca; assista

Publicados

em


source
 Diretora desmaia em coletiva sobre vacinas contra covid-19 na Dinamarca; assista
Reprodução

Diretora desmaia em coletiva sobre vacinas contra covid-19 na Dinamarca; assista

Em meio a coletiva de imprensa do Conselho Nacional de Saúde da Dinamarca , a diretora Tanja Erichsen , da Agência de Medicamentos, desmaiou ao vivo e causou preocupação dos envolvidos. Assista a cena:


O anúncio realizado era sobre a suspenção da vacina da Oxrford/AstraZeneca do programa de imunização dinamarquês. Oficiais argumentam que existe uma preocupação com efeitos colaterais ” raros , mas graves”.

De acordo com o comunicado da Autoridade Sanitária da Dinamarca, Soren Brostrom, “nossa avaliação geral é de que existe um risco real de efeitos colaterais graves associados ao uso da vacina anti-Covid-19 da AstraZeneca. Portanto, decidimos remover a vacina de nosso programa de imunização “.

Leia Também:  Bolsonaro alega que Aécio ganhou eleição em 2014, diz jornalista

A Dinamarca foi o primeiro país europeu a parar com a distribuição da vacina inglesa e baseia-se na investigação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) na possível relação entre o imunizante e a formação de coágulos sanguíneos.


A diretora foi levada a uma ambulância e encaminhou-se ao hospital , onde realizou exames e se recuperou no mesmo dia.

Propaganda

NACIONAL

‘Queiroga com certeza será reconvocado à CPI’, diz Omar Aziz

Publicados

em


source
 'Queiroga com certeza será reconvocado à CPI', diz Omar Aziz
Reprodução

‘Queiroga com certeza será reconvocado à CPI’, diz Omar Aziz

O senador e presidente da CPI da Covid , Omar Aziz (PSD-AM), se posicionou sobre o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, como a “grande decepção” da comissão até o momento. Em relação as falas pouco objetivas, Aziz reiterou que Queiroga “com certeza” será reconvocado. As falas foram reproduzidas em uma entrevista no YouTube para o canal do historiador Marco Antônio Villa.

O motivo que levou o presidente da comissão em buscar uma nova audiência para ouvir Queiroga é a constante contradição entre as diretrizes do Ministério da Saúde e as políticas públicas do governo Bolsonaro .

Queiroga declarou inúmeras vezes que não se pronunciaria em seu depoimento pois não havia um protocolo de tratamento para a covid-19 elaborado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

Renan Calheiros declarou no último sábado (08) que a estratégia adotada pelo cardiologista comandante do Ministério da Saúde de não responder objetivamente as perguntas é uma outra maneira de “não falar a verdade”.

Leia Também:  Mulher ouve choro e encontra recém-nascido em matagal de Mongaguá

Aziz ratificou o posicionamento de Calheiros ao declarar que “a gente perguntava se ele era a favor da cloroquina – e ele não citava a palavra cloroquina, falava em ‘fármacos’ -, ele jogava para a Conitec”.


O presidente da CPI argumentou que o posicionamento de Queiroga visa “não magoar o chefe” e que as contradições existentes dão base para que o ministro seja reconcado”.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA