NACIONAL

Flordelis e Anderson tinham relações sexuais com filhos, segundo testemunha

Publicados

em


source
Anderson e Flordelis.
Reprodução

Anderson e Flordelis.

De acordo com uma pessoa que morou na casa de  Flordelis (PSD), a deputada federal e o  pastor assassinado Anderson do Carmo mantinham relações sexuais com filhos e filhas. As informações são do RJ2 , da TV Globo.

A testemunha , que prefere não se identificar por temer a família da deputada, disse que “durante o convívio, era perceptível que eles mantinham relações sexuais entre irmãos, entre pai e filha, entre mãe e filhos. Isso era nítido, notório, e inclusive contado pelos próprios”.

Flordelis , antes de se casar com Anderson, chegou a ser mãe e sogra do pastor. Ele foi adotado pela deputada e, depois, começou a namorar Simone, filha biológica da parlamentar. Posteriormente, ele se tornou marido de Flordelis.

Segundo a testemunha, a relação de Anderson e Flordelis passou por mudanças quando o pastor começou a mandar mais do que a deputada nos negócios da família. “Anderson se tornou uma pedra no sapato pra Flordelis. E ela fez com ele exatamente o que ela faz com todos: retira do caminho”.

Leia Também:  Homem morre após ser atropelado por trem em Belo Horizonte

Além disso, o relato aponta para a diferença de tratamento existente entre os filhos , que serviam como autopromoção para Flordelis e sustentavam os luxos da deputada: “o que era perceptível é que ela mantinha um número para manter o marketing pessoal dela, de 50 crianças adotadas”. 

A testemunha diz, ainda, que “algumas crianças tinham certos privilégios . Outros não tinham tantos privilégios quanto os primeiros”. Uma parte da família comia bife e batata frita, enquanto a outra sempre recebia “uma comida com um pouco menos de valor”.

“O que eles pregam não é exatamente o que eles vivem. Eles vivem uma vida de mentira, uma vida de omissões, uma vida sem amor, uma vida voltada praticamente pra si, pelo dinheiro , riqueza e fama”, conclui a testemunha.

Propaganda

NACIONAL

Senador pede ao STF que ministro da Educação seja investigado por homofobia

Publicados

em


source
Pastor Milton Ribeiro, ministro da Educação.
Reprodução

Pastor Milton Ribeiro, ministro da Educação.

Na última quinta-feira (24), o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ministro da Educação, Milton Ribeiro , seja investigado pelo crime de homofobia .

“A opção que você tem como adulto de ser um homossexual, eu respeito, mas não concordo”, declarou o ministro da Educação em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo .

Milton Ribeiro também disse que “o adolescente que muitas vezes opta por andar no caminho do homossexualismo (sic) têm um contexto familiar muito próximo, basta fazer uma pesquisa. São famílias desajustadas, algumas. Falta atenção do pai, falta atenção da mãe”.

“Trata-se de um ministro da Educação homofóbico, que violenta criminosamente os princípios de respeito e a igualdade entre as pessoas consagrados na Constituição Federal”, declarou Contarato,o primeiro senador abertamente gay a ser eleito no Brasil.

Leia Também:  Ocupação de UTIs tem risco baixo em 17 estados e crítico no Rio e GO

O senador entrou com uma representação no STF para que a Corte determine que a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigue Milton Ribeiro.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA