NACIONAL

Governadores tentam antecipar 4 milhões de doses de vacina via Covax Facility

Publicados

em


source
Wellington Dias, governador do Piauí e presidente do Fórum de Governadores
Reprodução

Wellington Dias, governador do Piauí e presidente do Fórum de Governadores

O governador do Piauí e presidente do Fórum dos Governadores, Wellington Dias (PT), disse que o Brasil pode conseguir a antecipação de 4 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 via Covax Facility para o final de abril. O assunto foi tratado em reunião do fórum com membros da ONU (Organização das Nações Unidas) e da OMS (Organização Mundial da Saúde).

“Foi acertado com a ONU e a OMS que haverá um esforço para que a entrega que estava prevista para o final de maio seja antecipada para o final de abril, cerca de 4 milhões de doses”, disse o governador em entrevista coletiva.

Wellington Dias disse também que o Fórum dos Governadores e o Congresso estão articulando com os Estados Unidos para que o país dê uma “ajuda humanitária” fornecendo doses da vacina de Oxford/AstraZeneca que não estão sendo utilizadas no país.

O Fórum também pediu às autoridades que solicitem que a China agilize a entrega do IFA ao Brasil para a continuidade da produção das doses da CoronaVac.

“Há um risco concreto de, nas duas primeiras semanas de abril, faltar vacina para a seugunda dose no Brasil. Solicitamos que seja acelerada a entrega do IFA ou que a China possa importar dois lotes de 5 milhões de doses prontas”, disse Dias.

Propaganda

NACIONAL

‘Queiroga com certeza será reconvocado à CPI’, diz Omar Aziz

Publicados

em


source
 'Queiroga com certeza será reconvocado à CPI', diz Omar Aziz
Reprodução

‘Queiroga com certeza será reconvocado à CPI’, diz Omar Aziz

O senador e presidente da CPI da Covid , Omar Aziz (PSD-AM), se posicionou sobre o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, como a “grande decepção” da comissão até o momento. Em relação as falas pouco objetivas, Aziz reiterou que Queiroga “com certeza” será reconvocado. As falas foram reproduzidas em uma entrevista no YouTube para o canal do historiador Marco Antônio Villa.

O motivo que levou o presidente da comissão em buscar uma nova audiência para ouvir Queiroga é a constante contradição entre as diretrizes do Ministério da Saúde e as políticas públicas do governo Bolsonaro .

Queiroga declarou inúmeras vezes que não se pronunciaria em seu depoimento pois não havia um protocolo de tratamento para a covid-19 elaborado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

Renan Calheiros declarou no último sábado (08) que a estratégia adotada pelo cardiologista comandante do Ministério da Saúde de não responder objetivamente as perguntas é uma outra maneira de “não falar a verdade”.

Leia Também:  Manifestantes se reúnem na Avenida Paulista contra mortes no Jacarezinho

Aziz ratificou o posicionamento de Calheiros ao declarar que “a gente perguntava se ele era a favor da cloroquina – e ele não citava a palavra cloroquina, falava em ‘fármacos’ -, ele jogava para a Conitec”.


O presidente da CPI argumentou que o posicionamento de Queiroga visa “não magoar o chefe” e que as contradições existentes dão base para que o ministro seja reconcado”.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA