NACIONAL

Homens fingem sequestro de filha de médico e pedem resgate de R$ 37 mil em MG

Publicados

em

 

 

source
Suspeitos foram encaminhados à Central de Flagrantes 3 (Ceflan 3) da Polícia Civil
Reprodução da internet/Google Maps

Suspeitos foram encaminhados à Central de Flagrantes 3 (Ceflan 3) da Polícia Civil

Dupla de homens de 23 e 25 anos foram presos na madrugada desta quinta-feira (17), suspeitos de aplicar um golpe de falso sequestro a um médico de 75 anos no bairro de Sion, em Belo Horizonte. A falsa vítima seria a filha do idoso, promotora de justiça no interior do Paraná. As informações são do Estado de Minas.

Segundo a Polícia Militar, o médico recebeu um telefonema de uma mulher, que de acordo com ele, teria a voz idêntica à da filha dele. A moça teria dito que a casa teria sido invadida por bandidos, e que ela estaria amarrada e sendo ameaçada de morte.

Um homem assumiu a linha e exigiu o resgate de R$ 37mil. Caso o resgate não fosse pago, a promotora seria morta. Os criminosos disseram que enviariam homens à residência do médico para pegar o dinheiro. O homem alegou só ter R$ 4mil em casa e os criminosos aceitaram o valor.

Leia Também:  O RIO TEM R$ 10,4 BI A RECEBER!

Você viu?

Enquanto negociava com os falsos sequestradores, o médico conseguiu pedir que a esposa avisasse a polícia, e obteve notícias de que a filha estava bem, através de amigos da promotora.

Policiais militares foram até o local da casa do médico e localizaram o carro dos suspeitos. Os falsos sequestradores se assustaram com a viatura e demonstraram nervosismo. Policiais abordaram a dupla que alegou que iria receber uma quantia de dinheiro de um morador do prédio. Os homens foram detidos e encaminhados à Central de Flagrantes 3 (Ceflan 3) da Polícia Civil.

 

Propaganda

NACIONAL

SP: Médico é baleado e morto na frente da família durante assalto no Guarujá

Publicados

em


source
Médico foi baleado na frente da família
Reprodução / Instagram

Médico foi baleado na frente da família

Um médico infectologista foi morto na frente da família durante um assalto na tarde desse sábado (31), em uma praia do Guarujá, no litoral paulista. A vítima tinha viajado com os familiares de Tatuí, no interior de São Paulo, para passar o dia na praia. As informações são do portal  G1.

De acordo com a Polícia Civil, Rodolfo Enrique Postigo Castro, de 60 anos, foi morto por volta das 15h, no píer da praia do Perequê. O homem teria almoçado com a família no local e foi abordado por dois criminosos na saída, que roubaram alguns pertences das vítimas. Os bandidos, então, atiraram duas vezes na direção da família, atingindo o médico no peito com um dos disparos. 

Ele foi encaminhado a um pronto-socorro pelas pessoas que passavam no local, mas morreu em seguida, informou a polícia. Segundo as investigações iniciais, os responsáveis estavam de motocicleta no momento do crime. Além disso, o autor dos disparos já foi identificado e tem 17 anos. As equipes trabalham para localizá-lo.

Leia Também:  CPI da Covid: Comissão retorna aos trabalhos e mira contrato da Covaxin

De acordo com o jornal, o celular da filha da vítima foi levado, além de uma corrente de ouro que o médico usava. O caso foi registrado na Delegacia Sede de Guarujá como latrocínio.

Sepultamento

O corpo de Postigo foi velado na tarde de ontem no velório municipal de Tatuí. O enterro ocorreu às 16h no cemitério Cristo Rei.

Corpo do médico foi sepultado nesse domingo (1)
Arquivo pessoal

Corpo do médico foi sepultado nesse domingo (1)




Você viu?






Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a morte do médico. Além disso, Grupo Moreno/Lucemi, empresa na qual ele trabalhava, e a Unimed também publicaram nota prestando solidariedade pelo assassinato.

”O Grupo Moreno/Lucemi presta todas as solidariedades e sentimentos aos familiares, amigos e pacientes do Dr Rodolfo Enrique Postigo Castro. Que neste momento tão difícil, todos possam ser confortados. Aqui deixamos nossa homenagem ao grande amigo e profissional, que por longos anos contribuiu para o atendimento de muitos pacientes’, escreveu a empresa.

“Doutor Rodolfo foi mais uma vítima da violência urbana em um novo episódio que ceifa vidas e não podemos aceitar sem indignação”, divulgou a Unimed.

Leia Também:  CPI da Covid: depoimento de Maximiano é remarcado pela quarta vez

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA