NACIONAL

Jovem morre afogada ao tentar salvar cachorro que caiu em rio, em MG

Publicados

em


source
Jovem morre afogada ao tentar salvar cachorro que caiu em rio, em MG
Reprodução

Jovem morre afogada ao tentar salvar cachorro que caiu em rio, em MG

Uma jovem de 21 anos morreu por afogamento no Rio Paracatu, em Brasilândia de Minas, Minas Gerais , após tentar salvar seu cachorro que havia caído na água, no último domingo (12). Estefany Bispo Alves havia atravessado a correnteza para fazer uma selfie numa pedra que fica no meio do rio. O cão tentou ir até a dona e acabou sendo arrastado pela correnteza. Ela tentou alcançá-lo, se desequilibrou e também foi levada pela água.

De acordo com a Polícia Militar, Estefany estava com o companheiro na Fazenda Assento das Pedras, na zona rural, quando decidiu tirar a foto. O homem contou aos agentes que viu a jovem afundar algumas vezes na água antes de ser arrastada. Ele disse que se jogou na água para tentar salvá-la, mas não conseguiu alcançá-la.

A bolsa de Estefany foi encontrada poucos metros depois de onde ela estava quando foi tragada pela água. Equipes do 2º Pelotão do Corpo de Bombeiros (Paracatu) localizaram o corpo da jovem no último domingo.


Além de Estefany, outras três pessoas morreram por afogamento em Minas Gerais durante o último fim de semana — um dos casos também foi em Paracatu e outros dois em Unaí. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o aumento da temperatura fez com que moradores da região buscassem locais para se refrescarem.

Propaganda

NACIONAL

Pai de Henry critica tentativa de Jairinho voltar à Câmara do Rio

Publicados

em


source
Leniel com o seu filho Henry, que tinha quatro anos
Reprodução/ Redes Sociais

Leniel com o seu filho Henry, que tinha quatro anos

O pai do menino Henry Borel, morto em abril, o engenheiro Leniel Borel reagiu à tentativa de Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, preso acusado de torturar e assassinar a criança, voltar à Câmara do Rio .

Como publicado pela coluna do jornalista Ancelmo Gois, no GLOBO, Jairinho apresentou Mandado de Segurança ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) contra a decisão que cassou seu mandato como vereador do Rio, em junho deste ano. Leniel afirmou que “esse tipo de manobra já era esperada por este monstro, principalmente por se tratar de uma família inserida no cenário político atual”.

“É revoltante que o Jairo continue se prevalecendo da influência política após o assassinato do meu filho, uma criança inocente que não merecia ser agredida. Infelizmente esse tipo de manobra já era esperada por este monstro, principalmente por se tratar de uma família inserida no cenário político atual. Apresentar como pretensão retomar a carreira pública, na qualidade de representante do povo, o que pressupõe limpidez e ausência de mácula em condutas sociais não se compatibiliza com inúmeras agressões a outras crianças e com o brutal assassinato do meu filhinho”, afirmou Leniel.

Leia Também:  À ONU, Brasil chama ditadura militar de "período de luta política"

Leia Também

Segundo a defesa de Jairinho, o inquérito que investiga sua participação na morte de Henry “não possui condão de afastar a presunção de sua inocência”. O pai de Henry também rebate esta tese.

“O inquérito policial está muito bem documentado e conclui as autorias do assassinato de uma criança inocente na madrugada do dia 8 de março deste ano. Apesar de todas essas tentativas da defesa, a verdade sempre prevalecerá. Como pai e cidadão entendo que seja um momento oportuno para que a Justiça prevaleça sobre institutos subjetivos invocados como subterfúgios defensivos que não representam uma sociedade íntegra”, completou.

O médico e ex-vereador Jairo Souza Santos Júnio, o Jairinho, e a mãe de Henry, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, são acusados de torturas e do homicídio qualificado de Henry Borel Medeiros.

Leia Também:  Militar da Saúde afirma que indígenas "têm que ter vergonha na cara e trabalhar"

Monique e Jairinho estão presos desde 8 de abril de 2021 . O médico e ex-vereador teve negado um pedido de habeas corpus negado pelos desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio. Já a professora entrou com um pedido de relaxamento de prisão no Supremo Tribunal Federal .

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA