NACIONAL

Juiz manda excluir do Twitter conta de escritor que protestou contra a Universal

Publicados

em


source
João Paulo Cuenca
Reprodução / Wikipedia

O escritor João Paulo Cuenca virou réu após fazer postagem contra a Igreja Universal

A conta do escritor João Paulo Cuenca foi suspensa do Twitter a pedido da Justiça do Rio de Janeiro. A requisição foi feita após Cuenca ter publicado em junho que o “brasileiro só será livre quando o último Bolsonaro for enforcado nas tripas do último pastor da Igreja Universal “.

O texto é uma paráfrase de Jean Meslier , autor do século 18. No original, Meslier escreve que “o homem só será livre quando o último rei for enforcado nas tripas do último padre”.

O pastor Nailton Luz dos Santos pede indenização em R$ 10 mil por danos morais devido a postagem, além da remoção das redes sociais. O juiz da comarca de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, Ralph Machado Manhães Junior assina a decisão.

Leia Também:  RJ: Secretário de Saúde revela possibilidade de mudanças sobre o uso de máscara

A justificativa que embasa a decisão alega que há “extrapolação” no direito de liberdade de expressão, “pois a postagem do réu é ofensiva e  incitatória à prática de crime ao incitar claramente a violência contra grande parte da população”.

Até o momento, 134 processos partindo de 21 estados foram iniciados por religiosos contra João Paulo Cuenca.

A medida determinada pela Justiça do Rio de Janeiro será recorrida pela defesa de Cuenca, que ainda não teria sido intimada oficialmente.

Propaganda

NACIONAL

Bolsonaro: “Pelo STF, eu tinha que estar na praia, tomando uma cerveja”

Publicados

em


source
Jair Bolsonaro
Mariana Schreiber – Da BBC News Brasil em Brasília

Bolsonaro já afirmou a apoiadores que “só deus” pode tirá-lo do cargo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta sexta-feira (15) não ser responsável pelo atraso nas vacinas e pela explosão de casos de Covid-19  que já colapsou o sistema de saúde do estado de Amazonas.

Em entrevista à Bandeirantes , Bolsonaro afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o Supremo Tribunal Federal (STF) conferiu a governadores e prefeitos o poder de decidir sobre políticas contenção à pandemia.

“Eu tinha que estar na praia uma hora dessas. Pelo STF, eu tinha que estar na praia agora, tomando uma cerveja. O Supremo falou isso para mim. O erro meu agora foi não atender ao STF e estar interferindo, ajudando quem está morrendo em Manaus”, disse.

Sobre uma eventual abertura de processo de impeachment, o presidente afirmou que “não existe nada de concreto” contra ele e que “querem inventar uma narrativa” para tirá-lo do cargo.

‘Querem inventar uma fake news, uma narrativa para me tirar daqui. Qual moral tem João Doria e o Rodrigo Maia em falar de impeachment ou me acusar de tudo isso que está acontecendo aí se eu fui impedido pelo STF de fazer qualquer ação em combate ao coronavírus em estados e municípios?”, questionou.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA