NACIONAL

Juiz manda rede apagar críticas a pré-candidata Joice Hasselmann

Publicados

em


source
Deputada Joice Hasselmann
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Deputada Joice Hasselmann

O juiz eleitoral Emílio Migliano Neto, da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo, deferiu o pedido de tutela antecipada e determinou a remoção imediata, pelo Twitter, de postagens que prejudicam a imagem de Joice Hasselmann , pré-candidata ao cargo de prefeita de São Paulo pelo Partido Social Liberal (PSL).

A alegação do partido de Joice para ajuizar a ação foi propaganda antecipada. Como ainda não foi iniciado o período de propaganda eleitoral, postagens ofensivas à honra de pessoa pública podem configurar propaganda negativa contra candidato que pretende participar de eleição.

Em sua decisão, o magistrado apontou que a propaganda eleitoral pode ser praticada por qualquer pessoa em redes sociais e sítios de mensagens instantâneas. Porém, no caso em questão, os dois usuários do Twitter fizeram postagens com ofensas pessoais à politica do PSL.

Nas mensagens, os usuários falam das mudanças estéticas recentes da pré-candidata e fazem associações a uma “víbora” e a uma “lacraia”.

Leia Também:  Gato abençoado: felino invade live e pula em piscina de batismo; veja o vídeo

“Há ofensa à honra, já que se trata de injúria que objetiva denegrir a imagem da representante Joice Cristina (Hasselmann), sem qualquer cunho informativo, inclusive fazendo alusão ao cargo em que é postulante, em evidente abuso ao direito de manifestar-se livremente”, apontou o magistrado.

Além da exclusão, a decisão também manda o Twitter fornecer dados das contas dos usuários que ofenderam a pré-candidata.

Propaganda

NACIONAL

Covid-19: Prefeitura do Rio de Janeiro aumenta multa por aglomerações

Publicados

em


source

Agência Brasil

rio
Tomaz Silva / Agência Brasil

O estado do Rio de Janeiro chegou hoje (18) a 249.798 casos confirmados acumulados e 17.575 mortes causadas pela Covid-19


A prefeitura do Rio de Janeiro avalia que as curvas de contágio do novo coronavírus não caíram como era esperado e, por isso, as infrações dos estabelecimentos que permitirem aglomerações passarão a ser consideradas gravíssimas.


Com o endurecimento da punição, as multas poderão chegar a R$ 26 mil em caso de reincidência e a interdição será de sete dias, com a possibilidade de cassação de alvará em “casos extremos”.

O estado chegou, nesta sexta-feira (18), a 249.798 casos confirmados acumulados e 17.575 mortes causadas pela Covid-19. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, há 396 óbitos em investigação e 354 foram descartados. Entre os casos confirmados, 226.873 pacientes se recuperaram da doença.

Leia Também:  Detento arranca coração de companheiro de cela em presídio de SC

A capital registra 97.612 casos confirmados e 10.449 mortes .

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA