NACIONAL

Mãe e padrasto de Lázaro trabalhavam na chácara do sogro do delegado-geral da PC

Publicados

em


source
Lazaro Barbosa de Sousa, está fugindo da polícia há oito dias em Goiás
Reprodução/TV Anhanguera

Lazaro Barbosa de Sousa, está fugindo da polícia há oito dias em Goiás

A captura do  serial killer Lázaro Barbosa Souza, de 33 anos, acusado de matar quatro pessoas da mesma família, tem muitas particularidades, segundo o delegado-geral da Polícia Civil do Distrito Federal, Robson Cândido. Também conhecido como “mateiro”, termo atribuído a quem conhece as matas, Lázaro passou a vida toda trabalhando em fazendas de Goiás e permanece escondido num ambiente inóspito, mas que conhece como ninguém .

Segundo o portal Metrópoles, a dificuldade da polícia para efetuar a captura do serial killer pode ser reflexo direto do perfil do criminoso. O delegado-geral Robson tem autoridade para falar sobre o assunto já que a mãe de Lázaro, Eva e o padrasto, Léin (apelido), trabalharam na chácara do sogro de Robson até o dia em que o foragido fez as primeiras vítimas, na última semana. Eva fazia queijos a partir do leite tirado das vacas criadas na propriedade e Léin era o caseiro da chácara.

“Não há absolutamente nada que desabone a mãe e o padrasto de Lázaro. Mas o fato de conhecê-los, e também ao filho, me permite ter uma compreensão mais aguçada sobre o caso. Lázaro tem antecedentes e, ao que tudo indica, teve um surto psicótico. Ele nasceu e foi criado em um ambiente de fazenda. Trabalhou e circulou a vida toda no mato. Conhece essa região como poucos. Em função dessa circunstância, ele tem conseguido se camuflar na mata, mas sem percorrer grandes distâncias. Capturá-lo será uma questão de tempo”, disse Robson.

Leia Também:  Saiba quem é o promotor responsável por apurar quem mandou matar Marielle

Segundo o delegado-geral, o engajamento na operação para capturar o criminoso é grande e envolve policiais da Divisão de Operações Especiais (DOE), da Divisão de Operações Aéreas (DOA), da Polícia Penal e da Patamo.  A Polícia Civil do Distrito Federal mobilizou um caminhão-combustível; uma aeronave com câmera infravermelho, que permite a visão noturna; além de viaturas e dos próprios policiais.

Você viu?

Eva, foi ouvida em depoimento pela PCDF assim que o filho se tornou foragido. Depois disso, ela e o padrasto partiram para a Bahia com medo de sofrer represálias por conta da repercussão dos assassinatos em série. 

“A mãe de Lázaro se queixava de o filho ter se enveredado para o caminho do crime. Mas nunca imaginou que ele seria capaz de tamanha barbaridade”, afirmou o delegado-geral da PCDF.

Leia Também:  Motorista é jogada de ponte e se finge de morta para fugir de ladrões

Robson foi pessoalmente até o local onde ocorrem as buscas por Lázaro, em Goiás, na tarde desta quarta-feira (16) e compartilhou com a polícia goiana informações estratégicas na tentativa de acelerar o desfecho do caso.

Propaganda

NACIONAL

Caso Lázaro: ex-mulher e ex-sogra são indiciadas

Publicados

em


source
Lázaro Barbosa
Reprodução

Lázaro Barbosa

A caso de Lazaro Barbosa de Sousa, o serial killer do Distrito Federal, morto em 28 de junho, durante ação da polícia , continua em andamento, sob investigações e com novos indiciamentos. Nesta terça-feira, 27, mais duas pessoas que teriam ajudado Lazaro a fugir foram indiciadas pela Polícia Civil: a ex-mulher e a ex-sogra do suspeito. Além delas, o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 73, e o caseiro já haviam sido indiciados.

“Nós tivemos na Polícia Civil de Goias treze inquéritos policiais envolvendo esse caso, dez deles foram concluídos e remetidos ao judiciário com sugestão de arquivamento, uma vez que só tinha o Lázaro como autor dos delitos”, afirmou o Delegado Cléber Martins.

“Os elementos de provas colhidos no inquérito mostraram que elas de fato deram auxílio para que ele não fosse capturado pelas forças policiais. Tanto prestando informações para ele, dando guarita e alimentação, levando ele para locais, para esconderijos e sobretudo iriam propiciar a fuga definitiva dele”.

O fazendeiro Elmi Caetano foi detido e deixou a prisão de Águas Lindas no dia 17 de julho, mas segue com tornozeleira eletrônica. Segundo Martins, não há indícios da participação de empresários ou outros fazendeiros na fuga de Lázaro. Mesmo assim, a investigação continua.

– Com informações de UOL.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA