NACIONAL

Médico é espancado ao alertar pessoas sobre riscos de aglomeração no Paraná

Publicados

em


source
O médico publicou o relato sobre o acontecimento em seu perfil nas redes sociais
Reprodução/Instagram

O médico publicou o relato sobre o acontecimento em seu perfil nas redes sociais

Um  médico infectologista foi espancado após alertar um grupo de “pessoas conhecidas” sobre os riscos da Covid-19 , em Toledo, no Paraná . José Eduardo Mainart Panini trabalha no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP.

O estado do Paraná vive um colapso na saúde, devido ao alto número de internações e casos graves da doença . Ciente da situação, o infectologista fez um alerta sobre o período das aglomerações e uma segunda onda do vírus e foi agredido. “A resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia”, disse ele.


O médico relatou o ocorrido em seu perfil do Instagram:

“Na sexta-feira, após horas de reunião pra determinar o que seria ou não fechado, baseado num Decreto do Estado do Paraná. Já deixo claro, que baseado nos números não há mais nada a que fazer, senão as coisas só piorarão. Ao alertar os riscos a pessoas conhecidas, a resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia.

Enfim pessoas assim que ajudaram situação chegar onde está! O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”

Leia Também:  Bolsonaro foi avisado da gravação 20 minutos antes da divulgação, diz Kajuru
Propaganda

NACIONAL

Pacheco descarta adiar instalação da CPI da Covid, afirma jornalista

Publicados

em


source
Pacheco descarta adiar instalação da CPI da Covid, afirma jornalista
Agência Brasil

Pacheco descarta adiar instalação da CPI da Covid, afirma jornalista

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, descartou a possibilidade de adiar a instalação da CPI da Covid e afirmou que vai determinar uma sessão para eleger o presidente que vai comandar a comissão. A informação foi publicada nesta quarta-feira (14) pela coluna do jornalista Gerson Camarotti, do portal ‘G1’.

“Estou aguardando os nomes e indicações de partidos. Depois, anunciarei a data para instalação da CPI. Vou determinar que a eleição do presidente da comissão seja presencial e recomendar que funcionamento também seja presencial. Mas caberá ao presidente da CPI determinar, num acordo de procedimento com os demais membros, o que pode ser presencial, o que pode ser semipresencial”, afirmou Rodrigo Pacheco.

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga, nesta quarta-feira (14), a decisão do ministro Luís Roberto Barroso que determinou a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que deve apurar as ações e possíveis omissões do governo federal na condução da pandemia de Covid-19.

Segundo a coluna de Camarotti, ministros do STF dão como certa a manutenção da liminar de Barroso, mas estudam uma modulação que deixe clara a prerrogativa do presidente do Senado para definir como será o funcionamento: se presencial, virtual ou num modelo híbrido.

Leia Também:  RJ: MPRJ abre denúncia contra motoboy por agredir porteiro com barra de ferro

O governo aposta nessa decisão do STF para ganhar tempo e adiar a instalação da CPI. Para isso, investe no discurso de que não há condições sanitárias para realização de sessões presenciais.

Você viu?

O presidente do Senado mantém firme posição de seguir a decisão do ministro Barroso e garantir a instalação da comissão já nas próximas duas semanas.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA