NACIONAL

Professor envia foto nu a alunos do 7º ano e diz ter sido “por engano”

Publicados

em


source
foto do professor
Reprodução

Após ter mandado mensagens fazendo referência ao naturismo, o professor enviou a foto

Em Campinas (SP), um professor está sendo investigado por ter enviado uma foto nu “por engano” para um grupo de alunos do 7º ano do Ensino Fundamental. As informações são do UOL.

De acordo com o portal, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo apura a conduta do professor, que dá aula em uma escola estadual de Campinas. O caso aconteceu na manhã desta quinta-feira (16) e o docente será  afastado até o esclarecimento do caso.

Segundo o UOL, os pais das crianças disseram estar indignados, alegando que os filhos estão “em choque”. O suspeito afirma ter enviado a foto por engano “ao grupo errado”.

A mãe de uma aluna contou ao UOL que foi surpreendida ao ver no grupo mensagens consideradas ‘estranhas’ do professor de artes. De acordo com a mulher, o docente enviou, às 7h45, três mensagens fazendo referências ao naturismo (prática em que as pessoas ficam nuas), e na sequência uma foto em que aparece nu segurando um copo de achocolatado com a frase “bom dia, pelados. Com achocolatado gelado e corpo pelado. Ótimo dia de chuva a todos. Beijos, pelados”.

Leia Também:  Polícia busca casal que deu cerveja a filhote de cachorro; veja o vídeo

“Minha filha veio correndo falar comigo e mostrou a foto. Ela ficou sem reação, com muita vergonha. Eu peguei o celular dela e saí do grupo na hora”, disse a mãe em entrevista ao portal. Os outros alunos também tomaram a mesma atitude.

Boletim de ocorrência

Ainda conforme o UOL, um boletim de ocorrência foi registrado pela mãe de um dos alunos. O professor é investigado por divulgar fotos e vídeos contendo pornografia envolvendo criança ou adolescente (artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente).

Propaganda

NACIONAL

Cidade do RS registra surto de vômito e diarreia

Publicados

em


source
Xangri-lá, no litoral norte do Rio Grande do Sul
Acervo Secretaria de Turismo e Meio Ambiente de Xangri-lá

Xangri-lá, no litoral norte do Rio Grande do Sul

Xangri-lá , município gaúcho de 16 mil habitantes passa por um surto de intoxicação alimentar . Desde o último sábado(17) até esta segunda(19), 94 pessoas procuraram atendimento médico, a maioria delas são crianças.

Segundo Luis Antonio Ferreira, secretário de Saúde da cidade, todos os pacientes relataram terem consumido picolé , comprado do mesmo vendedor, ainda não identificado, que passava de carro vermelho pelos bairros.

“A gente tem algumas suspeitas. É uma bactéria que está causando vômitos e diarreia. Pode ser provavelmente de alguma fábrica de picolés que andou circulando aqui na cidade no final de semana. Já conversamos também com as equipes da Corsan para averiguar se está tudo correto com a água, mas nada foi apontado. Em conversa com todos nossos pacientes que estão sendo atendidos com o mesmo sintoma, todos eles compraram picolé”, afirmou o secretário para o Zero Hora.

Leia Também:  Com Covid-19, prefeito de Florianópolis é internado por sintomas moderados

Nenhum dos contaminados teve de ser internado, o procedimento padrão para este caso é fazer o soro e ir para casa, mas segundo Antonio, muitas pessoas tiveram de retornar ao posto de saúde pela persistência dos sintomas.

Amostras do picolé serão enviadas para o Laboratório Central do RS(Lacen) para verificar a suspeita nesta terça (20).

O Secretário, que diz ter “99% de chance de que seja” a causa da contaminação, clamou para a população de Xangri-lá que não consuma ou compre o sorvete.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA